Já foi revelado o novo Bugatti Bolide

Apesar da Bugatti estar a viver tempos incertos, não só devido à pandemia mas também devido à sua possível aquisição por parte da Rimac, esta não ficou impedida de lançar um novo e arrojado modelo.

A marca francesa apresentou recentemente, através de uma apresentação mundial no seu canal de Youtube e no seu website, o seu novo hipercarro de estilo muito agressivo e também o novo elemento à coleção One-Off que a marca tem vindo a fazer crescer, o Bugatti Bolide.

A apresentação foi conduzida por Andy Wallace, o piloto de testes britânico da Buggati. O piloto em conjunto com membros da produção do carro analisou os detalhes do novo automóvel e acabando também por o conduzir.

O Buggati Bolide é alimentado pelo motor W16 icónico da marca, que também é utilizado no Chiron. É capaz de produzir uns estonteantes 1600 cavalos de potência usando o mesmo combustível convencional que é utilizado no dia-a-dia. No entanto se o motor foi abastecido com combustível de competição de 110 octanas será capaz de produzir ainda mais 250 cavalos, chegando assim aos 1850 cv , oferecendo uma distribuição de peso para binário de 0.67 kg/Nm e conseguindo ainda realizar uma aceleração 0-100 Km/h em apenas 2.17 segundos.

O Bolide possui uma grande coletânea de peças que visam reduzir o seu peso ao máximo possível, o que fez com que a Buggati recorresse ao fabrico de várias peças extremamente leves mas muito resistentes. Um exemplo deste tipo de peças é o veio auxiliar que liga a caixa de transmissões ao motor, este é feito de um metal híbrido composto por fibra de carbono e titânio que lhe confere um peso muito reduzido mas uma grande rigidez. Outra das peças também apresentadas é a haste da suspensão frontal que foi fabricada a partir de titânio e consegue aguentar com cerca de 3 toneladas. No total o Bolide pesa apenas 1240 Kg com o motor W16 incluído.

O exterior do carro com o seu aspeto agressivo foi alvo de uma construção muito robusta apesar de apresentar um aspeto bastante oco, especialmente na parte frontal.

A parte frontal apresenta várias entradas de ar que não só alimentam os dois radiadores presentes mas também servem como o início da “canalização” de ar até ao motor, sendo esta a primeira vez que a marca francesa canaliza ar pelo interior das rodas frontais. Os faróis LED têm um design muito subtil que pode ser facilmente confundido com o resto dos enormes guarda-lamas frontais. Também está presente um splitter em fibra de carbono que complementa todas as outras lâminas frontais do mesmo material. A clássica ferradura da marca também está presente marcando este carro como sendo o que tem a terceira mais pequena deste estilo, sendo o primeiro o EB 110 e o segundo o Centodieci.

As laterais continuam a possuir o clássico estilo da linha C da Buggati, ainda que esta agora seja muito mais subtil. As saias de carbono estão ligadas a saídas negativas de ar formadas por lâminas de carbono junto às rodas da frente; este design permite que fluxos de ar quente e frio circulem junto à cabine sendo que o ar frio acaba por entrar no motor. A traseira tem um design muito pouco comum de forma a também beneficiar a arquitetura do carro. O escape de quatro ponteiras é colocado mesmo no centro para permitir a maior extração de ar quente possível. O difusor é constituído por 3 camadas e é colocado o mais acima possível tendo em si integrada a luz traseira de aviso. Os faróis traseiros complementam o formato e tema em X desta parte do carro que em si representa o fator experimental ou “Xperimental” deste projeto. Por fim a grande asa traseira é ligada à barbatana que parte do centro da cabine.

A cabine em si é um compartimento de dois lugares com dois bancos bastante rebaixados e um volante que parecem saído de um carro de Fórmula 1, vários detalhes em fibra de carbono, um pequeno painel de instrumentos totalmente digital e ainda uma consola central minimalista que complementa o estilo de carro de competição. A cabine tem ainda um sistema de capotagem integrado que substituí a necessidade de uma jaula. No exterior há ainda uma enorme entrada de ar que alimenta o motor com uma enorme quantidade de ar frio, esta entrada possuí um sistema de bolhas integradas que pode ser ativado para reduzir a turbulência gerada neste canal a alta velocidade.

As rodas são compostas por jantes de fêmea central montadas em Michelin Pilot Sport lisos com largura de 340 mm à frente e 400 mm atrás. Para as complementar têm ainda na parte exterior discos de refrigeração que ajudam o arrefecimento dos travões.

Os engenheiros da Bugatti também realizaram simulações do carro (recorrendo ao modo de alta octanagem) na Nürburgring Nordschleife e no Circuit de La Sarthe (24 Horas de Le Mans), tendo percorrido os circuitos em 5:23.1 minutos e em 3:07.1 minutos respetivamente. No entanto o carro só esteve num único circuito até agora, o Circuito Paul Ricard.

Como se trata de um One-Off o Bugtti Bolide terá apenas algumas unidades produzidas, sendo que o Divo apenas teve 40 unidades então será de esperar que este novo modelo seja ainda mais exclusivo devido à sua natureza experimental.

Fonte: Bugatti

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here