Israelita Shield cria Centro de Investigação e Desenvolvimento em Lisboa

A tecnológica israelita Shield entrou no mercado português com a criação de um Centro de Investigação e Desenvolvimento em Lisboa que dará suporte à casa mãe em Israel, e estará envolvida no desenvolvimento de soluções para todos os projetos e clientes a nível mundial. A notícia foi dada em comunicado enviado à imprensa.

“Escolhemos Portugal pela qualidade do talento tecnológico que existe. É um país com muito potencial, não só devido às boas universidades e aos bons profissionais, mas também devido ao seu próspero ecossistema tecnológico e empresarial, que já produziu unicórnios e startups no valor de milhares de milhões de dólares, e ao investimento internacional que está a atrair”, diz Nuno Hortênsio, Country Manager da Shield.

O Centro de I&D em Lisboa vai ser o hub de inovação da empresa. Numa primeira fase, o objetivo é apostar em equipas de desenvolvimento, mas futuramente irá incluir também profissionais das áreas de arquitetura de soluções e cloud. A empresa procura programadores e gestores de software especializados com experiência em Java, Angular, JavaScript, bem como outros profissionais de TI altamente especializados, que possam desenvolver novas funcionalidades para a premiada plataforma de IA da empresa.

“Temos uma proposta muito atrativa. Trabalhamos com tecnologia de ponta em termos de inovação, oferecemos oportunidades de crescimento profissional extremamente interessantes e projetos desafiantes em todo o mundo. A empresa tem uma cultura muito forte em Israel que vai trazer para Portugal, baseada em princípios de work-life balance e progressão profissional de grande valor e muito justos”, diz Nuno Hortênsio.

A Shield pretende estabelecer protocolos com as universidades portuguesas para oferecer oportunidades profissionais e de formação aos jovens.

A plataforma da Shield permite às instituições financeiras garantirem todos os requisitos de conformidade – mitigar riscos, detetar abusos de mercado, obter análises comportamentais, monitorizar cultura tóxica no local de trabalho e automatizar a vigilância dos canais de comunicação, poupando custos operacionais e de conformidade.

“A plataforma da Shield liga-se a todas as fontes de dados e de comunicação, internas e externas, monitoriza e regista todas as atividades, lançando alertas sempre que uma anomalia é detetada – manipulações de mercado, de preço, problemas regulamentares ou mesmo problemas internos como racismo, assédio e bullying. Quando as empresas aplicam a nossa tecnologia de análise comportamental aos dados, os cenários de utilização são infindáveis”, reforça Ofir Shabtai, Co-Fundador e CTO da Shield.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui