Inaugurada em Portugal a primeira Câmara Hiperbárica para animais

A pensar na saúde e bem-estar dos animais foi inaugurada a primeira Câmara Hiperbárica veterinária com capacidade terapêutica (Atmosfera absoluta > 1.4) . Instalada no novo Centro de Reabilitação e Regeneração Animal de Lisboa (CR2AL), situado em Odivelas, esta é a primeira Câmara Hiperbárica (HBOT) totalmente direcionada para medicina veterinária, em Portugal, e a segunda em toda a Europa. A notícia foi dada em comunicado enviado à imprensa.

A implementação desta Câmara Hiperbárica para reabilitação funcional, especialmente para cães e gatos, poderá, também, ser utilizada noutras espécies animais. Ângela Martins, médica veterinária responsável por este novo projeto e diretora do Hospital Veterinário da Arrábida, realça os benefícios da medicina hiperbárica para a medicina veterinária, sendo estes inerentes a uma panóplia de etiologias possíveis de tratamento primário ou tratamento adjuvante.

Simplificando, a terapêutica hiperbárica (HBOT) pode ser aplicada na inflamação, isquemia e aptose celular do tecido nervoso, com utilidade nos doentes neurológicos (mielopatias degenerativas e vasculares). A sua utilidade é demonstrada ao nível de cicatrização em feridas extensas/infetadas/necrosadas, sendo prescrita no pós-cirúrgico de medicina reconstrutiva, queimaduras profundas, abcessos, entre outros. Do mesmo modo, aplica-se a osteomielites, disco espondilites, cistites recorrentes, sendo nestes casos como terapêutica adjuvante. Tem um papel fundamental ainda, em quadros de anemia não regenerativa (insuficiência renal crónica em cães e gatos, hipoplasias medulares, entre outras.

Por fim, tem uma ação, também, na medicina de urgências em quadros de abdómen agudo, especificamente quando nos referimos a pancreatites no cão e gato.

Atualmente existem apenas dois equipamentos em toda a Europa, estando o outro instalado no Reino Unido, no Fitz Patrick Referrals, centro bastante reconhecido pela sua ligação ao programa televisivo do médico veterinário Noel Fitzpatrick, apelidado de veterinário “biónico”.

Ângela Martins é uma referência na área da reabilitação funcional em Portugal e internacionalmente, tendo aberto o primeiro centro de reabilitação funcional no Hospital Veterinário da Arrábida há quatro anos. O novo centro, instalado nas Colinas do Cruzeiro, em Odivelas, contará ainda com laboratório de medicina regenerativa para aplicação de células estaminais e plasma rico em plaquetas, permitindo a existência de um banco para este tipo de medicina e sendo um ponto de ligação com a Universidade do ICBAS através da Professora Doutora Ana Colette.

A oxigenoterapia hiperbárica consiste na inalação de uma alta dose de oxigénio dentro de uma câmara hiperbárica pressurizada. O mecanismo fisiológico da oxigenoterapia hiperbárica (OTH) baseia-se na elevação do conteúdo plasmático em oxigénio que é proporcional à pressão de oxigénio inspirado. A OTH é usada como um medicamento e, por isso, tem uma dose específica, efeitos secundários e contraindicações.

Na medicina humana é normalmente usada para o tratamento do barotrauma que ocorre por alterações bruscas de pressão na subida (descompressão) ou descida (compressão) sendo mais comum no mergulho profissional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here