Huawei quer ser número 1 em wearables e PCs

O novo Country Head de CBG da Huawei Portugal, Jiandong, que chegou a Portugal recentemente, assume que o mercado português é pioneiro e estratégico para a Huawei e revela que um dos principais objetivos é liderar o segmento de wearables e portáteis, bem como dar continuidade à oferta de experiências de alta qualidade e inovação aos consumidores.

Com um percurso de 11 anos a fazer parte da história da marca, Jiandong esteve durante vários anos como responsável pela gestão de 50 mil lojas da Huawei na China. Nos últimos três anos, ocupou o mais alto cargo na área de retail da Europa, assumindo a posição de diretor de Retail da Western European (WEU). Agora, chega a Portugal, comprometendo-se a abraçar um desafio não menos importante: liderar a área de consumo da Huawei e colocar a marca no topo das marcas mais vendidas em algumas das variadas áreas de negócio.

“A Huawei continua a ambicionar ser líder em todas as categorias de produtos em que está presente. Sabemos que os portugueses valorizam a inovação, os produtos de alta qualidade, o design de ponta, um serviço pós-venda de excelência e uma equipa profissional, altamente qualificada e preparada para todos os desafios presentes e futuros. Os nossos wearables são um exemplo de um produto capaz de responder a todas essas necessidades, oferecendo não só funcionalidade, como um design que se ajusta ao dia a dia e compatibilidade com os outros sistemas operativos (Android e iOS), garantindo sempre que a tecnologia está adaptada às necessidades dos consumidores”, afirma Jiandong, Country Head de CBG da Huawei Portugal.

Conquistar o segmento de wearables com inovação, design e funcionalidades de topo

A Huawei está em segundo lugar no ranking dos wearables mais vendidos em Portugal, tendo registado um crescimento de 25%, quando em comparação com o ano passado, e o objetivo é ser número um. Neste momento, uma em cada quatro pessoas com smartphone tem um wearable (de pulso ou áudio) e a Huawei prevê que este rácio seja de um para um em breve, o que representa uma excelente oportunidade de crescimento na categoria para a própria marca, que, só no ano passado, registou um aumento de 30,3% na receita proveniente das vendas de wearables e ecrãs inteligentes a nível global. Em Portugal, a receita da Huawei em wearables cresceu 22% face ao período homólogo.

Em termos de vendas efetivas, no segmento de dispositivos por menos de 150 euros, os Huawei Watch Fit New e Active são os modelos com mais sucesso, tendo registado já mais de 35 mil unidades vendidas desde o seu lançamento, no verão do ano passado. No segmento acima, os modelos Huawei Watch GT 2 e GT 3, foram também um best seller em Portugal, tendo sido vendidas mais de 70 mil unidades desde o seu lançamento, com a opção feminina, em dourado, a representar mais de 60% do total de vendas dos dispositivos de 42mm, valor que dá à Huawei ainda mais confiança para introduzir agora um modelo feminino totalmente em cerâmica, o Huawei Watch GT 3 Pro 43mm Ceramic, com um design marcante e funcionalidades que vão ajudar no dia-a-dia de todas as utilizadoras.

“Há muitos anos que desenvolvemos wearables inovadores e a recetividade dos consumidores tem sido muito positiva. A nossa estratégia, para este ano, é fortalecer a nossa posição número um no segmento 75 – 250 euros, e foi, nesse sentido, que decidimos trazer para Portugal os novos Huawei Watch Fit 2 e a Huawei Band 7. Da mesma forma, pretendemos, também, liderar no segmento premium do mercado com o recém-apresentado Huawei Watch GT 3 Pro que, assente no seu design diferenciador e materiais premium, acreditamos será a escolha de muitos consumidores portugueses”, refere Jiandong, novo Country Head de CBG da Huawei Portugal.

Em Portugal, a Huawei explica que a tendência pela procura de wearables, nomeadamente pulseiras inteligentes com um valor inferior a 50 euros, está a mudar, dando lugar à compra de dispositivos inteligentes com mais funcionalidades e design mais apelativo, com preços a chegar aos 150 euros, segmento onde se posiciona o novo Huawei Watch Fit 2. Acima dos 150 euros, a tendência que se verifica é um rápido crescimento do mercado, onde a Huawei se pretende posicionar, também num lugar de destaque, ao apresentar uma nova proposta com a família Huawei Watch GT 3 Pro, relógios inteligentes premium e sofisticados que respondem às necessidades dos consumidores portugueses, focados quer na saúde quer no fitness.

Ao longo dos anos, os relógios inteligentes da Huawei conseguiram trazer ao consumidor exatamente o que estes procuravam: monitorização de dados 24/7, design premium, mas ao mesmo tempo confortável, uma longa bateria para uma utilização mais prolongada sem preocupações e ainda o acompanhamento de uma série de treinos (mais de 100 na maioria dos casos) de forma profissional. Quanto ao futuro, e ainda este ano, a Huawei está também a planear trazer novos wearables que pretendem responder a necessidades específicas dos consumidores, como é o caso do Huawei Watch D, um relógio inteligente que realiza eletrocardiogramas, e um relógio inteligente destinado aos mais novos.

Huawei vai lançar novos portáteis e continuar a apostar nos smartphones

Além destas categorias, a Huawei está a preparar o lançamento da sua série de portáteis de 16 polegadas no mercado português, uma vez que, também o segmento dos PCs, tem revelado resultados muito interessantes no nosso mercado. “Em 2021, a temporada de regresso às aulas marcou uma subida marcante da nossa quota de mercado. Neste período, a Huawei conseguiu representar 10% do segmento de PCs em Portugal o que para nós é um resultado excelente, se pensarmos que há 3 anos poucas eram as pessoas que sabia que a Huawei tinha uma categoria de PCs. 2022 é, também, um ano muito importante no que diz respeito à área dos computadores portáteis, já que iremos apresentar o nosso primeiro portátil com 16 polegadas”, afirma Jiandong, Country Head de CBG da Huawei Portugal.

No segmento de smartphones, o Huawei nova 9 SE, que chegou às lojas a 8 de abril, já marcou posição na Europa. Especialmente desenvolvido a pensar no público mais jovem, a Huawei coloca Portugal no top 3 dos países da Europa Ocidental que mais venderam o modelo Huawei nova 9 SE até ao momento. No ranking dos países mais ocidentais da Europa que comercializam o Huawei nova 9 SE, apenas a Alemanha e a Itália estão à frente de Portugal. “Vamos continuar a apostar neste segmento de negócio. Na semana passada, anunciámos que o Huawei Mate Xs2 deverá chegar à Alemanha já em junho e, estamos a fazer tudo por tudo para que, em breve, também a outros países da Europa, incluindo Portugal. Acreditamos que os smartphones dobráveis são o futuro, e, por isso, temos vindo a investir na inovação e na procura do melhor design aliado à melhor experiência de utilização. O Mate XS, o Mate X2 e o P50 Pocket mostraram já a nossa capacidade neste campo e o Mate XS 2 volta a fazer um upgrade a esta tecnologia”, conclui o novo responsável de CBG da Huawei Portugal.

Nos últimos anos, a Huawei continua a mostrar inovação, design sofisticado e qualidade superior nos seus smartphones, comprovando que estes dispositivos são uma opção robusta que responde às principais necessidades dos utilizadores.

A Huawei vai manter a estratégia focada na inovação e na qualidade, continuando a fazer o que sempre fez de melhor, e concentrando-se em fornecer soluções baseadas em cenários que complementem o ecossistema e, acima de tudo, o dia-a-dia dos consumidores. Na Huawei, o nosso compromisso é continuar a proporcionar experiências de qualidade superior aos consumidores, que estão sempre em primeiro lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui