HarmonyOS Next: Huawei diz Adeus definitivo ao Android

A gigante chinesa de tecnologia Huawei decidiu finalmente cortar os laços com o Android. A notícia, que já havia sido antecipada em novembro, foi oficialmente confirmada por Richard Yu Chengdong, CEO do grupo de negócios de consumo da Huawei. A empresa está a desenvolver o HarmonyOS Next, um sistema operativo que será incompatível com as aplicações Android.

A decisão da Huawei de se separar das aplicações Android e dos ficheiros APK é um passo significativo na sua estratégia de se tornar independente. A empresa já tinha afirmado que o HarmonyOS seria um novo sistema operativo, e agora essa afirmação está a tornar-se realidade. No entanto, para os utilizadores de telemóveis Huawei no ocidente, não há motivo para preocupação, pois, por enquanto, continuarão a usar o EMUI.

A Huawei começou a desenvolver o HarmonyOS como resposta ao veto imposto pelo governo de Trump. A empresa não podia utilizar os serviços móveis do Google devido ao veto, mas com o HarmonyOS tinha um novo sistema operativo independente. Apesar de não ter os GMS, era possível instalar aplicações através de ficheiros .APK.

No ocidente, por enquanto, nada disso vai mudar, pois o HarmonyOS só está disponível em wearables como o Huawei Watch GT 4 e o Huawei Watch Ultra. No entanto, na China, a situação é diferente. O HarmonyOS Next foi apresentado no verão de 2023 e pretende ser a próxima versão do sistema, uma espécie de reinício.

De acordo com Richard Yu, o HarmonyOS Next não dependerá de núcleos Linux ou Unix e, como foi desenvolvido de forma totalmente independente, até mesmo o núcleo do sistema, necessitará de aplicações. A Huawei planeia desenvolver 5.000 aplicações nativas para o novo sistema em parceria com os seus parceiros. Grandes empresas chinesas como Metiuan, NetEase e JD.com já estão a preparar-se para a mudança para o desenvolvimento de aplicações nativas para o Harmony.

Com esta estratégia, a Huawei pretende consolidar a sua posição na China, onde teve um grande 2023. O Huawei Mate 60 Pro, apesar de todas as suas polémicas, foi um sucesso na China, e até ganhou terreno ao iPhone 15 da Apple. Além disso, a China está a investir fortemente para se tornar mais autossuficiente tecnologicamente, e a Huawei planeia vender o dobro de telemóveis em 2024.

Por enquanto, não há planos para mudanças no ocidente. Os utilizadores de Huawei com EMUI poderão continuar a descarregar aplicações como até agora.

Embora esta mudança possa causar algum desconforto inicial aos utilizadores, a longo prazo, poderá beneficiar a empresa ao permitir-lhe controlar totalmente o seu ecossistema de software. No entanto, será importante acompanhar como esta mudança será implementada e como será recebida pelos utilizadores, especialmente fora da China.

Fonte: yicaiglobal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui