Governo quer reduzir em 42 euros o subsídio mínimo de desemprego

O Governo quer reduzir em 10% o valor mínimo de desemprego em Portugal, tendo já enviado aos parceiros sociais um proposta em que o valor passaria de 419 euros para 377 euros. Os cortes não fica apenas pelos desempregados, os beneficiários do rendimento social de inserção e do complemento para idosos também vão ter cortes. A medida afeta 750 mil pessoas.

No documento de trabalho que o Governos enviou aos parceiros sociais, esta proposta um descida para 90% do IAS (Indexante de Apoios Sociais), ou seja, para 377,29 euros. Deste modo, os beneficiários do subsídio mínimo de desemprego irão receber menos 42 euros todos os meses.

Ainda não é certo que esta medida irá em frente, mas caso tal aconteça, tal medida colocará muitos beneficiários do subsídio de desemprego a receber um valor inferior ao do limiar de pobreza: 421 euros. Segundo a agência Lusa, esta medida afetará cerca de 150 mil subsidiários de desemprego.

Esta proposta do Governo não se foca apenas nos desempregados, prevê ainda uma redução do valor de referência para o cálculo do Complemento Solidário para Idosos (CSI), que baixa assim de 5022 euros para 4909 euros, no caso de beneficiários individuais será um corte de 2,25%. A proteção no domínio da dependência de idosos deixa também de ser fornecida aos aposentados com que recebam mais de 600 euros mensais.

O rendimento social de inserção é também lesado:  as prestações atribuídas aos beneficiários também sofrem uma redução, descendo dos atuais 189,5 euros (que tinham sido definidos em agosto), para 178 euros (42,5% do IAS).

Ainda sem grandes certezas sobre a viabilidade desta proposta, o Ministério da Solidariedade e da Segurança Social lembra que este documento é preliminar e uma proposta de trabalho sendo, por isso, “no espírito da negociação, sujeito a alterações no âmbito do diálogo social tripartido”.

A CGTP já reagiu a esta medida do Governo acusando-a de ser desumana por afetar os mais carenciados.

2 COMENTÁRIOS

  1. Tenho ao longo dos meus quase 56 anos de vida pautado sempre a minha conduta pelo respeito pelos outros, pelas instituições e pelos detentores de cargos públicos, sabendo que me assiste o direito de discordar mas não o direito de ser malcriado, mas tudo tem um límite, e de duas uma, ou estes senhores são de verdade incompetentes, ou são malfeitores dos mais pobres, no seu lugar sinceramente tinha vergonha das decisões que tomam e não as tomava, e vamos ser claros depois do 25 de Abril de 74 ninguem osou roubar tantos os pobres e desportegidos da Sociedade, é tempo de ter vergonha e não sair á rua, a indignação é tanta que mesmo quem nunca foi malcriado hoje é capaz de agredir.
    E já dizia o poeta vós que lá do vosso império prometeis um Mundo novo calai-vos que pode o povo querer um Mundo novo a sério.
    Então querem cortar, 42€ mês á prestação minima do subsidio de desemprego, cortar 11€ mês ao RSI. cortar no suplemento para idosos, ou seja cortes a todos os desfavorecidos da sociedade tenham vergonha.
    E a vergonha das fundações que ficou tudo na mesma! E o 1º Ministro continuar a ter 31 carros só destinados ao seu gavinete! E o Jardim Gonçalves receber 174mil € por Mês de reformas como no fim de semana disse na televisão o Frei Domingues! E a Presidente da Assembleia da República receber 7.500€ de reforma por 10 anos no Tribunal constitucional!
    Nesses não é preciso mexer? Só se tira aos que não tem nada bando de ignorantes que governam este País tenham vergonha de dizer a alguem que são humanos; Disse, Viva Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here