Google pode estar a preparar arranque do Pixelbook em modo Windows

A Google está a desenvolver um conjunto de medidas que, ao que tudo indica, vão permitir que o notebook da companhia de Mountain View possa receber também o Windows como sistema operativo ao invés de apenas recorrer ao Chrome OS.

De acordo com o Android Police, referências a um modo “AltOS” foram encontrados nos códigos do Chrome OS no Pixelbook, e há menções específicas ao Windows nesses códigos. O modo permitiria ao notebook executar um sistema diferente do Chrome OS, dando a opção inclusive de o utilizador escolher se prefere iniciar a máquina em modo Windows ou no sistema padrão.

As referências foram encontradas por um utilizador do Reddit, que fez questão de diminuir as expectativas dos entusiastas do Pixelbook. “As evidências são fracas, então estamos em um estágio especulativo do que o AltOS pode significar”, escreveu.

A adição do Windows aos aparelhos da Google seria um movimento para popularizar os aparelhos, uma vez que grande parte dos drivers e programas já são compatíveis com o sistema operacional da Microsoft, o mais utilizado da atualidade. O Pixelbook foi lançado em outubro de 2017. Além do sistema operacional Chrome OS, ele conta também com tela de 12,3 polegadas na proporção 3:2, suporte à caneta stylus Pixelbook Pen e integração com o Google Assistente.

Por dentro, ele usa um processador Intel Core i5 de sétima geração, 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno. O Pixelbook foi lançado no mercado com um valor que ronda os 1000 dólares.

No mesmo código, também aparecem outras menções que reforçam a tese. Por exemplo, há a citação a “picked screen”, ou “ecrã selecionado”, o que poderia indicar um interface diferente do tradicional, já que o utilizador precisa escolher entre ecrãs.

A informação surge numa altura em que ganha força a hipótese de a Google estar a preparar o lançamento de uma “revolucionária” – ou pelo menos desgarrada – versão do seu portátil, uma versão que poderá dispor de um ecrã 4K.

A informação foi avançada pelo portal Engadget que identifica linhas de código do Chromium, o projecto que funciona como se fosse uma versão beta do Chrome, que recebe os novos recursos antes da versão comercial, porém estáveis o suficiente para ser utilizado no dia-a-dia na maioria das vezes.

Mas dizia: a publicação recorre à filtragem de linhas de código de programação que indiciam que poderá estar na forja o lançamento de uma versão do portátil da Google com sistema operativo próprio equipado com ecrã de alta definição. Não será, por isso, difícil de imaginar que podemos estar perante um modelo topo de gama do Pixelbook, sendo expectável que a mesma fonte possa, nos próximos dias, adiantar mais novidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here