Fujitsu Implementa Novo Supercomputador de 10 Petaflops para Uso em Investigação de Nível Mundial em Portugal

A Fujitsu foi selecionada para fornecer um novo supercomputador no âmbito da iniciativa da União Europeia e do governo português para desenvolver capacidades de computação de elevado desempenho (HPC) de nível mundial para investigadores académicos e empresariais.

O novo sistema chama-se Deucalion, nome baseado na mitologia grega, e será instalado no MACC – Minho Advanced Computing Center em Portugal. O financiamento vem da iniciativa EuroHPC Joint Undertaking e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). O programa EuroHPC pretende impulsionar a inovação e a competitividade na UE com a disponibilização a nível europeu de supercomputação à escala petascale – definida como a capacidade de um computador executar mais de um Petaflop, ou mil biliões de cálculos por segundo.

O supercomputador irá dar suporte a investigação científica avançada em aplicações do sector público e empresarial, incluindo medicina, bioengenharia, previsão meteorológica, combate às alterações climáticas e descoberta de novos materiais e medicamentos.

Esta tecnologia robusta e líder do sector irá também contribuir nos campos da Inteligência Artificial e da utilização de Big Data, desempenhando um papel vital na digitalização de Portugal e da Europa como um todo.

Num contrato avaliado em 20 milhões de euros, a Fujitsu fornecerá ao MACC o seu supercomputador Fujitsu PRIMEHPC FX700, que incorpora o novo processador Fujitsu A64FX baseado em ARM. Este processador está a possibilitar novas investigações em áreas vitais e utiliza a mesma tecnologia central do supercomputador Fugaku, desenvolvido em conjunto pelo instituto de investigação japonês RIKEN e pela Fujitsu.

O Fugaku obteve recentemente a primeira posição na lista TOP500 dos supercomputadores mais rápidos do mundo. O processador Fujitsu A64FX oferece uma eficiência energética excepcional ao mesmo tempo que mantém a conformidade com o Arm v8.2-A Scalable Vector Extension (SVE), o conjunto de instruções ARM para servidores de elevado desempenho.

Em concurso público, a EuroHPC e a FCT seleccionaram a Fujitsu devido à sua liderança na tecnologia HPC, consultoria especializada e serviços de aconselhamento para clientes HPC, bem como à sua capacidade comprovada de trabalhar no ecossistema de fornecedores necessário para o sucesso dos projectos HPC.

A Fujitsu estabeleceu parcerias com outras marcas líderes para fornecer a solução total, incluindo a ATOS (sistemas x86), a DDN (armazenamento) e a Mellanox (interconectidade). A Fujitsu e os Fujitsu Laboratories vão tirar partido de décadas de experiência no domínio HPC para construir e integrar este sistema.

Novo supercomputador ajuda a criar ecossistema de conhecimento português para equipas de Investigação.

Para Portugal, ter disponivel um sistema HPC Petascale  é o primeiro e mais importante passo rumo à colaboração com parceiros tecnológicos chave. O objectivo é criar um novo ecossistema de conhecimento para as equipas portuguesas de investigação académica e industrial. O MACC irá desempenhar um papel central no panorama nacional de investigação, sendo este supercomputador a sua peça principal.

Helena Pereira, Presidente da FCT, afirma: “Além de uma plataforma x86, queríamos alargar os limites da investigação usando os processadores eficientes Arm. O Fujitsu A64FX é uma excelente escolha e é o primeiro processador ARM genuinamente preparado para HPC com a capacidade SVE. Ter um supercomputador Petascale em Portugal transformará a capacidade de os investigadores acederem ao poder de computação de que necessitam para levar as suas investigações mais longe. Com a tecnologia do supercomputador Fujitsu PRIMEHPC FX700, estaremos na linha da frente da capacidade de computação global para projectos de investigação. Embora a potência e a velocidade sejam importantes, levar a cabo um projecto tecnológico desta envergadura também requer confiança em todos os parceiros. A Fujitsu investiu tempo a trabalhar connosco, a construir relações e a compreender os nossos requisitos concretos.”

Carlos Barros, Director Geral da Fujitsu Portugal, comenta: “A nova plataforma Fujitsu A64FX oferece aos clientes uma experiência de computação de elevado desempenho excepcional combinada com condições ambientais e operacionais ideais. Temos o prazer de ter o MACC entre os nossos primeiros clientes europeus a experimentarem as vantagens que esta plataforma traz. O projecto pretende disponibilizar computação de classe verdadeiramente mundial aos investigadores em Portugal, e a Fujitsu, a par dos seus parceiros, está muito entusiasmada por trabalhar em colaboração estreita com o MACC neste projecto que visa alargar o acesso à HPC de mais alto nível na União Europeia.”

“A computação de elevado desempenho é uma das melhores experiências colectivas, e o sucesso depende da formação de parcerias fortes. A este respeito, a Fujitsu trabalha incansavelmente na criação de uma cultura em que as parcerias são compreendidas e valorizadas. Como tal, temos um longo histórico de colaboração que coloca a co-criação no topo da agenda. O projecto do MACC é a mais recente história de sucesso que envolve esta mentalidade colaborativa.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui