Fact Checkers do Facebook também irão funcionar nos posts do Instagram

Notícias falsas, teorias da conspiração e desinformação não são apenas problemas para o Facebook, YouTube e Twitter. Eles também são muito comuns no Instagram (e noutras redes sociais). Enquanto o Instagram tem trabalhado para reduzir o alcance de mensagens falsas, a partir desta semana, ele vai receber uma atualização importante neste sentido. Em breve, os parceiros de Fact Checkers que o Facebook estabeleceu para ajudar nesta problemática, também irão começar a fazer  mesmo trabalho no Instagram.

Os Posts que forem consideradas falsos não serão removidos, mas não irão aparecer na área de explorar ou nas páginas de resultado da hashtag, por exemplo. ” A nossa abordagem para a desinformação é o mesmo que o Facebook, quando encontramos desinformação, em vez de removê-lo, vamos reduzir o sei alcance, ” afirmou um porta-voz da rede social ao Poynter.

Desde as eleições dos EUA, o Instagram já tem a trabalhar uma equipa integrada no feed de notícias do Facebook. Quando imagens com informações falsas são encontradas no Facebook, a tecnologia de reconhecimento de imagem da empresa também pode procurá-las no Instagram. Claro que há uma abundância de mensagens falsas no Instagram que não aparecem no Facebook, e vice-versa, no entanto, agora, posts questionáveis do Instagram serão marcadas e enviadas diretamente para os Fact Checkers do Facebook, o que, em teoria, permitirá um forte combate às Fake News.

De acordo com Poynter, Instagram também está a considerar adicionar pop-ups que aparecem quando as pessoas procuram desinformação, como o conteúdo contra a vacinação. Ainda assim, poderão não ser suficiente, mas, sem dúvida, é um passo nesse sentido, sendo que, pelo menos, os utilizadores não poderão afirmar que não foram avisados.

Esta notícia surge após o Facebook e o Instagram terem banido extremistas extrema-direita como Alex Jones que promoviam a violência e o ódio.Apesar de o Instagram ser poupado em alguns dos problemas de conteúdos, não acontece o mesmo com o Facebook, é claro que a empresa está a tentar assumir uma postura mais forte contra o ódio e desinformação em ambas as plataformas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here