Facebook, Twitter e instagram as “drogas” sociais

As empresas de social media trabalham no duro para nos deixar viciadas nos seus serviços, disseram os membros do Silicon Valley.

Características como scroll infinito e Likes deixam as pessoas fixas aos seus smartphones mais tempo do que o necessário e alimentam-se das suas inseguranças, disseram os membros do Silicon Valley ao Panorama da BBC num documentário marcado para a próxima terça-feira.Resultado de imagem para Facebook, Twitter e instagramAza Raskin, anteriormente do Mozilla e do Jawbone, criou o scroll infinito em 2006, tornando possível deslizar através do conteúdo sem ter que clicar. Raskin diz que não pretendia deixar as pessoas viciadas, mas sente-se culpado pelo impacto da sua inovação, disse ele numa entrevista à BBC. No entanto, agora é apenas um dos vários recursos que as plataformas dos mídia social usam para atrair os utilizadores.

“É como se eles colocassem cocaína e espalhassem por toda a sua interface e é isso que faz o utilizador voltar sempre”, disse ele.

O Instagram permite aos utilizadores fazer upload de fotos sem o aplicativo. As Aplicações de social media são projectados para entrar nas nossas cabeças.

“Por trás de cada smartphone, geralmente há, mil engenheiros que trabalharam nessa parte para tentar torná-la ainda mais viciante.”

Leah Pearlman, que co-criou o botão Like do Facebook juntamente com Justin Rosenstein, admitiu à BBC que ela própria se viciou no serviço dos social media enquanto procurava Likes nos seus posts. “Quando eu preciso de validação – eu vou verificar o Facebook”, disse ela. Estou me sentindo sozinha:, “lá vou eu ver o meu smartphone”,  Estou me sentindo inseguro: “Deixe-me espreitar o meu smartphone.”

No ano passado, Rosenstein notou que o botão Like tinha levado um aumento no clickbait. “Eu acho que também causou a distribuição de coisas que, mesmo que as pessoas gostem delas, não são necessariamente úteis e que leva a perdas de tempo desnecessárias”, disse ele.

O Facebook também tornou mais fácil a integração do botão LIKE e outras funcionalidades utilizando as suas API´S nas paginas web.

“As alegações que surgiram durante o processo de produção da BBC Panorama são imprecisas. O Facebook e o Instagram foram projetados para aproximar as pessoas dos seus amigos, familiares e das coisas que mais gostam”, disse um porta-voz do Facebook e do Instagram.

Em junho, havia rumores de que o facebook estava a testar uma ferramenta chamada “Your Time on Facebook”, desenhada para ajudar os utilizadores a gerir o tempo gasto no facebook.

FONTE: CNET

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here