Facebook atento às “orações” dos usuários religiosos e dá-lhes uma ajudinha

Talvez possa ser uma nova forma que a plataforma de Mark Zuckerberg encontrou para rentabilizar os “pensamentos e orações” (dados) dos seus usuários do segmento religioso. O certo é que, na quinta-feira, Facebook confirmou que começou a expandir um novo recurso chamado “mensagens de oração” (“prayer post”, em inglês), que permitirá aos membros de grupos específicos do Facebook pedirem (e oferecerem) orações para outras pessoas na plataforma.

Um porta-voz da empresa confirmou que o recurso encontra-se em teste há “mais de um ano” antes de ser lançado discretamente para o público nos últimos meses. Em abril, Robert Jones – diretor do Public Religion Research Institute em Washington DC – foi um dos primeiros rostos públicos que efetivamente interpelou a empresa acerca desse post.

Na época, o seu questionamento não mereceu tratamento pelos órgão da imprensa, no entanto alguns jornais especializado em religião interessaram pelo assunto, o que fez com que Facebook confirmasse que as mensagens de oração estavam realmente sendo testadas em alguns grupos selecionados, ainda que não tivesse especificado em quais dos grupos.

Nessa altura, Nona Jones – que tem uma função complexa de liderar “Global Faith Partnerships”  para a empresa – disse a um desses canais religiosos que a ideia de “prayer post” surgiu da necessidade de “construir uma comunidade” com os usuários no decorrer da pandemia.

“Durante a pandemia Covid-19, vimos muitas comunidades de fé e espiritualidade usando nossos serviços para se conectarem, então nós estamos começando a explorar novas ferramentas para apoiá-los”, disse um porta-voz do Facebook. Ele acrescentou que o recurso estreou em grupos selecionados nos Estados Unidos e fim de “dar às pessoas a opção de solicitar oração do seu grupo no Facebook”, se assim desejarem.

Entretanto, a empresa não respondeu a questões acerca da possibilidade desses dados das publicações puderem ser usados para endereçar anúncios aos usuários com base nos seus hábitos de oração em grupo.

Um administrador de grupo que opta por usar o recurso, os membros simplesmente precisam de colocar pedidos de oração no grupo, e então outros podem se juntar e clicar no botão “orar” (“pray”) para notificar o autor acerca da sua solicitação de oração.

Fonte: Gizmodo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here