Facebook aperta o controlo para páginas com “grande audiência” nos EUA

O Facebook vai apertar a fiscalização a páginas que tenham um grande número de seguidores nos Estados Unidos da América. O Facebook vai introduzir um processo de autorização para gerir páginas de Facebook para tornar mais difícil gerir a página com contas falsas ou comprometidas, segundo adiantou a empresa na sexta-feira.

A medida surge na sequência de outro anunciou da gigante americana, que a semana passada referiu estar a decorrer uma campanha coordenada para influenciar as eleições intermédias de Novembro nos Estados Unidos.

Já foram 32 páginas removidas

Desde a semana passada, o Facebook já eliminou 32 páginas da sua plataforma (e também do Instagram) enquanto parte do esforço da empresa para combater interferências externas aos EUA das suas eleições.

Novas medidas para os administradores

A partir de agora, os administradores de páginas do Facebook que sejam identificadas enquanto tendo um grande número de seguidores nos EUA, terão um processo de redobrada autenticação de visto a confirmar a sua residência real. Também passará a ser visível o país de origem dos administradores da página.

Funcionalidades semelhantes serão colocadas no Instagram.

Consequências directas do caso Cambridge Analytica e da nova lei europeia de protecção de dados

Os últimos meses têm sido péssimos para o Facebook. No final de Julho surgiu o anúncio da empresa de que os lucros dos próximos anos estariam “prejudicados” devido a vários factores. A anúncio surgiu na sequência da quebra dos lucros do segundo trimestre de 2018, que surgiram abaixo do esperado. Este é o primeiro resultado verdadeiramente negativo para a empresa na sequência do famoso escândalo Cambridge Analytica e da nova lei de privacidade da União Europeia, que acabou por afectar a internet a nivel global.

Os executivos confessaram-se pessimistas mesmo em relação às potenciais receitas dos mercados emergentes ou da aplicação Instagram, que tem sido mais imune às preocupações de privacidade.

Quão mau foi o segundo trimestre de 2018?

O chefe financeiro do Facebook, David Wehner, foi uma das vozes do pessimismo. A margem de lucro desceu para 44% no segundo trimestre em relação aos 47% do ano passado. E, segundo Wehner, deverá descer para “algures nos 30%” por mais dois anos.
Em termos brutos, estamos a falar de uma perda de $150 biliões de dólares na capitalização de mercado desde Abril, em que o Facebook surpreendeu ao anunciar um aumento forte de 63% nos lucros e um aumento de utilizadores.

Fonte: Reuters

Veja também...

Deixe um comentário

avatar
  Subscrever  
Notificar de