Ensaio Hyundai i30: Coreano cada vez mais europeu

Hyundai i30 (38)

A aposta dos fabricantes coreanos de automóveis no mercado europeu não para de registar novas entradas, com a Hyundai a operar uma renovação profunda do seu popular i30. Desenvolvido e testado na Alemanha, o i30 assume-se como um modelo que vai ao encontro das preferências dos consumidores europeus, e que conta com uma oferta variada em termos de variantes de carroçarias, motores e ainda linhas de equipamento.

Hyundai i30 (5)Pela primeira vez a Hyundai incluiu o motor de alta performance 1.6 Turbo com 186 cv, modelo que tem paralelo no carro que a marca escolheu para participar no Campeonato do Mundo de Ralis WRC e já mostrou qualidade e maturidade em competição. Concorrente num segmento extremamente competitivo, o dos automóveis compactos, o novo i30 socorre-se de avançado equipamento para seduzir os clientes nacionais que têm nas versões com motor 1.6 CRDi as mais enquadradas em termos fiscais. Para os amantes dos motores a gasolina, acessíveis em termos de preço e adequados a quem não percorre muitos quilómetros anuais, a gama de propulsores que equipa o carro coreano compreende outras escolhas como o 1.4 MPi com 100 cv e a já referida versão 1.6 T-GDi com 186 cv.

Disponível nas variantes de carroçaria com três e cinco portas, à qual se adiciona uma elegante station wagon, o Hyundai i30 1.6 CRDi faz de imediato valer a renovação de que foi alvo, contando agora com argumentos mais fortes para se bater com a concorrência de emblemáticos modelos da indústria automóvel europeia: o campeão Renault Megane, o popular Volkswagen Golf, o dinâmico Ford Focus e o prestigiado Opel Astra.

Hyundai i30 (26)A evolução dos modelos da marca coreana tem sido notória e só assim consegue o pretendido descolar do anterior conceito de carros baratos com bastante equipamento. Esta alteração de filosofia é de imediato evidenciada pelo design de linhas esculturais e fluídas, seguindo-se a oferta de motores modernos e económicos, sem comprometerem a performance. A qualidade dinâmica tem também recebido importantes melhorias, o que torna o novo Hyundai i30 num carro bastante divertido de se conduzir. Pensado para agradar numa utilização familiar e versátil, a habitabilidade e bagageira possuem valores em linha com os dos seus rivais.

Caraterísticas

  • Motor: 1.6 litros Turbodiesel
  • Potência: 110 cv @ 4000 rpm
  • Binário: 260 Nm @ 1500-3000 rpm
  • Transmissão: Caixa manual com 6 velocidades e tração dianteira
  • Consumos: Urbano 4,2 l/100 km; Extraurbano 3,5 l/100 km; Misto 3,8 l/100 km
  • Emissões de CO2: 99 g/km
  • Velocidade máxima: 190 km/h
  • Aceleração 0-100 km/h: não divulgado
  • Preço: 25.490 euros

Condução e design

Hyundai i30 (48)Ao volante de imediato sentimos as limitações do motor 1.6 CRDi, que na variante de apenas 110 cv de potência, mostra estar trabalhado para agradar a chefes de família menos apressados. Este motor foi desenvolvido pela marca para cumprir a meta de 99 g/km de emissões de CO2, possuindo assim um escalonamento de caixa longo e que não permite confirmar todo o potencial do conjunto chassis e suspensão. A este valor de emissões correspondem consumos de 3,8 litros por cada centena de quilómetros percorridos, nas tradicionais contas do ciclo de condução NEDC.

Apesar de ainda assim ser um automóvel que permite uma utilização bastante económica, os valores obtidos em ensaio estão um pouco distantes dos mais atuais modelos concorrentes. A direção assistida eletricamente ‘Flexsteer’ peca por ser pouco comunicativa e com tato artificial nas mais variadas utilizações, em contraste com a caixa de 6 velocidades manual cujo manuseamento permite rápidas trocas de mudança efetuadas sempre com grande precisão. Ainda assim, o novo Hyundai i30 pode ser considerado um automóvel ágil e divertido de se conduzir. .

Hyundai i30 (23)O habitáculo é espaçoso e versátil, oferecendo também bons materiais e com uma qualidade de montagem bastante boa, em que se nota, uma vez mais, a ‘europeização’ do modelo. Quanto ao equipamento passou a estar também alinhado com as referências do seu segmento.

O ‘design’ mostra o esforço da Hyundai em oferecer no mercado europeu produtos mais ao agrado das preferências dos consumidores do velho continente. A marca salienta ainda a sua vertente dinâmica e desportiva com linhas marcantes que vão ao encontro da filosofia de design ‘fluido e escultural’.

Equipamento tecnológico

A Hyundai fabricou um automóvel capaz de cumprir com as mais elevadas normas de segurança. Os equipamentos de assistência à condução são ainda o ‘calcanhar de Aquiles’ deste compacto coreano, já que no mesmo segmento encontramos modelos com sofisticados sistemas que até há bem pouco tempo apenas podíamos encontrar em modelos do segmento topo de gama.

Hyundai i30 (15)O Hyundai i30 oferece solução de conetividade Bluetooth e USB, onde não falta a tomada de 12v para recarregamento da bateria dos nossos gadgets. Ainda entre o equipamento opcional é possível configurar estas unidades com um luminoso teto panorâmico com acionamento elétrico e uma câmara traseira de ajuda ao estacionamento.

Esta câmara surge associada a um simpático sistema de navegação capaz de transformar o ambiente interior do Hyundai i30, já que o ecrã de 7”, com funcionalidade tátil, dá um ar mais moderno ao habitáculo.

Veredito

Hyundai i30 (45)O Hyundai i30 1.6 CRDi com 110 cv acabou por se mostrar um carro bastante agradável de conduzir ao longo de todo o ensaio. A mecânica cumpre em regimes de utilização convencional, estando ainda assim bastante atrás das aptidões permitidas pelo conjunto chassis e suspensão.

Os consumos estão um pouco distantes da fasquia das atuais referências do segmento, mas mostram o empenho da Hyundai em produzir cada vez automóveis mais elegantes. seguros e eficientes.

No capítulo tecnológico a marca está ainda bastante aquém das restantes ofertas do mercado, sem oferecer modernos sistemas de assistência à condução como por exemplo os modernos alertas de saída involuntária de fixa ou da presença de outros veículos no ângulo cego. O equipamento de série é bastante extenso, e a lista de opcionais permite apenas a configuração do teto de abrir panorâmico e elétrico ou de um conjunto que oferece sistema de navegação e câmara traseira de ajuda ao estacionamento.

Pontos a Favor:

  • Preço
  • Manutenção incluída no preço durante 5 anos
  • Equipamento de série
  • Agradibilidade de utilização em cidade e estrada

Pontos Contra:

  • Falta de sistemas mais modernos de assistência à condução
  • Direção pouco comunicativa
  • Motor de 110 cv limitativo para as capacidades do chassis

Em suma, o Hyundai i30 impressionou-nos, já que a marca produziu um automóvel sem estar obssessivamente focada no preço. Trabalhou afincadamente no design, na afinação do chassis e suspensão e também operou grandes alterações na qualidade dos materiais face ao que estávamos habituados dos modelos mais antigos da marca coreana. Segue-se a nossa galeria de imagens:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here