Empresa de notícias sobre tecnologia desmascara aplicativos da AppleStore

A TechCrunch revelou recentemente – cerca de horas atrás – que alguns aplicativos da AppleStore estão acessando funções do iPhone sem a permissão dos usuários.

Acesso à câmera, registro indevido de fotografias da tela atual dos usuários monitoramento das atividades, são alguns dos recursos que alguns aplicativos de hotelaria, bancos, companhias aéreas e operadoras estão se beneficiando.

Com o objetivo de “melhorar” a experiência do usuário, estas empresas estão utilizando o artifício de forma suja e indevida. Bisbilhotando até senhas de bancos dos usuários – que, até então, eram consideradas confidenciais.

A equipe da TechCrunch analisou alguns aplicativos que utilizam uma ferramenta desenvolvida por uma famosa empresa de análise de dados.

A Start-Up fundada em 2010 em Israel, Glassbox fornece aos clientes – no caso, clientes são empresas de aplicativos e websites – monitoramento do uso de dados. Essa ferramenta é uma estratégia da era do Big Data.

Entretanto, uma de suas ferramentas utiliza capturas de tela de forma silenciosa e secreta nos smartphones. De fato, alguns aplicativos possuem realmente essa função. O problema? Durante a instalação, os apps não pedem permissão para isso.

Com as capturas de tela em mãos, a Glassbox envia as imagens para seus clientes, onde é feita uma análise aprofundada sobre o uso dos aplicativos dos consumidores. O monitoramente é feito inclusive em aplicativos de bancos.

É uma fração pequena dos aplicativos realizam a ocultação dos dados inseridos nas caixas pelos usuários. Logo, é possível que tenham roubado informações bancárias do consumidor.

AS EMPRESAS

Algumas empresas foram listadas após a investigação: Hotels.com, Air Canada, Hollister, Expedia, Singapore Airlines e Abercrombie & Fitch.

O mais assustador é o próprio slogan da Glassbox: “Imagine if your website or mobile app could see exactly what your customers do in real time, and why they did it?

Em tradução livre: “Imagine se seu site ou aplicativo pudesse enxergar exatamente o que seus consumidores fazem em tempo real e porque o fazem?

Os responsáveis por desmascarar essas empresas foram a TechCrunch e o blog – de autor anônimo – chamado The App Analyst. Este último é um especialista na área de mobile e escreve corriqueiramente sobre análises de aplicativos no blog.

Os casos que envolvem dados e consumidores estão sendo expostos cada vez mais na era do Big Data. Contudo, é possível que os aplicativos não sejam punidos como deveriam, devido às regras de conduta da Apple.

Fontes: TechCrunch | The Sun

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here