Em Inglaterra as vacas tiveram 5G primeiro do que nós!

Rede de 5G está a ser testado em sistemas de ordenha robótico em quintas Britânicas, através do uso de coleiras e etiquetas auriculares inteligentes, que permitem que os animais sejam monitorizados à distância.

O lançamento das redes 5G ficou marcado nos primeiros dias na Coreia do Sul e nos Estados Unidos, pela instabilidade de conexão e bastante limitada em diversas zonas e locais. Mas nem em todos os sítios houve este problema. Em Inglaterra conseguiu-se contornar este problema e com a ajuda da Cisco System, com a criação de um sistema de ordenha robótico, em que as vacas foram mais sortudas, e tiveram direito à rede 5G antes de nós.

A Cisco criou coleiras e etiquetas de identificação auriculares que monitorizam a saúde dos animais conectados na rede 5G, em algumas áreas rurais de Inglaterra.

Estes dispositivos criados pela Cisco automatizam todo o processo de produção de leite. As vacas dirigem-se de livre vontade para a estação de ordenha e após uma verificação de ID automática, passam os portões que acedem à máquina robotizada de ordenha que reconhece o animal e se conecta a ele, enquanto o mesmo se alimenta. Nenhuma intervenção humana é feita durante todo o processo.

Com estes dispositivos, os tratadores poderão aceder informações complementares como os dados biométricos do animal, dão alertas de sinais de doença ou sofrimento através de monitorização à distância, não sendo prejudiciais para os animais.

“Podemos conectar todas as vacas, e todos os animais nesta fazenda”, disse o Diretor de Inovação da Cisco, Nick Chrissos, à Reuters.

Nas áreas de fazendas de Inglaterra, existem três locais de testes do sistema 5G, um deles é o Centro de Inovação de Precisão da Engenharia Agrícola (Agri-EPI Centre), em Shepton Mallet, uma cidade situada a sudoeste. Este centro é financiado pelo Governo Britânico e tem 180 vacas, 50 delas equipadas com os colares e etiquetas 5G.

As operações da Agri-EPI, desenvolvidas com o apoio da agência de inovação britânica, utilizam uma variedade de tecnologias, incluindo escovas e cortinas operadas por sensores de clima.

A Cisco pretende continuar com este tipo de projetos e criar uma infraestrutura com o eventual lançamento global de 5G por várias indústrias mesmo as que não têm muito acesso tecnológico.

“Isto é o que o 5G pode fazer pela agricultura – Expandir e aumentar o poder que temos como exemplo nesta fazenda, em todo o Reino Unido e em todo o mundo”, disse Chrissos.

 

Via: Reuters

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here