Elon Musk reclamou e SEC já pediu ao Twitter explicações

Neste verão, a SEC realizou uma revisão ativa dos números de utilizadores do Twitter em resposta às preocupações com a atividade de bots, conforme revelado em novos registos divulgados na quarta-feira. A revisão ocorreu semanas depois de Elon Musk ter levantado preocupações sobre os mesmos números de utilizadores e sugeriu que os reguladores federais levassem a sério as alegações de Musk.

Notavelmente, a revisão começou uma semana antes do relatório completo do denunciante de Peiter “Mudge” Zatko, embora lide com muitas das mesmas preocupações que ele relatou à SEC.

“Observamos a sua estimativa de que o número médio de contas falsas ou spam durante o ano fiscal de 2021 continua a representar menos de 5% do mDAU”, escreveu a comissão ao Twitter numa carta datada de 15 de junho. “Na medida do material, divulgue a metodologia usada no cálculo desses números e os julgamentos e premissas subjacentes usados ​​pela administração.”

Sete dias depois, o Twitter respondeu com uma descrição da metodologia que é amplamente consistente com as declarações públicas da empresa. Conforme descrito no comunicado, o Twitter realiza uma revisão humana de milhares de contas escolhidas aleatoriamente da amostra mDAU a cada trimestre e sinaliza para spam e manipulação de plataforma quando apropriado.

Não é claro se esta explicação foi boa o suficiente para a SEC. Uma nova carta anunciou a conclusão da revisão a 27 de julho, mas não fez mais julgamentos sobre a conduta do Twitter, dizendo apenas que “a empresa e a sua administração são responsáveis ​​pela precisão e adequação das suas divulgações, independentemente de qualquer revisão, comentários, ação ou ausência”.

O sistema incomum do Twitter para medir “utilizadores ativos diários monetizáveis” (ou mDAU) esteve no centro da tentativa de aquisição de curta duração de Elon Musk e de um relatório recente de denunciantes. De maneira geral, o Twitter sustenta que medir a amostra menor permite rastrear com mais eficiência se utilizadores humanos reais na plataforma estão a ver os espaços publicitários que ela vende. Mas como ninguém fora do Twitter sabe se uma determinada conta está incluída na amostra mDAU, torna quase impossível para pessoas de fora verificarem os números da empresa.

No seu relatório de denuncia, Peiter “Mudge” Zatko citou o sistema mDAU como a principal causa do crescimento da atividade de bot na plataforma, alegando que a alta administração estava “preocupada que, se medições precisas [da atividade de bot] se tornassem públicas, isso iria prejudicar a imagem e valorização da empresa”.

Fonte: Bloomberg

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui