Dois detidos por trás dos maiores sites de streaming dos EUA declaram-se culpados

Red Magic 3S

Dois programadores que estavam por trás dos sites de streaming iStreamItAll e Jetflicks declararam-se culpados por violação de direitos de autor, quatro meses depois de serem detidos com a acusação de gerirem os serviços ilegais de streaming de vídeo.

Em agosto, oito pessoas foram acusadas de violar a lei dos direitos de autor através do iStreamItAll e Jetflicks, que o Departamento de Justiça descreveu como “dois dos maiores serviços de streaming não autorizados nos Estados Unidos”. Os dois serviços cobravam subscrições para que os utilizadores acedessem às suas plataformas, o que resultou em uma perda de receita para os proprietários dos direitos de autor dos programas de TV e filmes disponíveis.

De acordo com o USA Today numa atualização sobre o caso do Departamento de Justiça, Darryl Polo, 36 anos, e Luis Villarino, 40 anos, declararam-se culpados das acusações da violação de direitos de autor, e Polo também se declarou culpado de lavagem de dinheiro. A sentença de Polo será conhecida no dia 13 de março de 2020, enquanto Villarino será conhecida na semana seguinte, a 20 de março.

No acordo de confissão de Polo, ele admitiu gerir o iStreamItAll, o que permitia que seus utilizadores transmitissem e efetuassem o download ilegalmente de conteúdo com direitos de autor. Segundo o próprio, o serviço oferecia mais de 118.479 episódios de programas de TV e 10.980 filmes, mais do que as bibliotecas da Netflix, Hulu, Vudu e Amazon Prime. Polo também disse que destacou esses números em e-mails enviados para possíveis assinantes e pediu que cancelassem as suas assinaturas nos sites de streaming legítimos e se inscrevessem no iStreamItAll.

De acordo com Polo, ele adquiriu os programas de TV e filmes em sites de pirataria e torrent, com scripts de computador automatizados que efetuavam o download, processamento e armazenamento de conteúdo assim que ficavam disponíveis online.

Nos acordos da confissão, Polo e Villarino também admitiram que trabalhavam como programadores para o Jetflicks, que funcionava de maneira semelhante ao iStreamItAll. Eles também admitiram que os dois serviços ilegais de streaming foram disponibilizados em uma lista exaustiva de dispositivos, plataformas e software.

Os outros seis detidos também indiciadas no caso devem ir a julgamento a partir de 3 de fevereiro do próximo ano. As alegações de culpa de Polo e Villarino, no entanto, dificultarão a sua defesa.

Este é mais um passo na luta das autoridades e das produtoras contra a pirataria, sendo que temos de destacar uma grande detenção a nível europeu que conseguiu encerrar alguns dos principais serviços de streaming ilegal, mas não deixa de ficarmos surpreendidos quando o The Pirate Bay volta a apostar nesta área.

Fonte: USA Today

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here