Continua a haver falta de semicondutores, mas as vendas atingem novo record

As vendas globais de semicondutores ultrapassaram meio trilhão de dólares pela primeira vez, à medida que as empresas começaram a aumentar a produção para atender à demanda devido à escassez mundial de chips, disse uma importante associação do setor.

Em 2021, as vendas globais da indústria de semicondutores atingiram um recorde de US$ 555,9 bilhões, um aumento de 26,2% em relação ao ano anterior, informou a Associação da Indústria de Semicondutores (SIA). A indústria vendeu um recorde de 1,15 trilhão de unidades de semicondutores no ano passado apesar da escassez mundial.

“Em 2021, devido à contínua escassez global de chips, as empresas de semicondutores aumentaram substancialmente a produção para níveis nunca antes vistos para atender à alta procura, resultando em vendas recordes de chips e unidades enviadas”, disse John Neuffer, presidente e CEO da SIA.

Vendas de semicondutores continuam a bom ritmo

“A demanda por produção de semicondutores deve aumentar significativamente nos próximos anos, à medida que os chips se vão tornar ainda mais fortemente incorporados às tecnologias essenciais.”

A crise global de chips atingiu várias indústrias em todos os setores, e as empresas se tornaram incapazes de lidar com a alta procura e a escassez de produtos. Isto tudo também levou governos e legisladores de todo o mundo a lutar para garantir o fornecimento de chips e investimento para trazer a fabricação de semicondutores para mais perto de casa.

No ano passado, o presidente dos EUA, Joe Biden, destinou US$ 50 bilhões para fabricação e pesquisa de semicondutores como parte de um pacote de estímulo económico de US$ 2 trilhões. Um projeto de lei conhecido como CHIPS for America Act também está em andamento no processo legislativo e visa fornecer incentivos para permitir pesquisas e desenvolvimento.

Este mês, a Comissão Europeia, braço executivo da UE, anunciou um novo European Chips Act que irá permitir 15 bilhões de euros (US$ 17,11 bilhões) em investimentos públicos e privados adicionais até 2030.

A China tem se concentrado em impulsionar a sua indústria doméstica de chips nos últimos anos. Pequim fez do aumento da autossuficiência em semicondutores uma prioridade, embora a China continue fortemente dependente da tecnologia estrangeira. O mercado das Américas teve o maior aumento de vendas de 27,4% em 2021. A Europa seguiu com um crescimento de 27,3%.

Fonte: Finance.yahoo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui