CEO da Uber demite-se do cargo após pressão dos accionistas

O CEO da Uber, Travis Kalanick, demitiu-se do cargo esta quarta feira, dia 21, após ter sido pressionado pelos principais investidores da empresa. Ainda assim, vai permanecer no Conselho de Administração da companhia.

O líder tinha anunciado há cerca de uma semana que iria tirar uma licença sem vencimento para se focar na vida pessoal e em ser uma pessoa melhor. Contudo, os principais accionistas não gostaram da notícia e fizeram pressão para que Kalanick abandonasse o cargo e surgisse outra pessoa para liderar a maior plataforma tecnológica na área dos transportes.

Travis Kalanick perdeu a mãe num acidente de barco, no passado mês de maio, estando a passar tempos difíceis. Foi na sequência dessa tragédia que enviou um e-mail aos trabalhadores da empresa a dar conta da pausa que pretendia fazer.

O ex CEO da empresa tem um historial significativo de queixas de diversos funcionários, nomeadamente por discriminação e já foi acusado de assédio sexual pela antiga engenheira da Uber, Susan Fowler.

“Amo a Uber mais do que qualquer outra coisa no mundo e neste momento difícil da minha vida pessoal decidi aceitar o pedido dos investidores para me afastar para que a Uber se possa desenvolver em vez de se envolver noutra luta”, escreveu Kalanick no comunicado onde dá conta da sua demissão.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here