CEO da Microsoft Polémico: “Conteúdo online é freeware”

Nos últimos tempos, a discussão sobre a utilização de conteúdo disponível publicamente para o treino de modelos de Inteligência Artificial (IA) tem ganhado destaque. Recentemente, Mustafa Suleyman, CEO da Microsoft AI, causou polémica ao afirmar que toda a informação pública utilizada para treinar modelos de IA pode ser considerada “freeware”.

Esta declaração foi feita durante uma entrevista ao CNBC no Aspen Ideas Festival, e desde então tem gerado um intenso debate sobre os limites legais e éticos da utilização de dados online.

O Que Está em Jogo?

A principal questão em debate é se a informação publicada online deve ser livremente utilizada para o treino de modelos de IA. Suleyman tentou distinguir entre conteúdo acessível na web e material protegido por direitos de autor, reconhecendo ao mesmo tempo a complexidade em torno de conteúdos que os editores protegem especificamente contra a raspagem de dados.

Durante a entrevista, Suleyman destacou a necessidade de desenvolvimento responsável e governança na área da IA. Ele também abordou a importância da cooperação internacional, especialmente com a China, em vez de uma abordagem adversarial no desenvolvimento de IA.

O Impacto nos Criadores de Conteúdo

Os criadores de conteúdo argumentam que a sua propriedade intelectual está a ser explorada sem compensação, o que ameaça os seus meios de subsistência e, em certa medida, a integridade da IA generativa. A declaração de Suleyman de que as fronteiras legais do treino de modelos de IA ainda são incertas é refletida em processos judiciais em curso. Pouco depois da discussão, o Center for Investigative Reporting entrou com um processo contra a OpenAI e o seu principal investidor, a Microsoft, por utilizarem o conteúdo da organização sem permissão ou compensação.

Monika Bauerlein, CEO do Center for Investigative Reporting, afirmou: “A OpenAI e a Microsoft começaram a aspirar as nossas histórias para tornar o seu produto mais poderoso, mas nunca pediram permissão ou ofereceram compensação, ao contrário de outras organizações que licenciam o nosso material.”

Enquanto a Microsoft enfrenta um escrutínio contínuo sobre o seu manuseio de dados para IA, pelo menos ofereceu proteção aos utilizadores das suas ferramentas GenAI contra quaisquer processos de direitos de autor. Um porta-voz da OpenAI afirmou: “Estamos a trabalhar de forma colaborativa com a indústria de notícias e a fazer parcerias com editores de notícias globais para exibir o seu conteúdo nos nossos produtos, como o ChatGPT, incluindo resumos, citações e atribuições, para direcionar o tráfego de volta aos artigos originais.

O Futuro da IA e o Conteúdo Online

A questão de saber se a IA deve usar conteúdo publicado online para treino é complexa e multifacetada. Por um lado, a utilização de grandes volumes de dados é essencial para o desenvolvimento de modelos de IA robustos e eficazes. Por outro lado, os direitos dos criadores de conteúdo e a proteção da propriedade intelectual não podem ser ignorados.

O debate está longe de ser resolvido e continuará a evoluir à medida que mais casos legais surgirem e novas regulamentações forem implementadas. O equilíbrio entre inovação tecnológica e proteção dos direitos dos criadores de conteúdo será crucial para o desenvolvimento sustentável e ético da IA no futuro.

Fonte: Techradar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui