Call of Duty pode abandonar seu cronograma anual de lançamentos

Como todos sabemos, a Microsoft está em processo de compra da Activision, produtora de Call of Duty e vários outros jogos de sucesso. E esse processo tem e terá vários efeitos colaterais, bons e ruins. Um exemplo disso é que Call of Duty pode abandonar seu cronograma anual de lançamentos, de acordo com um novo relatório.De acordo com a Bloomberg, “funcionários de alto nível” da Activision discutiram abandonar o atual cronograma anual de lançamentos de Call of Duty, que está em vigor desde 2005.

A compra da Activision Blizzard por US $ 68,7 bilhões pela Microsoft deve ser concluído até o final de junho de 2023. Não há sugestão de que o Call of Duty deste ano, que deve ser o seguimento da Infinity Ward ao Modern Warfare de 2019, seja adiado do slot habitual da série antes do Natal.

Mas se a Activision decidir dar uma pausa com o Call of Duty, pode pular 2023. Felizmente, os jogadores de Call of Duty receberam bem a sugestão de que a série pode fazer uma pausa por mais curta que seja.

Ao que sabemos, os jogos Call of Duty têm uma vida útil efetiva de um ano antes que a Activision mude o foco para o próximo jogo da série. Isso acaba frustrando vários jogadores que gostam de aproveitar ao máximo os jogos.

Como sabemos, os fãs de Modern Warfare de 2019 ficaram desapontados ao ver seu jogo favorito ser deixado para trás após o lançamento de Black Ops Cold War em 2020 e, no final do ano passado, o mesmo aconteceu com o lançamento de Vanguard.

Enquanto isso, os desenvolvedores de Warzone lutaram para integrar Black Ops Cold War e Vanguard ao gigante do battle royale, com armas mal ajustadas e outras mecânicas de jogo causando problemas.

Tempo para melhorar

Qualquer pausa será sem dúvida comemorada pelo exército de desenvolvedores que a Activision acumulou para alimentar sua agenda implacável de conteúdo de Call of Duty.

E com as vendas de Call of Duty: Vanguard significativamente baixas em relação aos jogos anteriores da série, o tempo de folga pode enfrentar a fadiga de Call of Duty que claramente se instalou.

Segundo a Bloomberg, os funcionários da Activision estão “otimistas” com a aquisição pela Microsoft, embora haja “trepidação” sobre possíveis demissões. Há também uma “determinação” de lutar por melhores salários e mais proteção aos trabalhadores.

Bloomberg também observa “empolgação” por mais liberdade criativa no Xbox. A Activision recrutou praticamente todos os seus estúdios para servir o desenvolvimento de Call of Duty, com séries como Crash, Spyro, Guitar Hero e Tony Hawk’s Pro Skater caindo no esquecimento.

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui