Biden pede ajuda a Elon Musk para levar Internet ao Irão

No mês passado, Elon Musk ofereceu a ativistas que protestavam no Irão acesso sem censura à Internet, e um funcionário do Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que o governo americano também estaria a tomar medidas para ajudar os iranianos a conectarem-se à rede. 

A ARSTechnica refere que, sem demora, Musk ativou o serviço de Internet via satélite da SpaceX, Starlink, e disse que tudo o que precisava para colocar os manifestantes iranianos online era instalar terminais especiais no Irão que pudessem receber o sinal.

Até agora, Musk twittou que só conseguiu instalar no país alguns (poucos) terminais. Como tal, ainda são necessários mais, e tudo indica que haverá uma colaboração nesse sentido. A CNN relata que vários funcionários dos Estados Unidos confirmaram que o governo de Biden está a negociar com Musk para ajudar a estabelecer amplo acesso à Starlink no Irão.

“Estamos concentrados em fazer tudo o que nos for possível para apoiar as aspirações do povo iraniano”, disse um alto funcionário do governo à CNN.

A tensão com o Pentágono sobre o financiamento da Starlink na Ucrânia é uma das razões que leva as autoridades americanas a temerem que Musk não seja um parceiro confiável. Ainda assim, até agora a Starlink parece ser a solução dos Estados Unidos para fornecer serviço de Internet noutra região abalada pela violência.

Na verdade, garantir que as pessoas no Irão tenham amplo acesso à Internet não termina com a instalação dos terminais, mesmo que seja aí que as conversas de Musk e Biden residam. O Irão proíbe tecnologias como a Starlink, mas a CNN observa que tal tecnologia “é, ainda assim, abundante em todo o país”.

O que não é abundante é o acesso confiável à Internet, e não é garantido que a Starlink seja confiável se instalada no Irão. Especialistas disseram à CNN que, a menos que os ativistas no Irão saibam como esconder os sinais de Internet do regime autoritário do país, aceder à Starlink pode trazer muitos riscos aos ativistas. Qualquer pessoa que seja descoberta nessas circunstâncias pode ser acusada de espionagem pelo governo iraniano.

É por isso que fornecer acesso à Internet no Irão é considerado um desafio maior do que ajudar a Ucrânia, mas o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está empenhado em proteger o direito dos iranianos a protestar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui