Belinda Smith e o boicote à publicidade no Facebook

Red Magic 6S

Em pleno movimento Black Lives Matter (A Vida dos Negros Importa) o Facebook está a ser alvo de boicote por parte de várias organizações ligadas à defesa das minorias, devido ao discurso de ódio e campanhas de desinformação que recorrentemente circulam pela rede social, apesar de o Facebook sempre tentar bloquear ou eliminar esses posts direcionados a incendiar os ânimos.

Belinda Smith, uma ativista da diversidade que trabalhou como executiva sénior de marketing em empresas como Electronic Arts e AT&T, disse à Tech Tent que não esperava que o movimento após a morte de George Floyd causasse tantos danos em empresas como o Facebook.

“Foram os suspeitos do costume que tendem a posicionar-se sobre temas sociais”, disse ela. “Sei da minha carreira que desativar uma plataforma de mídia inteira é uma decisão angustiante – especialmente algo tão poderoso quanto o Facebook, que realmente tornou-se fundamental nos planos de muitos profissionais de marketing, algo que tem grandes retornos de investimento e é um poderoso mecanismo de crescimento para eles.”

Embora ela tenha trabalhado com várias marcas na sua reação ao movimento Black Lives Matter, ela ficou surpresa ao ver o boicote atrair tanto apoio.

Mas Belinda Smith pergunta-se se a indústria da publicidade está simplesmente desconfortável por estar associada a conteúdo odioso, em vez de pensar a longo prazo.

“Parece que descobrimos algo que é desagradável e, em seguida, queremos descobrir como consertar o problema, em vez de fazer perguntas muito mais profundas sobre como essas plataformas funcionam, como são monetizadas e como incentivam os usuários.”

De qualquer forma, está longe de ficar claro que o Facebook enfrentará muitos danos financeiros, uma vez que a maior parte da sua receita é proveniente de pequenas empresas, que não ingressarão no boicote.

Os seus investidores não parecem muito preocupados – depois de uma queda inicial, o preço das ações agora está quase de volta às alturas atingidas antes desta última crise.

Fonte: BBC News

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here