AX5 leva vantagem sobre Tegra3 depois de novos testes de benchmark

Lembram-se de a Apple ter dito que o seu processador era quatro vezes melhor a nível gráfico do que o da nVidia? E lembram-se da nVidia ter pedido testes como prova? Pois bem, eles chegaram.

Em comparação estão os melhores representantes no mundo dos tablets dos dois principais sistemas operativos e dos chips de processamento. A representar o iOS e o A5X, directamente dos EUA e pesando 640 gramas: a terceira geração do iPad. Do outro lado, o peso pesado do Android equipado com Tegra 3, o orgulho de Taiwan com 586 gramas: Asus Transformer Prime.

Ding Ding, que comece o combate

As notícias são más para a nVidia e para o Tegra 3: o processador AX5 da marca da maçã não só é melhor, como consegue obter resultados cinco vezes superiores ao chip da concorrência.  No GLBenchmark 2.1, que testa o desempenho em OpenGL, a unidade gráfica de quatro núcleos da Apple deixou o Tegra 3 em Knock Out depois de um upercut gráfico: renderizou duas vezes mais shaders e quatro vezes mais pixéis de textura. O gráfico representa os resultados em pormenor, onde maior significa melhor:

Mas noutro combate, o Asus Transformer Prime mostra a sua esquerda rápida e acerta em cheio no novo iPad. Neste teste, virado para o poder de processamento num todo, o chip da nVidia sai à frente nos resultados e consegue números duas vezes melhor do que o A5X. O Geekbench foi a aplicação usada para medir os processadores e os dois núcleos do processador da Apple ficam atrás dos quatro núcleos do Tegra 3:

No teste Sunspider, que mede o processamento de JavaScript, no Peacekeeper e no Browsermark, o desempenho geral dos navegadores padrão não são muito diferentes. As velocidades de navegação atingidas foram semelhantes, apesar da ligeira vantagem para o tablet da Apple – faltam testes com o Chrome para Android que promete ser 20 por cento mais rápido.

httpv://www.youtube.com/watch?v=4jdbtiNnZzE

Os testes foram feitos pelos jornalistas do site LaptopMag e o vídeo pelos entusiastas do RichiesRoom.com, que mal deitaram a mão ao novo tablet da Apple decidiram testar «as verdades» anunciadas na apresentação do novo iPad.

É preciso não esquecer que o processador da Apple foi desenhado a pensar num ecrã com uma resolução «épica» para um dispositivo móvel. É normal que em testes de desempenho gráfico mostre mais condições, tendo em conta que os processadores rivais apenas têm que suportar ecrãs com resolução de 1280×800 pixéis. Também convém não esquecer que os testes de benchmark testam o desempenho de todo o tablet e não das partes em específico – daí que dois tablets Android com o mesmo chip Tegra 3 possam ter resultados ligeiramente diferentes.

Mas nem tudo se pode resumir aos combates propriamente ditos. Muita coisa se passa durante os treinos, e aqui treinos é uma referência à utilização real que o dispositivo sofre, no dia a dia, a desempenhar as tarefas dos utilizadores. E o que conta bastante na experiência de utilização é o modo como as aplicações são desenhadas a pensar num hardware específico – Shadowgun para Tegra 3 ou o Infinity Blade para o A5X.

Por muito que Apple, Google e nVidia queiram, este não é um combate de pesos pesados para o título mundial ao qual concorrem sozinhos. É antes um torneio endurance que só o tempo saberá dizer quem é melhor e em quê. Os desenvolvedores podem ser verdadeiros Rocky Balboa neste mundo de Frazier’s e Ali’s.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here