Aston Martin e o seu primeiro SUV, um all-star todo-o-terreno!

Red Magic 3S

Melhor que o Cayenne? E o Lamborghini Urus? Becker verifica o nome de ambos, confirmando que o DBX foi testado no ´benchmark´ não só contra eles (o Urus pelo seu caráter, o Cayenne Turbo pelo comportamento dinâmico geral), mas também contra o BMW X5M, Bentayga, Range Rover Sport SVR e outros. Mas o que o Aston faz, que o Cayenne e Urus em particular lutam, é em convencer como um cruzador.

O Cayenne parece querer estar sempre a manter um controle sobre si mesmo, e há uma tensão na forma como ele cruza, enquanto o Urus é all-out, travando a sua guerra contra a física. O DBX é mais suave, e apesar de ter os 48v mais poderosos e um ativo anti-roll no mercado, pode acrescentar 1400Nm às barras dianteiras e traseiras em 0,2 segundos, e não tem medo de rolar. A direção não é nítidas ou repentina, de forma artificial, e as suas respostas são mais deliberadas, mas também fiéis e precisas. O corpo sente-se duro quando lançado sobre cascalho, e a suspensão tranquila.

O SUV DBX pode passar a maior parte de seu tempo na calçada, mas os compradores podem ter certeza de saber que um interruptor acionado pode levá-los onde quiserem. Quando levamos um Aston Martin a dar uma volta, o único pensamento na nossa mente deve ser como seguir nesta voltinha o mais rápido possível, de preferência com os pneus a fumar e a extremidade traseira balançando o suficiente para ajudá-lo a tomar mais velocidade através da curva na estrada sem perder o controlo. Fazer acontecer é uma questão de combinar o acelerador, travões e a direção o suficiente e manter tudo apontando no caminho certo.

A Aston indica 0-62mph em 4,5 segundos e uma velocidade superior 181 mph (cerca de 290 km/h), que é muito rápido, mas não na liga mais extrema de SUVs . E apesar de 542bhp e 516 lb pés, o motor não é o fogo do Vantage ou amgs vários. O poder chega progressivamente, aumentando da força média em que o ruído é mais leve, e retumbando sentimos que mais força vai para a parte traseira. Porque independentemente de se portar bem nas dunas do Médio Oriente, este vai ser um carro de estrada. SUVs grandes e luxuosos como este são os novos GTs – os carros que as pessoas realmente se sentem bem em viagens longas.

Então e é assim que por exemplo, ao estar a tentar uma guinada à esquerda, este cálculo pode ser uma novela. Em vez de pavimento previsível, estou numa estrada de terra coberta com a areia vermelha escorregadia da Península Arábica. E em vez de uma besta de pista como o Vantage da Aston, eu estou no SUV totalmente novo da empresa, o DBX. Estou em teste do DBX em Omã, onde os engenheiros da Aston estão a dar os retoques finais na manipulação e dinâmica do novo e elegante modelo de cinco passageiros a valer $ 189.000 (cerca de 170.000€) e que será lançado ainda este ano.

Eles estão a´empurrá-lo´ o mais que que puderem para mais próximo de ser um supercarro todo-o-terreno , e algo que pode deslizar sobre asfalto e poeira com o equilíbrio que convém às insígnias do construtor britânico. Ao carregar no acelerador , o Aston guina e estica-se em toda a superfície ondulada, mas mantém a linha à medida que vagueia para a esquerda. O sistema de tração às quatro rodas, ajustado pela quantidade de torque vai para cada roda de um milésimo de segundo para a outra, e ajuda o carro a aumentar constantemente a sobreviragem em direcção à borda da estrada, com os pneus a cuspir pedras e terra nas pedras. “Estamos a tentar enviar energia do motor para todos os lugares certos para torná-lo divertido e brincalhão, mas ainda muito seguro”, diz o engenheiro-chefe da DBX Matt Becker. “Então, como podemos ver, o carro é capaz de ir para os lados, para alegria de todos.”

O Aston oferece alguns momentos assustadores à medida que o terreno desliza por debaixo dele, mas faz um trabalho impressionante, considerando que não tem o kit adequado de pneus knobby ou uma suspensão verdadeiramente off-road, que tornaria insuportável para guiar em ruas de superfície. O motor V8, trazido da Mercedes-AMG, produz 542 cavalos de potência e leva o SUV a 181 mph (cerca de 290km/h). A transmissão de nove velocidades mantém o ritmo brilhantemente, não me dando nenhuma razão para interferir com os ´shifters´ do volante.

As vendas da Aston Martin caíram no ano passado, apesar de uma linha de supercarros selvagens como o Vantage, DB11 e DBS, o hipercarro Valkyrie e o próximo hipercarro Valhalla. Tudo isto apesar de uma variedade de esforços em andamento para garantir mais investimentos para corrigir o lastro financeiro da empresa. Um SUV que vende rapidamente pode ser o salvador da Aston. Não seria o primeiro deste tipo: Suvs de luxo da Porsche, Bentley, Lamborghini, Rolls-Royce e Maserati tornaram-se favoritos dos clientes, refletindo a obsessão do mercado com os grandes ´roladores´, e o desejo dos entusiastas do desempenho por um veículo prático mas que ainda se consegue sentir especial.

Para entregar esse sentimento, os engenheiros da Aston estão se a baseaer fortemente nos ´powertrains´ e suspensões altamente adaptáveis e controlados eletronicamente que tornaram os SUVs verdadeiramente multiambientais. O sistema elétrico de 48 volts do DBX, por exemplo, permite uma barra anti-roll ativa, que pressiona as rodas em resposta ao movimento do rolo do corpo em curvas duras.

Fonte: Wired

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here