ARM foi oficialmente adquirida pela NVIDIA

O negócio já era expectado por parte desta gigante da computação gráfica, pelo que veio mesmo a acontecer após alguns dias de forte expeculação — dentro e fora dos mercados financeiros, uma vez que se trata de uma compra milionária —, o anúncio da compra foi confirmado pela NVIDIA durante os últimos dias. O SoftBank procurava comprador para a ARM numa tentativa de obter lucro com a transação.

Esta aquisição vem reforçar a posição da NVIDIA num mercado altamente dinâmico e concorrido, onde fabricantes como a Intel e a AMD dão cartas. Enquanto a Intel desenvolve as gamas Celeron, Core e Xeon — focados para cada tipologia de cliente —, a AMD com os Ryzen para PC, a ARM desenvolve processadores altamente personalizados, o que traz benefícios para a chinesa NVIDIA em termos de desenvolvimento nesta área.

Durante os últimos anos, a fabricante sedeada em Santa Clara, na Califórnia, tem vindo a investir no “machine-learning” e nos algoritmos de aprendizagem autónoma para servidores através dos seus processadores gráficos, agora com nova aquisição, fica em aberto novas possibilidades a este nível, num novo segmento que outrora era apenas explorado pela Intel e pela AMD.

O acordo está fechado — onde o SoftBank consegue um lucro de perto de 7 mil milhões de euros através da venda —, visto que a ARM fora adquirida em 2016 por cerca de 27 mil milhões de euros e vendida agora por quase 34 mil milhões de euros (40 mil milhões de dólares). Assim, a NVIDIA passa a ter uma dimensão muito maior no desenvolvimento de Inteligência Artificial tanto em telemóveis, como em PC ou até carros autónomos. Ainda neste âmbito, a fabricante garante que irá construir um supercomputador impulsionado por IA e com recurso aos processadores ARM para uma das suas sedes, em Cambridge.

“[…] IA é a força tecnológica mais poderosa do nosso tempo, tendo levantado uma nova onda na computação”, afirmou o CEO da NVIDIA, Jensen Huang, em comunicado. “[…] Nos próximos anos, biliões de computadores irão recorrer à IA para criar uma nova IoT (Internet of Things) que é milhares de vezes maior do que a “internet das pessoas” atualmente. A nossa combinação criará uma empresa extremamente bem posicionada para a era da IA”.

O acordo revelar-se-á frutífero ao permitir uma vantagem competitiva com o seu principal rival no segmento do processamento gráfico, a AMD, que tem procurado modernizar-se constantemente nos últimos anos. O grande exemplo disso foi a mais recente parceria entre a Samsung e a própria NVIDIA para a fabricação de memórias para a nova série RTX 30 — que permitiu grandes avanços na computação gráfica contra a sua rival nipónica, a AMD. Por agora, a NVIDIA e a ARM já aprovaram a aquisição e ambas as empresas aguardam a conclusão da transação no período de 18 meses.

Fonte Engadget

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here