Apple Watch continua a ajudar a salvar vidas das mais variadas formas

Red Magic 6S

Que o apple Watch não é um simples relógio, isso já toda a gente sabia, quanto mais não seja pelas funcionalidades que tem, incluindo poder fazer chamadas, ou até mesmo mandar mensagens, para além de muitas outras apps que o relógio possui. Mas daí a salvar vidas, pode-se pensar que é um pouco reboscado…Pois é, mas não é!

O apple Watch tem vindo cada vez mais a ser creditado por ter ajudado a salvar a vida dos seus utilizadores, com uma série de relatórios que contam história sobre acontecimentos que mudaram a vida de muita gente.

Neste relatórios por norma é sobre uma pessoa que esteve em perigo ou numa situação de perigo de vida, e que foi assistida apenas pelo seu Apple Whatch em diversas formas. Não acreditam? Aqui vai dois exemplos de como o Apple Watch ajudou a salvar a vida:

A primeira história, conta o caso de Heather Hendershot de Pomona, Kansas, que há um ano atrás recebeu notificações no seu Apple  Watch a dizer que o seu ritmo cardíaco estava acima dos 120 batimentos por minuto, isto através do sistema de notificação de ritmo cardíaco elevado do Apple Watch. Estas notificações continuaram a surgir durante toda a noite, e, apesar da falta de sintomas e de Heather achar que o ritmo da Apple estaria incorrecto, pois não conseguia sentir o seu coração a bater.

Mas, pelo sim pelo não, Heather foi levada de urgência como precaução a uma clínica, e acabaram por diagnosticar hipertiroidismo. Foi aí que Heather se deu conta da gravidade da situação, isto porque como a própria Heather disse “Não sou alguém que verifica o seu ritmo cardíaco aleatoriamente”, continuou ela, “por isso estou muito confiante que não teria sido capaz de o detectar sem o Apple Watch”.

O outro exemplo, embora haja muitos mais, é o caso de Jason Saucier de Orlando, Florida, que em Setembro de 2019 tinha o seu Applle’s wearable que lhe dava avisos de possíveis problemas cardíacos, isto algumas semanas depois de se ter começado a sentir mal disposto. Segundo palavras do próprio “Assim que coloquei o meu relógio, ele fez um som que nunca tinha ouvido antes. Olhei para baixo e disse que eu estava em fibrilhação”. E depois de ter ido trabalhar naquela manhã e de ter aguentado o alerta repetido, Saucier lá acabou por procurar ajuda, isto depois de os colegas lhe terem dito que estava um pouco pálido.

Assim que chegou às emergências, a equipa cardíaca “atacou-o” logo dizendo que ele estava prestes a ter um ataque cardíaco. Saucier diz que o Apple Watch “É como um cobertor de segurança”. E que no caso dele: “Penso que provavelmente vai ser uma coisa contínua para mim para o resto da minha vida”. E é bom que eu tenha este relógio para me ajudar a monitorizá-lo”.

Fonte: Appleinsider

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here