Apple compra guerra com a nVidia

Em plena apresentação do iPad, Phil Schiller, vice-presidente do marketing da Apple, humilhou o Tegra3, chip com processador de quatro núcleos e a menina dos olhos da nVidia. A resposta veio em forma de vídeo.

É um assunto que promete fazer correr muita «tinta» na imprensa especializada. A Apple não se limitou a mostrar o seu novo chip A5X, com processador de dois núcleos e uma unidade de processamento de gráficos quad-core. Pela voz de Phil Schiller, a empresa da maçã decidiu rebaixar o seu concorrente mais directo, o Tegra3 da nVidia. Schiller apresentou um gráfico onde diz que o processador A5 do iPhone é “duas vezes mais rápido” e o A5X tem até “quatro vezes melhor performance” que o concorrente da nVidia. E apenas apresentou o gráfico, sem provas provadas ou testes de benchmark.

A nVidia que sempre apostou num forte desempenho a nível gráfico, muito por causa da experiência de jogabilidade que os dispositivos móveis podem transmitir, criou até uma loja onde vende jogos optimizados para os processadores Tegra 2 e 3, a Tegra Zone. E quase que a prever o que se ia passar na apresentação da Apple, os responsáveis pela multinacional das placas gráficas decidiram mostrar uma semana antes, em vídeo, a capacidade que o seu chip permite tanto nos jogos como nas aplicações que precisam de mais grafismo para correr:

httpv://www.youtube.com/watch?v=n8UJc4BYGKs

No vídeo é possível ver-se algumas aplicações como o Snapseed, editor de fotos com interface simples e intuitiva, e o Photaf Panorama que permite criar panoramas até 360º. A melhor de todas é o Splashtop THD, uma aplicação que recebe imagens e sons do computador e permite jogar através de botões virtuais que aparecem no ecrã do tablet. Segundo o site Gizmodo Brasil, será possível jogar Skyrim na sua tabelete Tegra3.

Voltando à guerra de processadores, Ken Brown, porta voz da nVidia, mostrou-se lisonjeado por a marca ter sido referenciada pela Apple mas revelou-se ao mesmo tempo de pé atrás relativamente aos resultados apresentados. “Nós temos que perceber qual a aplicação que foi usada. E foi apenas uma ou foi uma variedade de aplicações? Que tipo de drivers foram usadas? Existem muitas variantes quando falamos de um benchmark“, referiu.

Brown disse ainda que a nVidia vai tentar arranjar o novo iPad no dia 16 de Março para poder fazer os seus próprios testes. Certamente que a empresa americana de placas gráficas vai apresentar uma versão totalmente diferente da história. E muito provavelmente vai começar pelo facto de o Tegra3 ser um processador de quatro núcleos suportado por um quinto, enquanto o A5X da Apple apenas é dual-core no processamento.

Nos testes realizados pela AnandTech comparando o desempenho do iPad2 com PowerVR, e o Asus Transformer Prime com Tegra3, o tablet da Apple perde mas por uma pequena margem. Não é de surpreender que o A5X seja melhor que o processador da nVidia, mas será que chega para comprovar a tese do quatro vezes mais forte em GPU?

A Asus, empresa que usa o chip Tegra3 nos seus dispositivos, entrou na batalha de palavras sobre processadores móveis e ironizou com um post no Twitter:

“Novo #ipadhd da Apple tem GPU de quatro núcleos. Raios!
A GPU do ASUS Transformer só tem 12 núcleos… “

Muitas questões ficam agora no ar relativamente aos dois chips usados nos tablets Apple e nos restantes suportados pelo sistema operativo Android. E a resposta pode mesmo estar no tipo de SO móvel que cada dispositivo corre. O Android é desenhado para muitos e tem que se adaptar a diferentes situações, sendo por isso um sistema que tendencialmente pode não ser tão forte em testes de desempenho. No caso do iOS, ele é desenhado e apenas é usado nos iDispositivos. E com a optimização certa de software, mesmo podendo ser mais potente, o Tegra 3 bem que pode sair derrotado pelo A5X.

Mas tal como já foi referido, até que os testes de benchmark digam o contrário, todos são «inocentes».

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here