Apple adia plano de procura de imagens de exploração sexual infantil

Após objeções sobre os direitos de privacidade, a Apple disse na sexta-feira que decidiu atrasar o seu plano de escanear as bibliotecas de fotos dos usuários em busca de imagens de exploração infantil.

“No mês passado, anunciamos planos para recursos destinados a ajudar a proteger as crianças de predadores que usam ferramentas de comunicação para recrutá-las e explorá-las, e limitar a disseminação de material de abuso sexual infantil”, disse a empresa em um comunicado.

“Com base no feedback de clientes, grupos de defesa, pesquisadores e outros, decidimos reservar um tempo adicional nos próximos meses para coletar informações e fazer melhorias antes de lançar esses recursos de segurança infantil extremamente importantes.”

blank

As ações da Apple caíram ligeiramente na manhã de sexta-feira. A Apple imediatamente gerou polêmica após anunciar seu sistema para verificar os dispositivos dos usuários em busca de material ilegal de abuso sexual infantil. Os críticos apontaram que o sistema, que pode verificar as imagens armazenadas em uma conta do iCloud em um banco de dados de imagens “CSAM” conhecidas, estava em desacordo com as mensagens da Apple sobre a privacidade de seus clientes.

O sistema não escaneia as fotos de um usuário, mas em vez disso, procura por “impressões digitais” conhecidas que correspondem ao banco de dados CSAM. Se o sistema detetar imagens suficientes na conta de um usuário, elas serão sinalizadas para um monitor humano que pode confirmar as imagens e repassar as informações às autoridades, se necessário.

O sistema de deteção de CSAM da Apple deveria entrar no ar para os clientes este ano. Não está claro por quanto tempo a Apple vai atrasar seu lançamento após o anúncio de sexta-feira.

Apesar das preocupações com o plano da Apple, na verdade é uma prática padrão entre as empresas de tecnologia. Facebook, Dropbox, Google e muitos outros têm sistemas que podem detetar automaticamente o CSAM carregado em seus respetivos serviços.

Fonte: CNBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here