App portuguesa quer empoderar pessoas com mobilidade reduzida a ter acesso aos edifícios

Ricardo Teixeira, um programador com mobilidade reduzida, criou uma aplicação para que outras pessoas com mobilidade reduzida possam instantaneamente reportar violações às suas movimentações em território português.

Desenvolvimento em conjunto com a Associação Salvador, a aplicação +Acesso é a primeira aplicação no mundo que permite aos utilizadores enviar queixas oficiais contra edifícios públicos e negócios que não cumpram as leis de acessibilidade.

Ricardo Teixeira teve a ideia no seu aniversário de casamento

O empresário digital, que é tetraplégico desde os 18 anos, teve a ideia há cerca de um ano atrás após uma experiência desapontante no seu aniversário de casamento. O restaurante onde decorreu a festa afirmava na sua publicidade ter acessos facilitados a pessoas com mobilidade reduzida. “Mas nós fomos surpreendidos ao encontrar um grande degrau na entrada,” disse Ricardo Teixeira à Reuters. “Eu não queria estragar a noite, mas fez-me pensar o quão bom seria ter algo no meu bolso para fazer a queixa.”

+Acesso é gratuita

A aplicação foi lançada em Maio e é gratuita. A app identifica a localização do utilizar num mapa interactivo que mostra todos os edifícios à volta. Com apenas um toque o utilizador pode seleccionar a loja ou restaurante e classificá-lo com base na sua acessibilidade. Poderá também formalizar uma queixa oficial.

O processo de formalização da queixa a partir da aplicação demora menos do que 5 minutos e é endereçado à Câmara Municipal e ao Instituto Nacional para a Reabilitação, que é responsável por impor as leis de acessibilidade.

A aplicação já está a ter impacto

Desde que a aplicação foi introduzida em Maio, 95 queixas foram apresentadas às autoridades. Em comparação, apenas 70 queixas foram apresentados no ano inteiro de 2016. “Ao utilizar esta app, todos podemos trabalhar na direcção de um Portugal mais acessível,” disse Teixeira à Reuters.

Resta esperar que esta aplicação seja um contributo para a melhoria da vida das pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida.

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here