Apesar da(s) crise(s), trabalhadores da área das novas tecnologias vão tendo emprego

Depois de Elon Musk ter demitido cerca de metade dos trabalhadores do Twitter a indústria de tecnologias tem reagido de forma negativa e tem-se mostrado bastante abalada.

A Wired noticia que já esta semana também a Salesforce e a Meta eliminaram 11.000 empregos, ou seja 13% de sua força de trabalho. Snap, Lyft e a empresa de pagamentos Stripe também reduziram recentemente os custos com funcionários, demitindo coletivamente cerca de 3.000 trabalhadores, enquanto a Amazon também parece ir no mesmo caminho.

No total, mais de 118.000 pessoas perderam seus empregos em tecnologia este ano, de acordo com o Layoffs.fyi, um site que rastreia os cortes de empregos divulgados publicamente no setor. Ao mesmo tempo, empresas como Amazon e Apple desaceleraram ou congelaram suas contratações, reduzindo o número de vagas em Big Tech que podem deixar as pessoas subitamente desempregadas.

No entanto, a perspetiva generalizada para os trabalhadores de tecnologia permanece otimista, uma vez que a procura por novos talentos nestas áreas é elevada, ainda que se registe entre empresas mais pequenas e com salários, naturalmente, mais baixos.

Para estes potenciais empregadores, esta é uma boa oportunidade de atraírem profissionais anteriormente monopolizados por recrutadores das maiores empresas.

“Esses trabalhadores estão em grande vantagem”, diz Julia Pollak, economista-chefe da ZipRecruiter. “Ainda há uma forte procura por talentos tecnológicos numa ampla gama de setores, do governo à agricultura. Essas indústrias nos últimos anos foram deixadas à sua sorte”, onbserva.

O êxodo forçado da Big Tech também está a abrir novas oportunidades para startups e investidores com o objetivo de criar a próxima grande novidade. “Para todos os afetados pelas demissões da Meta: Monomi Park está a contratar”, twittou Nick Popovich, CEO de um estúdio de jogos independente, esta semana. A Day One Ventures, uma empresa de capital de risco, respondeu aos cortes da Big Tech com o lançamento de uma iniciativa destinada a trabalhadores demitidos, oferecendo-se para investir 100 mil euros em 20 ideias diferentes para novas empresas.

No geral, conclui-se que o mercado de trabalho para talentos em tecnologia continua forte. Em agosto, a taxa de desemprego para ocupações de tecnologia nos Estados Unidos ficou em 2,3%, de acordo com a Computing Technology Industry Association, ou seja, abaixo da taxa de desemprego geral nos Estados Unidos de 3,7% naquele mês. Estima-se que existam 8,7 milhões de trabalhadores de tecnologia nos Estados Unidos, de acordo com números divulgados pela CompTIA no início deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui