Android 14: Otimizações de Desempenho e Economia de Espaço

O Android 14, a mais recente versão do sistema operativo da Google, traz consigo uma série de melhorias significativas, não só a nível visual, mas também no que diz respeito ao desempenho e à economia de espaço de armazenamento.

Uma das principais alterações introduzidas nesta versão é a forma como as aplicações em cache funcionam. Anteriormente, estas podiam ser executadas sem restrições, mas agora, após um curto período de tempo, são congeladas e deixam de receber tempo de CPU. Segundo a Google, esta alteração resulta numa redução de até 50% no consumo de CPU por parte dos processos em cache, comparativamente ao que acontecia no Android 13.

Outra melhoria significativa é a otimização dos broadcasts. No Android 14, a forma como as aplicações recebem broadcasts de contexto registados foi ajustada, permitindo que estes sejam colocados em fila e, no caso dos que se repetem, possam ser fundidos num único Broadcast.

Estas duas alterações permitiram à Google aumentar os limites estabelecidos para o número máximo de aplicações em cache na plataforma. Isto traduz-se numa redução no número de aplicações que se iniciam em frio, dependendo da quantidade de RAM do dispositivo. Por exemplo, num dispositivo com 8 GB de RAM, houve uma redução de 20% no arranque de aplicações em frio, e num dispositivo com 12 GB, a redução foi de 30%. O arranque em frio implica carregar a aplicação “do zero”, enquanto que carregá-la a partir da cache consome menos bateria e é mais rápido.

Além das melhorias de desempenho, o Android 14 também traz consigo economia de espaço de armazenamento. O runtime de Android, ART, inclui agora otimizações que reduzem o tamanho do código em cerca de 9,3%, sem afetar o desempenho. Segundo Dieter Bohn, membro da equipa de Android, isto pode resultar numa economia de armazenamento entre 50 e 100 MB, o que é bastante significativo.

A forma como as aplicações em cache são geridas foi alterada, resultando numa redução significativa no consumo de CPU. Além disso, o número máximo de aplicações em cache foi aumentado, o que reduz o número de aplicações que se iniciam em frio. Finalmente, foram introduzidas otimizações no ART que reduzem o tamanho do código, permitindo economizar espaço de armazenamento. Na minha opinião, estas melhorias tornam o Android 14 numa atualização indispensável para qualquer utilizador de Android.

Fonte: Android

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui