Análise: Windows Phone 8

passatempo

A Microsoft não podia ficar de fora desta guerra dos sistemas operativos móveis e esta é a última versão do Windows Phone. Será que concorre com o Android e iOS? Leia a nossa análise.

Eu ainda sou do tempo em que tinha um PDA da Samsung com o Windows Phone 5.x, que mais parecia um Windows Vista num smartphone. Mas a Microsoft foi obrigada a evoluir, mas demorou demais.

O mercado móvel é liderado pelo Android e pelo iOS, só 5% pertence à Microsoft, mesmo com o Windows Phone 7.5 já ter sido lançado há mais de um ano, mas sem convencer o suficiente, apesar de ter melhorado bastante o seu lugar no mercado (sim, antes do 7.5 estavam bem pior).

Mas é normal que o Windows Phone 7 não tivesse saído como o esperado, é que essa versão foi um novo início da Microsoft neste mercado dos sistemas operativos móveis, sendo que o Windows Phone 8 é uma total correção dos vários erros cometidos no sistema operativo anterior. Por exemplo, os live tiles não podiam ser personalizados por tamanho ou não podiam ser adicionados cartões MicroSD, pois o sistema operativo não reconhecia.

O Windows Phone 8 é uma nova fase da vida da Microsoft neste mercado, que pegou no Windows Phone 7.5 e melhorou os vários erros cometidos, bem como tornou o sistema operativo mais abrangente em termos de hardware. Será que, finalmente, a Microsoft esta no bom caminho no mercado de sistemas operativos móveis?

Hardware

O Windows Phone 8 dá, finalmente, o passo que muitos esperavam e que, a meu ver, é essencial para o Windows Phone começar a ganhar mercado,  o melhoramento dos processadores. O Windows Phone 8 dá a possibilidade de aceitar processadores multi-core, permitindo q0ue as fabricantes de smartphones possam introduzir processadores dual-core nos smartphones, muito importante para o mercado, já que a Apple já tem dual-core há 2 gerações e os Android já vão nos quad-core.

Até agora, o Windows Phone 8 só trabalha com o processador da Qualcomm Snapdragon S4 dual-core, no entanto esta restrição é por parte da Microsoft, provavelmente devido às atualizações de software, mas é provável que em breve comecemos a ver outros e melhores processadores.

Outro dos melhoramento nesta versão é a resolução de ecrã. Com o Windows Phone 7.5 só poderia ter ecrãs WVGA ou 800 x 480p, mas o Windows Phone 8 eleva a fasquia para WXGA (1,280 x 768) ou 720p (1,280 x 720), o que significa que, finalmente  o Windows Phone 8 já permite ecrãs com resolução HD. No entanto, continua um pouco atrasado, já que no Android já começamos a ver ecrãs com resolução Full HD.

Outra grande novidade é a possibilidade de expansão da memória através do Micro SD, que não era permitido com as versões antes. Este é mais um ponto que verificamos que a Microsoft chegou tarde e que, só com o Windows Phone 8, começamos a ver uma versão do sistema operativo móvel “digno” de ser. Com esta versão, já poderá haver compartimento para MicroSD até 64GB. Por acaso, o dispositivo que temos para análise, o HTC 8X não tem compartimento para MicroSD, por isso não podemos experimentar.

Outra das novidades, esta não é tão clara, é a possibilidade do Near Field connection, que está em expansão em vários dispositivos móveis, sem ser nos dispositivos da Apple.

Mas a Microsoft é bastante específica e restrita em termos de hardware, não só nos processadores, como em tudo o resto. Em hardware há mínimos:

– processador tem de ser Qualcomm Snapdragon S4 dual-core
– Minimo de 512MB RAM para smartphones WVGA ou 1GB RAM para 720p / WXGA
– Pelo menos 4GB memória flash
– GPS e A-GNSS
– suporte a micro-USB 2.0
– compartimento para 3.5mm stereo
– Câmara traseira com flash LED ou Xenon, câmara frontal é opcional mas ambas têm de ser VGA ou melhor
– Wifi 802.11b/g e Bluetooth
– Suporte ao DirectX
– ecrã capacitivo Multi-touch com quatro pontos de toque simultaneamente

Mas não é só no hardware interno. Para ter o Windows Phone 8, um smartphone tem de ter os 3 botões conhecidos, “Voltar”, “Inicio” e “Pesquisa”, botão para ligar/desligar, volume +/- e um botão para a câmara.

No entanto, a Microsoft não começou muito bem na apresentação do Windows Phone 8, pois afirmou que esta nova versão não estaria presente nos smartphone com Windows Phone anterior. Ora, essa é a grande crítica ao Android, a diversificação de versões, bem como em termos de segurança, ao contrário da Apple, que atualiza os seu smartphones  pelo menos, duas versões. No entanto, sabendo a Microsoft isso mesmo, acredito que este seja a última vez que isso acontece, pelo menos garantindo a atualização para os smartphones com processadores mais poderosos, como acontece com o sistema operativo Android.

Interface e Live Tiles

Sem dúvida que a expansão da compatibilidade do Windows Phone 8 com o hardware é o principal destaque desta nova versão do Windows Phone, mas a interface também tem várias novidades, nomeadamente no Live Tiles.

Aliás, o Live Tiles e a sua interface Metro Modern UI é o grande destaque do Windows Phone, sendo o que difere para os outros sistemas operativos móveis. O Start Screen muito pouco difere da anterior versão, mas os Live Tiles estão mais personalizados. Enquanto, antes, não poderíamos mudar o tamanho das aplicações, à excepção das aplicações da Microsoft, agora é permitido que todos os Live Tiles sejam personalizados, sendo uma grande oportunidade para os programadores melhorarem as suas aplicações para poderem interagir no Start Screen.

A personalização vai, até, ao nível das cores do Modern UI, que podemos escolher as mais variadas e distintas possíveis, para condizer com a capa ou com o smarpthone. No caso do HTC 8X, que tenho para teste, como a parte traseira é azul, a interface vem com a cor azul pré-definida.

O Windows Phone 8 permite que possamos modificar a imagem de fundo do ecrã de bloqueio, a HTC, por exemplo, criou a possibilidade de vermos a meteorologia quando ligamos o smartphone, com uma imagem alusiva ao tempo da localização indicada, mas é permitido que os programadores criem outras coisas, como, por exemplo, uma aplicação que indique no ecrã de bloqueio os contactos quando o smartphone estiver perdido (essa aplicação já existe no Windows Phone Store). Ainda no ecrã de bloqueio, é permitido icons de notificações que são, nesta versão 8, expandidos aos programadores, permitindo que as aplicações também enviem notificações para este ecrã de bloqueio, que permite 5 icons de notificações.

Para mim, esta interface tem o melhor dos dois sistemas operativo mais utilizadores, a simplicidade do iOS e os Widgets que o Android permite no ambiente de trabalho. É verdade que não é tão simples como um nem o Live Tile é tão bom como o Widgets do outro, mas consegue juntar os dois grandes pontos fortes dos concorrentes no Windows Phone 8.

Office, One Note e Skydrive

Outra grande aposta da Microsoft é a integração do Office no Windows Phone. Esta integração é feita por todos estes serviços, que estão integrados uns nos outros, funcionando em conjunto.

No entanto, a Microsoft decidiu separar o One Note do Office e “ofereceu-lhe” uma Live Tile própria, continuando totalmente integrado com o Skydrive. O OneNote é ao estilo do EverNote, mas próprio para o Windows Phone que, ao comparar com o bloco de notas dos outros sistemas operativos móveis, acho bastante superior e funcional.

Por muitos editores de texto e tabelas que haja, nenhum é tão famoso e usado como o Office o que torna o windows Phone 8 bastante apetecível para as empresas. Mas, se pensa que poderá fazer tudo o que consegue no computador, engane-se e engane-se bastante. É que, apesar de não haver qualquer incompatibilidade entre os ficheiros feitos no computador e serem visualizados no Windows Phone, a edição é bastante limitada, mas bastante mesmo.

Alias, o próprio Office só tem 3 serviços disponíveis no Windows Phone, o Word, Excel e Power Point. Pelo menos a Microsoft escolheu os serviços mais usados, mas que servirão, principalmente, para visualização, do que para edição, já que só poderá efetuar pequenas alterações através do seu smartphone.

Xbox substitui Zune

Zune é uma marca do passado, que está a passar tudo para a marca da Xbox. Tanto que a Microsoft até lançou o Xbox Music, que substitui  na sua totalidade, o Zune. Tanto vídeo como música, a Xbox já oferece esse serviço. Mas não na sua totalidade no Windows Phone.

Ao acedermos à conta Xbox temos acesso a todas as nossas informações, nossas listas de músicas, músicas favoritas, vídeos favoritos, bem, praticamente tudo o que temos acesso na consola ou noutro dispositivo. Através da “nuvem” poderemos fazer download para o nosso dispositivo das músicas compradas, não é nenhuma novidade já que o iCloud já faz isso há algum tempo, mas o Windows Phone ainda não o fazia.

Acedi à versão de avaliação do Xbox Music Pass e fiquei bastante satisfeito, acesso a milhares de músicas a partir do meu smartphone, preferencialmente com uma ligação Wifi por causa dos dados, mas gostei imenso. É verdade que nunca usei um serviço desses e se calhar até pode não ser o melhor, mas com a chegada do Spotify a Portugal, talvez comece a usar mais este tipo de serviços. Em termos de jogos, também corre tudo lindamente. O problema é haver poucos jogos, mas isso é um assunto a tratar mais à frente.

Sem dúvida que os jogos são grandes impulsionadores das plataformas e a Microsoft criou aqui uma excelente plataforma para os jogos, portanto é uma questão de tempo até começar a haver mais jogos e a ganhar mais confiança nos programadores.

Área dos Juniores

Certamente que já está um pouco farto de emprestar o smartphone ao seu filho e, depois, ele desconfigurar isso tudo. Bem, a Microsoft resolveu isso, sem ser necessário uma nova atualização, parecido com o que acontece com o Android 4.2 Jelly Bean que já tem uma opção para ter ambientes de trabalho diferentes.

Esta nova área dos Juniores é como se fosse um ambiente de trabalho só para as crianças, permitindo que você escolha o que pretende partilhar com eles, como jogos, música, vídeos ou aplicações.

A configuração para esta área de juniores é bastante fácil. Terá de indicar quais são as aplicações, música, vídeos e jogos que quer disponíveis nessa área, depois terá que indicar um PIN para que os seus filhos não consigam aceder ao “seu” Windows Phone e está pronto. Para aceder a esta área, também é fácil, quando estiver a desbloquear o seu ecrã, arraste o dedo da direita para a esquerda e aparecerá a área dos juniores, que será desbloqueado da mesma forma, de baixo para cima. A área de juniores é tão personalizável que até pode ter uma cor de diferente do seu normal Windows Phone.

Depois, se quiser sair desta área de juniores terá de desligar o ecrã e voltar a ligar e meter o seu PIN, para desbloquear o seu smartphone para seu acesso.

Nesta área de juniores, a criança, ou quem tiver acesso a esta área, não poderá aceder ao browser nem a outras aplicações que você não indique. Também não tem de se preocupar com as aplicações ou jogos que permitem compras no jogo, essa funções estão automaticamente desativadas nas aplicações que acedam através desta área dos juniores.

Carteira e NFC

O Near Field Communication está a começar a aparecer, por defeito, em qualquer smartphone, quase como o Wifi está nos smartphones e o Windows Phone 8 é a primeira versão do sistema operativo que permite esta funcionalidade, a não ser o Lumia 610.

Infelizmente, não consegui testar o NFC como deveria, já que nem a HTC disponibiliza qualquer NFC Tag com o HTC 8X nem eu tenho outro smartphone com essa tecnologia para testar.

Mas o Windows Phone 8 já vem com uma excelente aplicação para explorar o NFC, que se chama “Carteira”. Esta aplicação junta o melhor dos dois mundos do iOS 6 e do NFC. Como indicamos quando analisámos o iOS 6, o iPhone 5 não vem com NFC e a aplicação Passbook junta os cupões e códigos QR para aproveitar descontos ou utilizar como cartão de embarque.

A aplicação “Carteira” junta a possibilidade de pagamento utilizando o NFC, juntando à sua conta um cartão de crédito ou uma conta PayPal para podermos efetuar pagamentos. Mas não servirá só para isto, esta aplicação permitirá adicionar cupões, bilhetes de avião, bilhetes de cinema, das mais variadas hipóteses que possa envolver vales ou papéis com códigos, fazendo o mesmo do Passbook no iOS 6.

Além disso, a Carteira também serve para comprar aplicações no Xbox Music ou na Windows Phone Store, como o Google Wallet.

Mapas e Bing

Como qualquer produto da Microsoft, tem que ter o Bing para pesquisar. O Bing não é tão popular como o Google, mas funciona decentemente como motor de pesquisa, sendo que, no Windows Phone 8, além do motor de busca para pesquisar na web, o fundo muda sistematicamente, sendo a imagem escolhida pelo próprio Bing. Uma funcionalidade interessante, nesta área de pesquisa, que se pode aceder ao carregar no botão “Pesquisar”, é que, ao carregarmos na imagem que parece um olho, temos acesso a uma funcionalidade chamada Visão Bing, que liga a câmara e permite ler QR Cores ou Microsoft Tags. Além disso, também poderemos procurar texto através da imagem e funcionou razoavelmente bem, demorando algum tempo já que utiliza a nuvem para perceber o texto da imagem e depois ainda permite fazer a tradução para outra língua. Uma funcionalidade bastante interessante que será uma excelente adição para quando visita um país estrangeiro.

A aplicação Mapas utiliza o software da Nokia, um excelente software de mapeamento que muita imprensa internacional encara com grande futuro e o melhor para fazer concorrência ao Google Maps, como software gratuito de mapeamento.

A aplicação Mapas funciona bem, mas tem alguns erros ao estilo do Apple Maps. No entanto, como já experimentei ambos, devo dizer que até o Mapas consegue ser superior ao Apple Maps, sem tantas inconsistências nas direções.

No entanto, tem os seus erros, que verifiquei mal comecei a experimentar o Mapas, pois na zona da minha casa enviou-me num sentido proibido  coisa que o Apple Maps também fez. Até é normal acontecer, já que esta mudança é “recente”, tem um ano, mas o Google Maps já tem estes sentidos atualizados, e a culpa é minha por morar numa zona “perto do fim do mundo”.

Uma excelente funcionalidade, que não encontramos com tanta facilidade nas outras plataformas, é que o Mapas no Windows Phone 8 permite que possa efetuar o download do mapa do país, no nosso caso de Portugal. O Apple Maps não permite, enquanto o Google Maps só permite fazer isso por zonas e não o país completo.

No entanto, o Mapas não tem um serviço de GPS por voz… Sim, é verdade, o Mapas é decente para pesquisar algumas localizações, saber onde fica a rua que está à procura, mas não serve como GPS. Dentro em breve deverá haver essa opção através do Windows Phone Store, mas é pena não trazer isso de origem, pois é uma funcionalidade essencial num smartphone.

Windows Phone Store

As lojas de aplicações são o grande impulso dos smartphones e o grande motivo porque os smartphone estão “na moda”. A App Store conta com mais de 900 mil aplicações, enquanto o Google Play conta com mais de 800 mil aplicações. O Windows Phone Store ultrapassou as 100 mil aplicações.

Um número ridiculamente pequeno em comparação com a concorrência e o Windows Phone com esta loja de aplicações não é assim tão recente e seria bom que começasse a ter mais aplicações disponíveis.

A loja de aplicações funciona normalmente, sem muito a acrescentar. A Microsoft melhorou a procura das aplicações, pois os resultados numa pesquisa tem em conta o ranking das aplicações, o crashes e o ranking de desinstalações, no entanto ainda falta uma zona de aplicações recomendadas, aplicações mais populares e outros, como podemos encontrar nos concorrentes.

Outra novidade é a permissão de pagamento dentro das aplicações, permitindo que os utilizadores possam utilizar mais métodos de pagamento, tal como indicado quando falamos na aplicação “Carteira”.

Câmara

A câmara no Windows Phone 8 é um software bom e com bastantes opções, quase tão bom como o do HTC One X, mas nada tem a ver com a HTC, desta vez, mas sim com o próprio sistema operativo. Apesar disso, o software da câmara pode ser configurável pela própria fabricante.

Para começar devo dizer que gostei que haja um botão para a câmara. Nos últimos smartphones de topo que têm sido lançados, é uma opção que tem sido “esquecida” mas que, a meu ver, dá muito jeito. Felizmente, a Microsoft não se esqueceu e é mesmo obrigatório, um smartphone que tenha Windows Phone 8 ter esse botão próprio para a câmara. Isso facilita a forma de tirar fotografia e continua com a opção de carregar no ecrã para fotografar.

Onde começo a ver coisas que não aprecio só preciso de ligar a câmara Não sei porquê, a Microsoft achou que o software não precisa de ter teclas de Zoom, obrigando o utilizador a usar os dedos para aumentar arrastando dois dedos de dentro para fora, o famoso pinching to zoom. Esta opção não consigo compreender, se o botão da câmara permite manter as duas mãos no smartphone segurando-o como deve ser, ao ser necessário os dedos para fazer zoom retira o objetivo do botão.

A grande novidade neste software é a funcionalidade “Lentes”. Isto é, simplesmente, a possibilidade de podermos utilizar a câmara com outras aplicações, desde uma aplicação simples para ler QR Codes, como um outro software de câmara que podemos efetuar download a partir da Windows Phone Store. Ao escolhermos essa opção, é indicado quais as aplicações que temos no nosso smartphone que permitem usar esta aplicação. No meu caso experimentei duas, Handyscan, que permite digitalizar documentos com a câmara e o ShutterPro, que é um software para a câmara, ambos gratuitos na Winbdows Phone Store.

A funcionalidade “Lentes” parece que é (per)feito para o Instagram ou o Twitter, com os seus novos filtros de imagem.

Internet Explorer 10

Um serviço Microsoft não poderia deixar o seu browser de fora e o Internet Explorer 10 está presente no Windows Phone 8. E devo dizer, com uma boa presença. O interface do IE 10 não sofre qualquer alteração, sendo igual ao IE9, as verdadeiras alterações estão no background do browser, com um melhor desempenho, melhor velocidade gráfica e maior suporte html5.

O IE10 vem com várias definições padrão amigáveis para o utilizador, como o “Do Not Track” e a utilização do SmartScreen, efetuando uma proteção contra sites não seguros no seu smartphone, tal como acontece com o IE10 para Windows.

O desempenho do browser é excelente, nos vários sites que utilizei. No entanto há algumas incompatibilidades, como a não leitura do flash nem de vídeos em html5, sendo que essa leitura poderá ser feita através do leitor multimédia presente no Windows Phone 8. Os separadores também são limitados, apenas podemos ter 6 separadores abertos.

Nos testes de desempenho que efetuámos ao browser, os resultados foram excelentes. No SunSpider conseguiu 895.9 ms, superior ao iOS 6, que tinha 938ms e era o melhor desempenho nos browsers. No html5test conseguiu 320 pontos, menos que o Safari que conseguiu 386 pontos.

Veredito

Sem dúvida que já começamos a ver uma versão do sistema operativo da Microsoft que está num bom caminho para fazer uma concorrência mais direta ao iOS e ao Android. O grande problema da Microsoft foi chegar tarde ao mercado, no entanto o poder da Microsoft é enorme e é grande a evolução que tem dado ao seu sistema operativo móvel.

É verdade que o Windows Phone não tem mudado muito desde a introdução do interface Metro Modern UI, sendo que a grande novidade é o suporte ao hardware, que tem melhorado a cada atualização, isso é que faltava ao Windows Phone para começar a concorrer com os topos de gama no mercado.

Como já disse, para mim o Windows Phone tem um excelente futuro pela frente, já que tem o melhor dos dois mundo, a simplicidade do iOS e os widgets do Android. Simplicidade porque em apenas duas janelas temos os Live Tiles e as aplicações, ao estilo do iOS. No entanto, poderia ser melhorado, já que não se percebe, ao estar nas Live Tiles, que temos de arrastar do dedo para a esquerda para aparecer as aplicações do lado direito, só mesmo no final dos Live Tiles.

Dando o exemplo que dei no iOS 6, a minha mãe quando pegou no iPhone rapidamente percebeu como se utilizava e como tinha de fazer para ver as outras janelas, já que o mesmo é percetível na parte de baixo do sistema operativo. No Windows Phone 8 já tive que lhe dizer que se arrastar o dedo vai ter mais opções e, a partir daí, já lhe foi fácil perceber como funcionava. Nem falo do Android, já que precisa de um pouco mais de aprendizagem, não sendo tão intuitivo para quem nunca o usou.

Quando aos widgets que temos presentes no Android, temos uma “imitação” no windows Phone 8 com os Live Tiles que fornecem informação em tempo real, como os emails, mensagens ou telefonemas em espera. Podemos dizer que é isto que falta ao iOS para que o sistema operativo da Apple seja “perfeito”.

O grande problema do sistema operativo móvel da Microsoft continua a ser as aplicações, neste caso a falta delas. É que a loja de aplicações do Windows Phone ainda está muito fraca, com muito poucas aplicações. É verdade que tem crescido, mas ainda falta muitas das principais aplicações que estamos habituados a usar no iOS e Android, por ex. o Dropbox ainda não existe. Também acredito que a falta de aplicações seja colmatada com o tempo, já que com o aumento de dispositivos com Windows Phone, certamente que os programadores também irão criar mais aplicações para o sistema operativo.

Pontos a Favor:

– Excelente ambiente de trabalho/Live Tiles

– Browser com excelente qualidade e fluidez

– Microsoft Office, apesar de limitado

Pontos Contra:

– Loja de aplicações muito fraca

– Sem sistema de navegação por GPS

– Não estará disponível para smartphones anteriores

Sem dúvida que o Windows Phone ainda está um pouco longe de estar perfeito, mas também temos de perceber que já está num excelente caminho para poder rivalizar com os concorrentes iOS e Android. O investimento mais sério por parte da Microsoft no Windows Phone só peca por chegar tarde, no entanto também oferece coisas boas, já sabemos o que os utilizadores mais gostam, por isso é mais fácil fazer um sistema operativo “à medida”.

13 COMENTÁRIOS

  1. Excelente análise. 100.000 aplicações só são poucas quando comparado com os números da app Store ou da Play Store. Continuação do bom trabalho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here