Análise Wiko ufeel: um design diferente

A Wiko sempre se destacou por lançar smartphones low-cost, sendo que tem ganho muitos adeptos e as vendas têm corrido bem. No ano passado, decidiram ir por outra vertente, além de adicionarem algumas novidades, como o sensor de impressões digitais, decidiram ter designs mais arrojados, como imitações de pele. Será que conseguiram impressionar?

Especificações
Design e ecrã
Desempenho
Câmara
Veredito: Wiko ufeel

Alguns dos smartphones disponíveis no mercado:

A Wiko é uma fabricante francesa, sendo que estes equipamentos já estão no mercado há algum tempo. O ufeel destacou-se por serem os primeiros equipamentos da fabricante com sensor de impressões digitais, mas também são diferentes na área do design.

O destaque continua a ser a qualidade-preço, sendo que por 200€ torna-se uma boa opção e já com várias funcionalidades que pretendemos num smartphone.

Especificações

  • Dimensões: 8.55 x 143 x 70.7 mm
  • Peso: 145 g
  • Sistema Operativo: Android 6.0 Marshmallow com Wiko UI;
  • Ecrã: 5” HD; 2,5D
  • Câmara Traseira: 13MP
  • Câmara frontal: 5MP
  • Processador: Mediatek MT6735 octa-core a 1,3GHz
  • GPU: ARM Mali-T720
  • Memória RAM: 3 GB;
  • Armazenamento interno: 16 GB;
  • Dual SIM
  • MicroSD até 64GB
  • Ligações: jack 3,5 mm jack
  • Sensores: impressões digitais; sensor de brilho; sensor de luz ambiente;
  • Conetividade: Wi-Fi 802.11 b/g/n, WiFi Direct
  • GPS: A-GPS,
  • Bluetooth 4.0;

De destacar um sensor de impressões digitais, que já é quase “obrigatório” nos smartphones.

Em termos de acessórios tem um carregador de parede, um cabo USB-MicroUSB e uns auriculares. O nosso modelo ainda veio com uma capa inteligente, que também é interessante.

Design e ecrã

Em termos de design, o smartphone não é diferente de muitos equipamentos, sendo que apenas a parte traseira do equipamento tem uma sensação diferente do habitual. Pessoalmente, parece-me cartão mais suave, o que é diferente da maioria dos smartphones e é mesmo só isso que se difere este equipamento.

Na parte frontal temos o botão Home com sensor de impressões digitais, os vários sensores, um flash e a câmara, sendo que na parte de baixo temos o microUSB e na parte de cima  o jack para auriculares. Do lado direito temos os botões de ligar/desligar e os botões de volume, enquanto do lado esquerdo não temos nada. Na parte de trás temos a câmara , o flash e as colunas.

No caso do Wiko ufeel é possível tirar a capa traseira, onde percebemos que apesar da sensação, a parte traseira não deixa de ser plástico. Mas não fique já super contente por poder aceder à parte interior do equipamento, já que apenas tem acesso aos compartimentos do SIM e do cartão microSD. A possibilidade de trocar a bateria é apenas um visão.

A Wiko também quis ser um pouco diferente, apesar de ser uma fabricante low-cost, e lançou capas inteligentes para o seu smartphone. Não é inovador, mas é mais uma experiência para o consumidor.

Em termos de ecrã, temos apenas HD, no entanto o seu desempenho é satisfatório. Conseguimos visualizar de vários ângulos e também com luz intensa. No entanto, por este preço já encontramos smartphones com resolução Full HD, portanto este aspeto pode ser considerado menos positivo.

Desempenho

Como a maioria dos smartphones hoje dia, o desempenho do mesmo é razoável e suficiente para a maioria dos utilizadores e este novo Wiko uFeel não é diferente. Durante a nossa utilização não notámos quaisquer engasgos ou lags durante a utilização, no entanto também não pode contar que isto fará tudo o que es´ta habituado a fazer rapidamente em smartphones topo de gama.

Em termos de testes de desempenho conseguiu 29042 pontos, enquanto no Geekbench conseguiu 552 em single-core e 1545 em multi-core. Como seria de esperar, resultados modestos.

Olhemos para o sistema operativo e, pelo menos, este equipamento já conta com o Android 6.0 Marshmallow, o que é a versão anterior do sistema operativo móvel. No caso da Wiko, a empresa utiliza uma interface própria que não é muito do nosso agrado.

Já em equipamentos anteriores da Wiko temos referido que não gostamos muito do design que eles escolhem, achamos demasiado colorido, então com o fundo que vem de base no equipamento, torna-se bastante confuso e difícil de perceber quais os ícones. Além disso, alguns ícones têm designs próprios, o que se torna necessário uma habituação para compreendermos a que ícones se referem.

Felizmente, a Wiko adiciona algumas funcionalidades interessantes, como o duplo toque no ecrã para ligar o equipamento, ou alguns gestos inteligentes para ligar aplicações.

O sensor de impressões digitais finciona bastante bem. Felizmente, a Wiko não adicionou esta funcionalidade assim que começaram a surgir os primeiros equipamentos já que estes também tinham alguns problemas. Assim, deu tempo para escolher um sensor que funciona bastante bem e não necessitamos de carregar no botão primeiro, antes de ler a nossa impressão digital, como acontecia com os Samsungs e os iPhones.

Com este sensor, também é possível definir cada impressão digital para abrir uma aplicação especifica,  o que poderá ser interessante para alguns utilizadores.

Em termos de autonomia, é o esperado, já que com uma utilização moderada conseguimos dois dias de utilização, enquanto numa utilização mais exaustiva do equipamento teremos de o carregar todos os dias.

Câmara

A Wiko equipou este uFeel com uma câmara de 13MP traseiros e 5MP frontais. Como seria de esperar da câmara frontal, é o suficiente para as selfies normais e com luz. A câmara traseira também tem qualidade suficiente para satisfazer a maioria dos utilizadores.

No entanto, quando temos grandes diferenças de luz ou pouca luminosidade, nesse caso teremos a nossa vida dificultada e as fotografias não serão tão boas como gostaríamos. Mas, também, não podemos querer uma qualidade de topo, por um smartphone que custa 199€.

Segue algumas fotografias captadas com o Wiko ufeel e pode ver as imagens originais na nossa galeria do Flickr:

Veredito: Wiko ufeel

O Wiko ufeel é um smartphone que não impressiona, mas é uma boa opção nesta gama de preço que se encontra. Tem um design diferenciador, com várias opções, além de uma opção interessante com capas inteligentes.

O que menos gostei neste equipamento é a interface, que a acho demasiado colorida e por vezes confusa. Felizmente que assim que acedemos às aplicações, elas são bastante familiares e iguais ao Android original. O ecrã ser HD também é menos positivo, pois já se encontra smartphones nesta gama de preço com Full HD.

Pontos a Favor:

  • Design diferenciador
  • Sensor de impressões digitais
  • Capas inteligentes

Pontos Contra:

  • Interface da Wiko
  • Ecrã apenas HD

Desde já agradecemos à Wiko por nos ter disponibilizado o Wiko ufeel para teste. Pode ser adquirido nas lojas de retalho por 199€. Segue-se a nossa galeria de fotos.

Veja também...

Deixe o seu comentário