Análise Samsung Galaxy S7 Edge: O que um telefone pode fazer

Galaxy S7 Edge (8)

Tivemos o prazer de analisar o Galaxy S7 na sua versão Flat. Hoje, trazemos o belíssimo S7 Edge. À primeira partida é difícil de distinguir entre esta versão e a anterior, mas depois de mexermos um pouco no novo topo de gama da Samsung, ficamos rendidos.

Índice

Características e acessórios
Design e ecrã
Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito Samsung Galaxy S7 Edge

Características e acessórios

Galaxy S7 Edge (6)

Redefina o que o telefone pode fazer. Começou assim o slogan que despertava a curiosidade de quem já esperava uma nova geração de smartphones da Samsung. Foram feitas algumas alterações, desde superficiais a profundas, o que é certo, é que qualquer semelhança com a geração anterior é pura coincidência.

Começamos pela embalagem em que o S7 Edge vem acondicionado. Com um novo formato tipo “livro” com íman que sela a caixa, faz jus a uma geração de topo, que era o que o S6 pretendia ser, tal como a nova geração S7. Os acessórios incluídos, para além do já famoso carregador rápido de 2Ah, estão os auscultadores de alta qualidade, semelhantes ao do S6, porém com uma embalagem nova. Foi ainda incluído um conversor de USB para Micro-USB. Com isto, a Samsung incentiva cada vez mais os seus seguidores a usarem os seus Smartphones como verdadeiros PC’s de bolso.

Galaxy S7 Edge (1)

Agora um olhar mais profundo pelo que de melhor se vez a nível de Hardware. Começando pelo processador que é um Octa-core de 64Bits (Quad-core 2.3 GHz Mongoose + quad-core 1.6 GHz Cortex-A53), 4GB de RAM, 32GB de memória interna (a versão testada, existe também a versão de 64GB), a processar os gráficos temos o Adreno 530. Foi adicionada nesta versão um slot de expansão micro-SD que poderá colmatar a falta de espaço no dispositivo (apenas para dados de utilizador como musicas, fotos e vídeos. Não é possível instalar APPs)

Continuamos a ter um ecrã de 5.5” com resolução de 1440×2560 pixels do género Super AMOLED, com proteção Gorilla Glass 4. O fato de o ecrã ser curvo será analisado mais à frente. Uma das novidades ainda relativamente ao corpo do S7 Edge é este cumprir a norma IP68. Não só é resistente à água, mas também a poeiras.

Segue uma tabela com as características principais:

caract s7 edge

Design e ecrã

Galaxy S7 Edge (5)

Costuma-se dizer que gostos não se discutem. Mesmo assim posso afirmar que ninguém fica indiferente ao ecrã curvo do Galaxy S7 Edge. A Samsung afirma que no processo de fabricação deste novo topo de gama, utilizou uma nova tecnologia, capaz de conferir um toque único para o utilizador final. A tecnologia de termomoldagem 3D utilizada consegue fundir na perfeição o vidro curvo para que este se ligue de forma única e precisa à liga metálica no rebordo.

O próprio ecrã continua igual a si mesmo. Difícil de igualar a qualidade dos Super AMOLED, o Galaxy S7 Edge prima pela profundidade das cores, a nitidez dos detalhes e o contraste elevado em contraluz. Apresenta uma resolução QuadHD e uma densidade de 534ppp.

Galaxy S7 Edge (2)

Mas toda a bela tem o seu senão. Já tinha ficado com essa sensação com o S6 Edge e manteve-se na unidade que hoje testamos. Por vezes torna-se difícil segurar no telefone de forma precisa sem tocar nos seus rebordos curvos. Por variadas vezes, quando queria tirar fotos, havia uma parte da mão que tocava no ecrã o que acionava acidentalmente uma qualquer função, o que me deixou frustrado.

Com o novo Android 6.0, foi otimizada a utilização do ecrã curvo. Quer seja pela maior interatividade com as funções disponíveis, quer com alguns pormenores deliciosos. Por exemplo, a uma hora definida, podemos ter um relógio de luz reduzida nas laterais, o que nos dá um belo despertador noturno na mesa de cabeceira.

Neste design renovado foi incluída uma das capacidades que mais valorizo num telefone. Não se compreendeu porque na edição 6 foi retirada a norma que permitia que o telefone ficasse estanque à água. A geração 5 tinha e foi um sucesso, foi um erro de casting pensamos. Mas nada foi pensado ao acaso neste S7 Edge. Resistente à água e ao pó. Mas apenas isso. As leis da física são difíceis de ultrapassar e por isso mesmo, se estiver debaixo de água ou mesmo com chuva forte, dado que não há um botão físico dedicado para fotografar, vai ser difícil de captar aquele momento.

Galaxy S7 Edge (11)

Manteve-se o botão com sensor de impressões digitais. Posso dizer que tive mais sucesso nos desbloqueios neste S7 Edge que tivemos no S7. Tal pode ter-se ficado a dever a fatos variados. Humidade do dedo, temperatura ambiente, pó, etc. Posso dizer que no meu caso ficou perto dos 100%.

Na parte traseira, continua presente o sensor de batimentos cardíacos, e de O2, bem como o foco por laser para auxiliar a câmara.

Continuamos a ter a luz de led com várias cores que nos avisam de notificações pendentes. Pode parecer algo bastante inútil, mas quem tem esta função e pensa comprar o S7 Edge, vai ficar feliz por saber que ela se mantém. Poupa bastante bateria com desbloqueios despropositados.

Desempenho

Galaxy S7 Edge (19)

Soberbo. Parece um pouco exagerado começar assim um parágrafo, mas foi essa a sensação que ficámos. Já analisamos bastantes telefones, mas este surpreendeu. Se por vezes a utilização não nos dá a verdadeira ideia da capacidade de processamento dos nossos equipamentos, não há nada como fazer testes. Em quase todos os testes, saiu com uma nota excelente. Se compararmos com a geração anterior, temos uma diferença de pontuação que pode chegar aos 40% mais a favor do S7 Edge.

Os 4GB de RAM desde S7 Edge combinados com uma melhor gestão da memória do Android 6.0, fazem com que nos esqueçamos sequer que o telefone precisa de RAM para operar. Sempre que falo com alguém sobre telefones, a opinião é unânime. Gostam de Android, mas iOS dá menos problemas. Trava menos, dizem. Posso dizer que com estas novas gerações de telefones, o S7 Edge em concreto que hoje analisamos, essa teoria fica “arrumada na gaveta”. Não há jogo que não corra, preocupação com o número de aplicações abertas é coisa que não há.

Seguem os gráficos comparativos de desempenho:

teste S7 Edge

Seguem as capturas de ecrã dos testes:

O espaço disponível no S7 Edge foi criticado por alguns pois a sua maior versão, com 64GB parece ser demasiado pequena para alguns consumidores. A pensar nisso (e não se compreende porque não foi assim no S6), a Samsung incluiu uma bandeja que permite expandir a memória do dispositivo, através de um cartão micro-SD. Para manter a velocidade e fiabilidade do dispositivo (visto que os cartões são mais lentos que a memoria interna), a Samsung bloqueou essa funcionalidade apenas para armazenar dados, o que não inclui aplicações. Sejamos sinceros, se guardarmos fotos, vídeos e musicas num cartão Micro-SD, quem poderá precisar de mais memória interna? Pelo menos por enquanto, parece ser que chegue.

Galaxy S7 Edge (24)Duas funções que estavam presentes no S5, houve duas que foram abolidas deste S7 Edge. Os infravermelhos e o rádio FM. Pode parecer que é algo que já ninguém usa, mas sou sincero, uso atualmente o S6 e os infravermelhos dão-me bastante jeito no dia-a-dia. Qualquer televisão, projetor, box fica controlável desde o nosso Samsung. O rádio FM em Portugal tem muita presença. Cada vez mais as marcas tentam abolir a sua utilização, “empurrando” os consumidores para soluções de utilização online. Alimenta-se assim o mercado das operadoras que vendem dados e das empresas que disponibilizam os conteúdos, na sua maioria pagos.

Dos testes que fizemos de resistência à água, o S7 Edge saiu ileso. Comporta-se de forma desgovernada quando molhado o ecrã e este se encontra desbloqueado, mas é uma questão de física que é incontornável (pelo menos por enquanto).

Uma das melhorias incluídas nesta nova versão do S7 Edge, é a bateria. Parece quase inesgotável. Durante uma semana de um roteiro pela Europa, todos os dias tirei pelo menos uma centena de fotografias, utilizei o GPS, bem como Wi-fi e dados. Os 3600mAh nunca me deixaram ficar mal e cheguei sempre ao final do dia com bateria a sobrar.

Câmara e Multimédia

Pouca Luz S7 Edge (9)

Tivemos a oportunidade de testar o S7 Edge fora de portas. Num pequeno roteiro pela Europa, recolhemos fotos na Alemanha, Republica Checa e Eslováquia. As diferenças entre a antiga geração, fazem-se notar. E muito.

Começamos pela resolução. Para quem pensa que ir para os 12MP foi um retrocesso em relação à câmara anterior, está enganado. Com este novo sensor, conseguiu-se uma distância focal equivalente a 26mm onde antes tínhamos 28mm. Consegue-se assim no mesmo sitio, ter mais informação disponível em cada imagem. Ideal para fotos de grupo. A abertura também mudou. É agora de f1.7. A diferença em relação à de f1.9 do S6 é a sua capacidade de tirar fotos em ambientes pouco iluminados sem utilização de tripé.

Galaxy S7 Edge (18)

A câmara frontal é bastante parecida, mas a abertura foi também reduzida para f1.7. Mantém-se a resolução de 5MP e a distância focal de 22mm.

O mais difícil desta viagem é escolher as imagens que melhor descrevem a qualidade da câmara do S7 Edge, mas aqui ficam algumas das melhores:

Algumas fotos em ambientes mal iluminados ou em contraluz:

O facto de ter um processador potente também ajuda na hora de fotografar. Deu-nos um gozo imenso fazer as chamadas panorâmicas. Onde alguns telefones que já testámos se queixam, o S7 Edge realiza com fluidez e precisão esta função.

Seguem algumas dessas fotos:

Veredito Galaxy S7 Edge

Galaxy S7 Edge (9)Mais uma vez a Samsung acertou. Com um look similar à fórmula de sucesso do S6 Edge mas com um leque de novas funções e novidades que fazem deste um dos melhores telefones disponíveis no mercado. Seja pelo processador potente, a RAM que nunca mais acaba ou a câmara renovada, tudo são bons motivos para se ter um S7 Edge.

A utilização do ecrã curvo, apesar de divertida, pode em alguns momentos tornar-se incomodativa e esse é um ponto negativo. Fora isso temos muitas horas de diversão, graças à bateria muito maior e uma gestão mais eficiente dos Amperes disponíveis.

Pontos a favor:

  • Qualidade do ecrã
  • Bateria
  • Potente

Pontos conta:

  • Sem IR, Sem rádio FM
  • Ecrã curvo pode ser difícil de utilizar

Aproveitamos para agradecer à Samsung a cedência do Galaxy S7 Edge para testes. O mesmo pode ser encontrado no mercado nacional, desbloqueado e na versão que testámos de 32GB, desde 829,99€.

Segue a habitual galeria de fotos do dispositivo:

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here