Análise: Nexus 7

Red Magic 3S

Foi no passado dia 30 de outubro que o tablet de 7 polegadas da Google chegou a Portugal. A Asus, fabricante do tablet, disponibilizou-nos para análise. Quer saber a nossa opinião?

O Nexus 7 iniciou a entrada da Google e da sua gama Nexus no mercado dos tablets, pela mão da Asus, fabricantes deste tablet de 7 polegadas. Foi no dia 27 de junho que o Nexus 7 foi apresentado ao mercado.

Este tablet marcou pela diferença de preço em comparação com outros topos de gama, mas com um hardware topo de gama. Sim, o preço estava marcado para os 199 dólares, com um hardware de topo de gama, como um processador Nvidia Tegra 3, 1 GB de RAM e um ecrã com uma resolução HD de 1280 x 800. Na altura, como agora, todos os dispositivos com estas definições não custam menos de 400€, mas não é o que acontece com este dispositivo.

Entretanto, no passado dia 29 de outubro, a Google anunciou novos dispositivos, bem como uma remodelação dos tablets Nexus 7, para melhor. Aumentou o armazenamento, manteve os preços e mostrou uma versão com 3G. Este anúncio também trouxe para Portugal o Nexus 7 com 32GB por 249€. Sim, tão pouco pelo hardware indicado. é verdade que também lhe falta muita coisa em comparação com tablets topo de gama da Asus ou da Samsung, mas será que vale a pena? Vamos ver já de seguida.

Características e Acessórios

o Dimensões: 198.5 x 120 x 10.45mm
o Peso: 340g
o Sistema Operativo: Android 4.2
o Memória: 32GB de memória interna (Sem MicrosSD)
o Dimensão do ecrã: 7”
o Resolução: 1280 x 800 p (216ppi)
o Câmara Frontal: 1.2MP
o Processador Nvidia Tegra 3 a 1.2GHz
o GPU: GeForce de 12-cores
o RAM: 1GB
o Bateria: 4325mAh

Sem olhar ao preço e “somente” ao hardware, não ficamos muito impressionados. É verdade que já tem um Nvidia Tegra 3, com a tecnologia de 5 processadores, fazendo com que o quad-core só funcione quando é realmente necessário e há um “extra” para funcionar na maioria das situações, como email ou aceder à internet. o poder de processamento também não é “incrível”, roda a 1,2GHz, quando há smartphones com mais potência, como o LG Optimus 4X HD. Mas continua a ser um dos melhores processadores do mercado e um processador quad-core.

Aqui também já temos pontos negativos e positivos. Devo dizer que me agrada bastante que o Nexus 7 não tenha câmara traseira. Sinceramente, um tablet não é para tirar fotos e para que pagar mais por uma câmara traseira de 8MP que “raramente” vamos usar? Claro que há sempre pessoas que vão usar, mas no geral, certamente que a câmara traseira é dispensável. No entanto, a ausência de MicroSD é desapontante. Claro que sabemos que o objetivo deste tablet é chegar com o melhor preço ao mercado, logo há que dispensar algumas especificações “menos” importantes, mas um MicroSD dá bastante jeito, nomeadamente num tablet com este processador e esta resolução de ecrã, para vídeos e jogos que ocuparão bastante espaço, obrigado-nos a uma gestão do espaço (ou a comprarmos uma versão com mais espaço?). No entanto, 32Gb é bastante espaço, certamente mais que suficiente para a maioria das pessoas.

A caixa do Nexus 7 é a suficiente, mas com duas “capas”, o que é desnecessário. Além da capa inicial, onde temos na parte da frente a imagem do Nexus 7 e na parte de trás as principais especificações, temos uma outra capa, esta desnecessária. A “segunda” capa é mais grossa e ao abrirmos temos o tablet Nexus 7. Por baixo do tablet temos uma caixa pequena com os acessórios e o livro de instruções. Aqui também percebemos que temos um tablet low-cost. Só temos um cabo USB-MicroUSB e um tomada de parede, sem auriculares nem mais nada. Mas não nos surpreende, tendo em conta o seu preço e o seu hardware, há coisas que têm de ser retiradas para conseguir introduzir no mercado um tablet com este hardware a um preço tão competitivo.

Design e funcionalidade

Fiquei bastante satisfeito com o design do Nexus 7, apesar de não ser surpreendente nem uma peça de design rara, satisfaz o “gosto dos olhos”. A parte da frente tem o ecrã de 7 polegadas e a câmara na parte de cima sem qualquer botão físico, enquanto a parte de trás tem uma saliência com pequenos “buracos” que aderem à mão e inspiram confiança e resistência, não parecendo nada frágil. Na capa de trás temos os logótipos da Nexus e da Asus, sendo que a coluna de som está por baixo do logo da Asus.

Na parte de cima não há nada, enquanto na parte de baixo temos o MicroUSB e uma saída de 3,5mm para auriculares. Sim, apesar de a Google não disponibilizar uns auriculares, disponibilizou, pelo menos, essa possibilidade para o cliente, o que é bom. Na parte esquerda só temos um conector magnético para acessórios, enquanto na parte direita é onde temos os únicos botões deste Nexus 7, o botão de ligar/desligar e o botão de volume +/-.

Interface e Desempenho

Quanto ao interface do Nexus 7 não há muito que falar, tem o interface base do Android, que é não tem sofrido, praticamente, nenhuma alteração desde o Android 4.0 ICS. O Android 4.2 Jelly Bean continua simples e intuitiva, no entanto poderia ter mais alguma possibilidade de personalização, como alguns dos interfaces das fabricantes já possibilitam. No entanto, eu sou grande fã da interface original, por isso tive um grande gosto a usar o Nexus 7.

Como é um Nexus, tem a atualização mais recente, com algumas novidades, que já indicamos num artigo de análise ao Android 4.2, por isso não vou falar sobre o sistema operativo, a não ser para apontar um dos grandes aspetos positivos de comprar dispositivos Nexus. com o Nexus 7 foi introduzido o Android 4.1 Jelly Bean e já tem o Android 4.2. Ao comprar ainda vem com o Android 4.1.2, mas basta ligar-se à internet e ir às configurações para atualizar o tablet, que já está disponível. É que os dispositivos Nexus são sempre os primeiros a terem as atualizações, pois a Google disponibiliza logo para os seus dispositivos e, só depois os envia para os fabricantes, além de depois necessitar de serem configurados para cada dispositivo.

Para mim, este é o grande e principal aspeto positivos dos dispositivos Nexus, recebem sempre primeiro as atualizações e são atualizados durante, pelo menos, 2 versões. Basta olharmos para o mais antigo que já não vai receber o Android 4.2, o Nexus S. Apesar de o Nexus S não receber o 4.2, começou a ser comercializado com o 2.3 e recebeu mais duas atualizações, o 4.0 e o 4.1, o que lhe conferiu 3 gerações de versões do sistema operativo, o mesmo que deverá acontecer com os dispositivos Nexus. No entanto, isto não acontece com as fabricantes, por exemplo o Galaxy S, praticamente as mesmas especificações que o Nexus S só recebeu até ao Android 4.0.

Agora o desempenho do Nexus 7. Não poderemos dizer que é excelente, tendo em conta o que já há no mercado, mas se tivermos em conta o preço, é simplesmente excelente. Um dispositivos por 249€ com este desempenho é mesmo excelente. Usamos os testes de desempenho normais, o AnTuTu, o Quadrant, o Vellamo e o GLBenchmark Egypt 2.1 Classic.

O AnTuTu conseguiu 10593, ultrapassando o Transformer Prime, ficando atrás do Galaxy Note 2 e o HTC One X+, enquanto Vellamo conseguiu 1348, atrás de Xperia S ou S III, mas à frente do Optimus 4X HD. O resultado do Quadrant foi de 3572, abaixo do Prime e do HTC One X, e o GL Benchmark 2.1 marcou 55fps. Agora, um quadro comparando o Nexus 7 com o Optimus 4X HD, o Galaxy S III, com o Transformer Prime e o Nexus 7 com Android 4.0, estes dois últimos são números do Engadget.

Neste quadro poderemos comparar os resultados com alguns concorrentes e com o próprio Nexus 7, quando ainda tinha a versão anterior, mas o resultado do Vellamo deixou-me intrigado. Efetuei o teste várias vezes e o resultado foi sempre similar.

Neste quadro verificamos que no teste de desempenho Quadrant os valores são espetaculares. Superiores ao Nexus Prime, superiores à versão anterior e só um pouco inferiores ao Galaxy S III, um resultado excelente. No AnTuTu, os resultados também são excelentes. Vemos um claro aumento de desempenho em relação à versão com Android 4.2 e uma superioridade um pouco superior ao Prime. Na comparação com o Galaxy S III é que já há diferenças. No teste Vellamo é que os resultados me surpreenderam, pois foram piores que na versão com Android 4.1, sendo que a comparação com os outros foi a pior. Presumo que este resultado tenha sido por alguma configuração do novo Android 4.2, que certamente será melhorado assim que sair uma atualização. No GL Benchmark os resultados são excelentes, pouco inferior ao Galaxy S III, mas com valores superiores a outros smarpthones com o Tegra 3 e processamento superior. O HTC One X conseguiu 54fps e o LG Optimus 4X HD conseguiu 51fps.

O uso da bateria foi excelente. Sim, excelente, tendo em conta que “só” tem 4325mAh. No primeiro dia que o recebi fui obrigado a ligar ao carregador por duas vezes. Sim, instalar aplicações, experimentar, ver vídeos no YouTube em vários formatos de resolução, uns HD outros Full HD, depois jogar, vários jogos diferentes, não aguentou como seria de esperar. Mas, assim que o comecei a usar normalmente, ver um vídeo ou outro, jogar um pouco GTA 3, ligar à internet, visualizar o site, atualizar algumas notícias e mais algumas experiências, conseguiu que aguentasse 4 dias sem ir à carga. No total, deveria ter usado umas 2 horas por dia, o que foi um desempenho bastante satisfatório. Sim satisfatório, pois não podemos nos esquecer o preço do Nexus 7.

Câmara e Multimédia

Bem, a câmara mal foi testada. Para começar, o Nexus 7 nem sequer tem uma aplicação para a câmara. Não estou a brincar, não. Como o Nexus 7 não tem câmara traseira, a Google nem se preocupou em introduzir esta aplicação, mas não senti falta dela. Volto a referir o que disse em cima, um tablet não é o indicado para tirar fotografias e estar a pagar por uma especificação de hardware que raramente vou usar, não me agrada, por isso achei excelente esta ideia de a Asus e a google não meter câmara traseira, a câmara frontal é que é importante para um tablet, devido às videochamadas. Numa comparação com um computador portátil, vocês pensam em usar um netbook para tirar fotos?

Numa videochamada através do Skype, a câmara de 1,2 MP comportou-se como o esperado e como em qualquer chamada através do Skype. Não poderemos comparar a qualidade do FaceTime HD da Apple, mas já se está a evoluir um pouco mais, comparado com os smartphones anteriores que tinham câmaras frontais VGA.

Quanto à Multimédia fiquei deliciado. Volto a dizer que temos de comparar o que nos é “oferecido” com o preço que pagamos. Onde é que conseguimos encontrar, no mercado português pelo menos, algum tablet que tenha resolução HD com um Tegra 3 por 249€? E em Portugal é que não temos a versão de 16GB à venda, senão custava 199€, o que era ainda melhor.

Em vídeo não vacilou em qualquer momento, nem em vídeos com qualidade Full HD. Nos jogos, também não, até experimentei o Dead Trigger, um jogo gratuito no Google Play que está optimizado para tirar o máximo partido do Tegra 3 e não encontrei nenhuma diferença entre este e o HTC One X ou o Optimus 4X HD, dispositivos que já analisámos com o mesmo processador.

Um problema que me “irritou” foi a barra dos botões, com os botões voltar, início e tarefas, estar sempre presente. Sim sempre mesmo, até nos jogos, o que faz com que o “suposto” ecrã de 7 polegadas acabe por não o ser devido a esta barra, mas é uma configuração do Android que já está presente desde o Android 4.1, mas esperamos que venha a ser corrigida. Pelo menos, nos vídeos, a cor branca dos botões desaparece e fica uns pontos, o que faz com que consigamos ver os filmes sem esta cor a incomodar-nos, mas podermos aceder a eles se precisarmos.

Quanto ao browser, temos o Chrome na predefinição e gostei bastante, Bastante fluído e sem problemas nenhuns. Como de esperado, é para esquecer os vídeos Flash, já que a aplicação já não tem suporte por parte da Adobe, no entanto ainda é possível encontrarmos na internet o ficheiro de instalação ou, então, usarmos outro browser que leia estes ficheiros através do servidor deles e, depois, nos enviem para nós.

Veredito

fiquei convencido. Se procuram um dispositivo Android com uma qualidade acima da média e com o preço mais barato, esta a única hipótese e não há concorrente possível. Os outros tablets “low-cost” não chegam nem perto da qualidade de hardware deste tablet, além de nos oferecer uma coisa que poucos dispositivos nos oferecem, um Nexus que sabemos que vai receber atualizações assim que estiverem disponíveis  o que nenhuma fabricante nos pode oferecer. Para mim, só este fator já convence, então aliado a estas caraterísticas de hardware, temos a melhor qualidade/preço do mercado. Os testes de desempenho mostram isso mesmo, superior, em alguns aspetos, a dispositivos que custam mais do dobro do preço.

Resumindo, o Nexus 7 tem um Tegra 3, 1GB de RAM um ecrã com resolução HD, 32GB de RAM e a custar 249€, tem tudo o que pretendemos quando procuramos um dispositivos destes. É verdade que não é perfeito e que podia ter alguns melhoramentos, mas concorrentes ao Nexus 7, só o Kindle Fire HD, que não está à venda em Portugal, ou o iPad mini, que custa 349€ .

Pontos a Favor:

+ Android 4.2 e garantia de atualizações

+ Tegra 3 e 1GB de RAM

+ Preço

Pontos Contra:

– Não tem compartimento MicroSD

– Poucas aplicações optimizadas para tablet

– Não tem câmara traseira (Algumas pessoas acharão isto negativo)

O Nexus 7 é fabricando pela Asus e já está à venda em Portugal na versão de 32GB de armazenamento por 249€, disponível nas principais lojas de retalho. Garantidamente, não há melhor na concorrência, por tão baixo preço. Obrigado aos nossos leitores e à Asus por nos disponibilizar o Nexus 7. Fiquem, agora, com uma galeria de imagens do Nexus 7:

19 COMENTÁRIOS

  1. Gostei bastante da análise, mas referem por duas vezes os dias 29 e 30 de Novembro como uma data já ultrapassada, e que eu saiba hoje ainda é dia 22 🙂

  2. Gostei muito deste artigo. É uma forma mais detalhada de descrever o produto… Quando ao produto em si, ainda estou em dúvida. Comparando-o com os novos produtos concorrentes como o iPad mini percebemos que o Google continua a ficar atrás nos seus produtos visto que a grande maioria das características (como a camara, bateria,sensores) são bastante superiores no iPad.

  3. Boa noite,

    na versão 3G como poderei conectar-me numa rede estrangeira visto não trazer slot para cartões? Para quem viaja bastante para diferentes países e tem de comprar net local, qual é a alternativa usando este equipamento?

    Obrigada.

    • Olá Ângela.

      Na versão do Nexus 7 com 3G é possível colocar um cartão SIM. No entanto, terá de ver com a operadora possíveis custos de roaming ou se quiser utilizar cartões desses países terá de ver se o Nexus 7 é compatível.

      Continue a visitar-nos.

  4. Eu gosto de um tablet que tenha ligações micro-USB e 3G, evidentemente com WIFI.
    Que possa ligar, por exemplo, a um televisor, para navegar e ver vídeos e fotos num écrm de maiores dimensões.
    O Nexus 7 não permite nada disso…
    Um simples bq Curie – com um preço de 169,90 € – tem isso tudo e algo mais…
    Para além das falhas do Nexus, a nível de ligações, a qualidade da imagem é apenas sofrível. Mesmo com o brilho no máximo (ligado à corrente eléctrica, senão adeus carga da bateria) parece que está em modo de poupança.

    Sendo assim, meus amigos, coloco esta questão:
    – Segundo a vossa opinião, qual o tablet que me aconselhariam a comprar, sem ter em conta o seu preço? Um que tenha ligações para tudo, boa autonomia de bateria e realmente topode gama?
    Valerá a pena esperar pelo Samsung Galaxy Note 8?… Li tão bem sobre ele… Só falta mesmo que chegue a Portugal…

    • Bom dia Nobre.

      Pelas várias informações sobre o gadget, sem dúvida que será uma boa escolha.
      Sobre o Nexus 7, há uma versão com 3G, que custa 299€.

      Neste momento, e pelo que está à venda, o melhor é o Nexus 7 em termos de relação qualidade/preço, mas sem dúvida que o Note 8 irá elevar os tablets de 7 polegadas a um novo nível, não podendo esquecer que ainda há o iPad mini, que a meu ver tem o iOS que é excelente, mas não tem grandes especificações para concorrer com o Note 8.
      Se o preço não é relevante, mais vale esperar pelo Note 8. Nos últimos tempos, o lançamento de dispositivos de topo por parte da Samsung está ao nível da Apple, não demora muito a chegar à maioria dos mercados, incluindo Portugal. O Galaxy S III chegou cá passado pouco tempo de estar disponível nos principais mercados.

      Espero que tenho ajudado,
      Continue a acompanhar-nos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here