Análise Motorola Moto X (2014): um smartphone cada vez melhor

Motorola Moto X (1)

A Motorola surpreendeu o mundo com o primeiro Moto X e a possibilidade de personalizar o smartphone. No ano seguinte a Motorola mostra que os concorrentes têm de estar atentos.

Índice:
Características e Acessórios
Design e Ecrã
Interface e Desempenho
Funcionalidades
Câmara e Multimédia
Veredito: Motorola Moto X (2014)

O Moto X (2014) só chegou ao mercado nacional no final de 2014, sendo que só agora tivemos a oportunidade de lhe “colocar a mão”. No entanto se achámos que o LG G3 é dos melhores smartphones de 2014, não só devido às suas especificações e qualidade de design, mas também ao preço a que chega ao mercado, sem dúvida que o Moto X é um concorrente à altura.

Ao contrário da Apple, Samsung, HTC ou Sony, a Motorola tem uma estratégia mais similar à fabricante sul-coreana LG, colocar um smartphone com especificações de topo ao melhor preço, ou poderemos dizer ao preço mais justo. Nesse campo, apesar da capa traseira em plástico, devemos admitir que é uma excelente opção.

Motorola Moto X (14)O Moto X de 2013 surpreendeu o mercado pela possibilidade de personalização através do Moto Maker, não disponível em Portugal, no entanto as especificações ficaram atrás dos topos de gama, situação que a fabricante corrigiu nesta nova versão. É que além de o design estar ainda melhor com laterais em alumínio, conseguiram aumentar o tamanho do ecrã, mantendo um tamanho razoável, e ainda introduziram as coluna frontal. Tudo isto aliado a especificações topo de gama. Não é logo à partida uma solução vencedora? Continue a ler a nossa análise e vai perceber melhor o porquê.

Características e Acessórios

  • Dimensões: 1140.8 x 72.4 x 10 mm
  • Peso: 144 g
  • Sistema Operativo: Android 5.0
  • Ecrã: 5.2” AMOLED
  • Resolução: 1920x1080p – 424ppi
  • Câmara traseira: 13MP, OIS, f/2.2, Dual-LED flash
  • Câmara frontal: 2MP
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 801 a 2,5GHz
  • GPU: Adreno 330
  • Memória RAM: 2GB
  • Armazenamento: 16GB/32GB
  • Bateria: 2300mAh
  • NFC / GPS / LTE
  • Bluetooth 4.0
  • Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, DLNA, hotspot
  • Jack de Áudio Normalizado de 3.5 mm

A Motorola não se destaca dos concorrentes pelas especificações, no geral é igual aos topos de gama de 2014. A grande referência é que pelas mesmas coisas o preço é mais interessante, já que chegou ao mercado por 549€, menos 150€ que o Galaxy S5, Sony Xperia Z3 ou HTC One, e menos 70€ que o LG G3. Neste momento, o preço deste equipamento já está a rondar os 469,90€.

Motorola Moto X (19)Em termos de acessórios podeia ter mais, já que não se faz acompanhar de uns auriculares, a nosso ver obrigatório quando estamos a pagar tanto dinheiro por um equipamento. No entanto, há uma nota positiva, o carregador de parede tem duas saídas USB, o que permite carregar dois equipamentos ao mesmo tempo, uma excelente ideia tendo em conta que a maioria das pessoas tem mais do que um gadget em casa.

Design e Ecrã

Em termos de design o Moto X é um vencedor, não só no geral, mas também nas possibilidades de personalização. É verdade que em Portugal temos disponível a versão em preto e em Bamboo que, digamos, é das melhores belezas num smartphone. Infelizmente, a Motorola enviou-nos uma versão em preto, por isso foi preciso ir a uma loja de retalho para perceber como é sentir uma versão em Bamboo. Não é que o design tenha qualquer diferença, mas visualmente, a versão em Bamboo é sensacional, bem como no toque.

Motorola Moto X (8)O design da segunda geração do equipamento é muito boa, com as laterais em alumínio que lhe dá um toque premium, enquanto a capa traseira é resina. Uma boa ideia é as colunas de som que passaram a ser frontais, como a HTC “inventou” no HTC One original, no entanto as colunas estão um pouco salientes. Agora aqui está uma surpresa, é que a coluna de baixo é, realmente, uma coluna de som, sendo que a de cima é um microfone, também presente na de baixo. Já é bom ter a coluna à frente, mas leva a entender que ambas as colunas imitem som.

Motorola Moto X (7)Em termos de ergonomia somos bastante adeptos deste estilo circular na parte de trás, pois encaixa melhor na mão, o que o torna ergonomicamente muito melhor que a maioria da concorrência, que ainda usam traseiras direitas. Além disso, este design dá a entender que o smartphone é mais fino do que os números indicam, mas só quando olhamos para a parte de cima do smartphone é que reparamos que é bem grosso na área do jack 3,5mm.

É no ecrã que encontramos uma grande melhoria em relação ao antecessor. Além do claro aumento do seu tamanho (das 4,7 para as 5,2 polegadas), a resolução também foi melhorada para um valor ideal, Full HD. Apesar do aumento e graças à ergonomia do aparelho, é possível utilizá-lo com apenas uma mão, no entanto um público feminino, que normalmente tem as mãos mais pequenas, poderá precisar das duas mãos para dar algumas utilizações mais específicas ao aparelho.

Motorola Moto X (10)

A visualização do ecrã é boa, não sendo excelente nem tão bom como o Super AMOLED da Samsung. Em termos de visualização o Moto X tem um excelente comportamento, com boas cores e bons ângulos de visão, mas com a luz solar diretamente no ecrã terá um pouco mais dificuldade do que com num Galaxy Note 4 ou LG G3, mas a diferença não é nada de muito relevante, sendo que não a consideramos um aspeto negativo do equipamento.

Interface e Desempenho

2015-03-31 16.09.43É quando olhamos para o interface que temos outro aspeto positivo do Moto X, devido à influência que teve enquanto era uma empresa da Google, já que recentemente foi adquirida pela chinesa Lenovo. A versão Android utilizada é, exatamente, a original, sem tirar nem por qualquer interferência de design, o que, também, permite ser uma das primeiras fabricantes a atualizar o seu equipamento, sendo que no caso do Android 5.0 Lollipop conseguiu ser primeiro que a própria Google em alguns Nexus. A LG, por exemplo, já tem algumas (pequenaa) alterações ao Android.

A Motorola tem algumas aplicações pré-instaladas, como o Connect ou o Spotlight, mas isso falaremos na categoria seguinte (Funcionalidades).

É quando pensamos no desempenho deste equipamento que percebemos que estamos a falar de um smartphone de topo. Com o Snapdragon 801 e 2GB de RAM, conseguimos ter um desempenho excecional, sem qualquer tipo de lentidão ou engasgos como acontece no Galaxy S5, acredito que a justificação esteja na versão original do Android. Tudo permanece muito fluído e perfeito, como queremos num smartphone.

Como seria de esperar de um smartphone deste nível os testes de desempenho realizados demonstraram a qualidade deste equipamento.  Podemos ver os testes realizados e algumas comparações com outros equipamentos:

Em termos de bateria estamos satisfeitos, sendo que o mesmo dura dois dias numa utilização normal, no entanto devido às várias funcionalidades temos muitas aplicações a trabalhar em background e podemos verificar isso utilizando uma aplicação como o Battery Doctor. Com isto percebemos que sem estas aplicações extras que, muito provavelmente, não usará, poderíamos ter um smartphone que duraria três dias sem grande esforço.

Funcionalidades

É nas várias novidades que a Motorola se quis destacar, já que o Moto X traz um design interessante, mas em termos de interface é o Android original. Aí, consegue dar um bom avanço à própria Google, adicionando funcionalidades muito interessantes. O grande destaque e que a própria Motorola mais publicita são os comandos por voz.

Moto X Interface (13)Ao estilo do que conhecemos inicialmente no Siri da Apple, podemos definir alarme, tirar fotos, executar aplicações, fazer chamadas, enviar SMS, ouvir música, adicionar lembretes, entre muitos outros. São tantas as opções que quase arrisco dizer que consegue fazer mais que a Siri. Mas há uma coisa que o smartphone se destaca nos comandos por voz, é perceber português. É verdade que é português do Brasil, no entanto devo dizer que connosco percebeu a maioria das vezes sem qualquer problema.

Para que ative esta opção, basta uma frase de inicialização, que até agora era pré-definida, mas que no Moto X de segunda geração é personalizada, permitindo escolher a que você quiser. De referir que, apesar de esta funcionalidade ser interessante e funcionar em português, acontece o mesmo que o Siri e Cortana, após a excelente utilização inicial, com o tempo deixamos de usar.

Motorola Moto X (15)O Moto Tela é outra aplicação que funciona quando o smartphone tem o ecrã desligado. Basta tocar no equipamento ou passar a mão por cima dele, que irá ativar alguns pixels para lhe dar informações das últimas três notificações. Ao tocar nelas, poderá obter mais algumas informações e, até, algumas ações. O objetivo é gastar menos bateria quando apenas quer saber se há novidades.

Além de outras aplicações próprias da Motorola, para ajudar na migração ou de ajuda, há mais duas a destacar. O Motorola Connect permite interligar com uma extensão ao Chrome e emitir avisos instantâneos quando receber notificações, ligações ou SMS.

Mas uma das aplicações que mais me surpreendeu foi o Spotlight. Esta aplicação é exclusiva da Motorola e divulga algumas histórias interativas, e teremos de movimentar o smartphone para seguirmos as histórias, incluindo interagirmos na mesma. Devo dizer que ficamos estupefactos com isto e que é uma excelente iniciativa e original. Neste momento já há três histórias disponíveis nesta aplicação. No entanto, para perceber melhor como isto funciona, nada melhor do que um vídeo, realizado pelo site AndroidPit Brasil.

Câmara e Multimédia

O Moto X é um smartphone muito interessante, mas é quando chegamos à câmara que encontramos os piores pontos negativos, nomeadamente na câmara traseira. A câmara traseira tem 13MP se as fotos forem tiradas em 4:3, mas reduz para os 9,7MP quando aproveita todo o ecrã do smartphone (16:9). Mas o problema é mesmo quando tiramos fotos.

Motorola Moto X (12)

É que nunca sabemos qual será o resultado final, já que a câmara demonstrou alguma instabilidade. Tanto tirámos boas fotos, como na seguinte já estava um pouco desfocada. Após algumas experiências no automático, preferi usar o manual algumas vezes, para ter a certeza que a foto corria bem.

A câmara não é muito má, nós é que esperávamos muito mais de um smartphone topo de gama. Outro ponto negativo são as fotografias com pouca luminosidade. Uma das fotos que costumamos tirar é uma onde podemos ver um pote, onde as condições de luz são fracas e permite ver o desempenho da câmara com pouco luminosidade. Nem sequer consegui fazer nada no automático, pois a fotografia ficou muito mal, sendo preciso usar o flash para que corresse bem. Portanto, se houver pouca luminosidade, mais vale utilizar o flash.

Fique com alguns exemplos de fotos que tirámos e poderá ver as versões originais na nossa página do Flickr:

Moto X fotos (1) Moto X fotos (4) Moto X fotos (6)

Como seria de esperar, o desempenho em jogos/multimédia é de grande nível e certamente tem aqui um bom equipamento durante os próximos dois anos, pelo menos. O que nos “desagradou” foi o som, não é mau, bem pelo contrário. O que nos desagradou foi ver duas colunas, mas afinal uma delas tem apenas um microfone, sendo que apenas uma delas emite som, a de baixo.

Motorola Moto X (8)É que o HTC One estreou um modelo que achamos sensacional e vencedor, já que quando estamos a ver um vídeo queremos o som para nós e não para o lado (quando as colunas estão por baixo) ou para trás. É para a frente que queremos ouvir e o Moto X faz isso, mas o design é enganador.

Apesar desta desilusão, a verdade é que a qualidade de som é boa e bastante alta. Tão alta que quando aumentamos ao máximo por vezes distorce um pouco, mas é aceitável tendo em conta o som que atinge.

Veredito: Motorola Moto X (2014)

Se está à procura de um equipamento que receba atualizações Android rápidas, mas prefere um tipo de design mais apelativo e acha o Nexus 6 demasiado grande, este é, sem dúvida, uma excelente opção. É que tanto o design como a ergonomia são muito boas, permitindo utilizá-lo apenas com uma mão, além das variedades das capas traseiras, como em bamboo ou couro, com excelentes acabamentos.

Motorola Moto X (11)Também a utilização do Android original é um ponto a favor e que facilita nas atualizações para as versões mais recentes, sendo outro ponto positivo o preço do equipamento. É que quando chegou ao mercado consegue ter um preço inferior entre 100€ a 200€, quando comparado com outros topos de gama. Neste momento, o equipamento já está à venda no mercado português por 469,90€, sem dúvida um preço muito justo.

O que mais nos desiludiu foi o desempenho instável da câmara, além do seu fraco desempenho nas fotografias com pouca luminosidade. Também a suposta coluna de cima não funcionar deixou-nos insatisfeitos, porque o design dá a entender que o Moto X tem um som estéreo e as duas colunas a “bombar”, o que não é verdade.

Pontos a Favor:

  • Design e ergonomia
  • Possibilidade de traseira em bamboo
  • Interface Android Original e atualizações rápidas
  • Preço

Pontos Contra:

  • Câmara instável e fraca com pouca luminosidade
  • Não tem suporte a micro SD
  • Apenas uma coluna de som “funciona”

Desde já queremos agradecer à Motorola por nos ter disponibilizado o Moto X (2014) para analise. Já pode encontrar o equipamento nas lojas de retalho por 469,90€. Fique com a nossa galeria de imagens.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here