Análise Moto G (2014): especificações de topo por poucos euros

Moto G 41

O Moto G tem vendido muito bem, tanto em mercados grandes como em mercados emergentes. De regresso a Portugal, e com o objetivo de  refletir no mercado português o grande sucesso que tiveram em Espanha, com 10% a 15% de quota de mercado em apenas um ano, a Motorola quer tornar o seu Moto G no melhor smartphone da atualidade, no que diz respeito a preço/qualidade. Será o Moto G o melhor low-cost do mercado neste momento?

Índice
Características e Acessórios
Design e Ecrã
Interface e Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito: Moto G (2014)

Com uma elevada taxa de sucesso na versão anterior, o Moto G (2013), a Motorola decidiu não alterar  muito o seu novo dispositivo em termos de design, melhorando apenas as especificações mas ao mesmo tempo, mantendo o seu preço. A Motorola aumentou o ecrã, logo também um pouco o dispositivo, mas também vai ao encontro do que os consumidores pretendem hoje em dia.

No evento de apresentação realizado no dia 6 de Novembro, onde foram mostrados os novos dispositivos disponíveis para Portugal (o Moto X, Moto G e o tão esperado relógio inteligente Moto 360), a empresa fez questão de se destacar de toda a concorrência, garantindo que irá atualizar todos os seus dispositivos móveis para a última versão do Android, o Android 5.0 Lollipop, até ao final do ano, tento inclusive já começado pelo Moto G.

Outro fator a favor da Motorola, trata-se dos seus dispositivos móveis conseguirem competir contra muitos “topo de gama”, mantendo um preço razoavelmente baixo. Isto é algo que pode influenciar os portugueses a optarem por um dispositivo da marca, uma vez que este oferece um preço/qualidade muito competitivo, mesmo quando comparado com fabricantes “menos conhecidas” como a Wiko ou bq.

Passemos à análise em si do novo Moto G (2014).

Características e Acessórios

  • Dimensões: 141,5 x 70,7 x 11 mm
  • Peso: 149 g
  • Sistema Operativo: Android 4.4 KitKat, atualizável para Android 5.0 Lollipop
  • Ecrã: IPS LCD de 5.0″ com proteção Corning Gorilla Glass 3
  • Resolução: 720x1280p/~294 ppi
  • Câmara traseira de 8 MP e frontal de 2 MP
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 400 quad-core a 1,2 GHz
  • GPU: Adreno 305
  • Memória Ram: 1 GB
  • Memória interna: 8 GB/16 GB, com MicroSD até 32GB
  • Bateria: 2070 mAh
  • Wi-Fi 802.11 b/g/n, Wi-Fi hotspot
  • GPS com A-GPS, GLONASS
  • Bluetooth 4.0
  • Dual micro-SIM
  • Altifalantes estéreo frontais
  • Jack de Áudio Normalizado de 3.5 mm
  • Rádio FM

Ao olharmos para as especificações do Moto G (2014), e comparativamente com a versão anterior, o Moto G (2013), o entusiasmo perde-se, uma vez que as diferenças são poucas, mas se formos a ver bem, o preço mantêm-se, logo, para as melhoras que houve, no que diz respeito à câmara, ecrã e capacidade de armazenamento, o Moto G (2014) é sem dúvida a melhor opção para o caso de estar na dúvida entre os dois modelos.

Por 199€, este low-cost consegue ter um ecrã de 5 polegadas com resolução HD e proteção Corning Gorilla Glass 3 (o modelo anterior tinha 4.5″), um processador Snapdragon 400 a 1,2 GHz, Adreno 305, 1 GB de RAM, 8 GB/16 GB de armazenamento expansíveis por microSD até 32 GB (no modelo anterior era impossível a expansão do armazenamento), câmara traseira de 8 MP (no modelo anterior a câmara era de 5 MP) e frontal de 2 MP (no modelo anterior a câmara era de 1.3 MP), bateria de 2070 mAh, dual-SIM, colunas na parte da frente e sistema operativo Android 4.4.4 KitKat com garantia de atualização para o Android 5.0 Lollipop. Nada mau para o preço, hein?

Pois bem, nem tudo são rosas, e visto que não houve grandes alterações, comparativamente com o modelo anterior, a Motorola fica um pouco à quem pois poderia ter  investido um pouco mais no seu Moto G (2014), afinal de contas, os dois modelos têm um ano de diferença. Nem que fosse um aumento de RAM de 1 GB para 2 GB ou um aumento no processador, mas isto trata-se apenas de uma opinião mais pessoal e, para o preço que o dispositivo se encontra, está “mais que ótimo”.

No que diz respeito a acessórios, o Moto G (2014) vêm apenas com o cabo USB-microUSB, deixando de lado o carregador de parede e os auriculares, uma vez que é algo que todos nós já temos de antigos aparelhos e porque, afinal de contas, para se oferecer um preço tão barato, tem de se abdicar de algumas “regalias”.

Design e Ecrã

Relativamente ao design, o Moto G (2014) mudou pouco em relação ao modelo anterior, mas o pouco que mudou, mudou para melhor. Ele agora é maior, ganhando mais meia polegada de ecrã na sua diagonal, passando de 4.5” para 5.0”, sendo que o ecrã ocupa agora mais espaço na parte frontal do dispositivo. Ele é mais bonito e ainda ganhou altifalantes estéreo frontais. A curvatura traseira ficou menos acentuada, permitindo um corpo firme e de qualidade, que se adapta bem à sua palma da mão.

O plug para fones fica centralizado no topo do dispositivo, ao lado de um microfone. No fundo do dispositivo temos apenas a conexão microUSB. Uma das laterais está completamente vazia, e a outra possui apenas o botão de energia e o botão de controlo de volume. Na parte de trás, o dispositivo tem a câmara, flash LED e o logotipo da Motorola (com o mesmo diâmetro da câmara). A parte da frente do dispositivo é, basicamente, ocupada pelo ecrã, mas conta com dois altifalantes. Junto do altifalante inferior temos o segundo microfone e, no altifalante superior, é possível ver a câmara frontal. Os sensores de luminosidade e proximidade estão escondidos, as duas entradas para cartões microSIM e microSD ficam na parte de dentro, apenas visíveis após a remoção da capa e a bateria do dispositivo não é removível.

Motorola Shells for Moto G

Um ponto a favor do Moto G (2014) passa por uma vasta gama de capas, que permitirá personalizar o seu smartphone a seu gosto, desenjoando um pouco do tradicional branco ou preto, sendo que o preço de cada capa é de 15€. Trata-se de um preço interessante se olhamos para as capas de outros smartphones concorrentes.

O Moto G (2014) é ainda resistente a salpicos de água, e até já circulam vídeos na internet que mostram o novo Moto G dentro de água (por algum tempo inclusive).

Relativamente ao ecrã, o Moto G (2014) apresenta um IPS LCD de 5 polegadas com multitouch e 16M cores, mantendo a resolução do modelo anterior, 720×1280, passando a ficar com uma densidade inferior, passando de 329 ppi para 294 ppi, mas que a olho nu, a diferença é minima, uma vez que, teoricamente, o olho humano só consegue distinguir pixels quando a densidade é menor que 300 ppi. O ecrã consegue reproduzir muito bem as cores, e não distorce as imagens quando se olha para ele de um ângulo menos favorável, sendo completamente legível dentro ou fora de casa. Isto é possível graças à tecnologia IPS.

Interface e Desempenho

A nível de interior, o Moto G (2014) é semelhante ao modelo anterior. Ambos os modelos utilizam um Qualcomm Snapdragon 400 quad-core a 1,2 GHz, mantendo o desempenho do dispositivo basicamente igual. Neste aspeto, a Motorola decepciona, pois poderia ter atualizado o processador, mas ainda assim, este dispositivo oferece muita velocidade, o que lhe permite ultrapassar muitos dos seus principais concorrentes. O seu desempenho gráfico também é semelhante ao do antigo modelo, sendo que a sua Adreno 305 permite que se jogue a maioria dos jogos do Google Play Store sem problemas, embora possa ter de “lutar” um pouco com jogos mais pesados e exigentes.

Outro ponto a favor neste novo Moto G, é o fato dele vir com o Android original (ou puro, como se costuma chamar), livrando este dispositivo de uma interface pesada que possa comprometer a sua performance, tornando-o bem fluido ao se utilizar em tarefas quotidianas. A alteração entre aplicações também não é demorada. O sistema operativo é o Android 4.4.4 KitKat e será, muito em breve, atualizável para o novo Android 5.0 Lollipop.

À quem fica a memória RAM. Esta poderia ter sido, também, melhorada para 2 GB mas, para uso moderado, 1 GB é suficiente. O Moto G (2014) está disponível na versão de 8 GB ou 16 GB, sendo que ambos vêm com a capacidade de expandir o seu armazenamento até 32 GB via cartão microSD, algo que o modelo anterior não permitia.

A duração da bateria é razoável, com uma bateria de 2070 mAh que aguenta bem as tarefas do dia-a-dia como jogar ocasionalmente, ver vídeos ou ouvir música, navegar na internet, fazer chamadas ou enviar mensagens. O novo Moto G é capaz de manter-se com bateria durante o dia inteiro, afastando-o das tomadas, e, com uso moderado, a bateria do dispositivo pode durar dois dias sem grande problema.  A bateria do dispositivo não é removível.

Moto G 44

O Moto G (2014) vem ainda com algumas aplicações extra que eu, particularmente, considero muito úteis. O dispositivo vem com o Moto Assist, que automatiza algumas tarefas, o Moto Alerta, que alerta pessoas próximas sobre possíveis situações de perigo, o Migração Motorola, que permite transferir os dados do seu antigo smartphone para o novo e Rádio FM, que é muito rápido, simples e fácil de utilizar.

Fique com algumas imagens de testes ao desempenho do dispositivo:

Câmara e Multimédia

Além das mudanças no design, as câmaras do Moto G (2014) foram os elementos com a atualização mais interessante comparativamente com o modelo anterior. A câmara traseira, foi de 5 MP para 8 MP e, a câmara frontal, de 1,3 MP para 2 MP. Não são números por aí além, mas que fazem o Moto G (2014) tirar melhores fotografias que o modelo anterior, fazem.

Não foi apenas a resolução que mudou, pois as cores também estão mais vivas, a velocidade de captura aumentou e o software da câmara permite filmagens em câmara lenta e em HD (720p). De qualquer forma, o Moto G (2014) não é o mais recomendado para tirar fotografias em ambientes com pouca luz ou com muito movimento. A respeito da câmara frontal, esta tem uma qualidade aceitável para tirar “selfies” e para fazer videochamadas. O Moto G (2014) vem ainda com o modo HDR, que tem um efeito, por vezes, um pouco forte, mas o modo ajuda a trazer muito mais definição às capturas e ajuda a iluminá-las.

Fique com alguns exemplos de fotografias, mas poderá ver as fotos originais na nossa página do Flickr.

Relativamente ao som, o Moto G (2014) pode se orgulhar bastante dos seus altifalantes frontais com som estéreo, sendo que a diferença, quando comparado com o modelo do ano passado, é gigante! Embora não seja o melhor som do mundo, não há distorções, nem mesmo quando está no máximo, o que torna este dispositivo muito acessível neste aspeto.

Em termos de multimédia e jogos, não é nada por ai além, mas o Moto G (2014) permite que se jogue a maioria dos jogos do Google Play Store, com excepção de alguns mais pesados e exigentes. Fifa 15, Dead Trigger 2 ou Asphalt 8 foram executados no dispositivo sem quaisquer problemas.

Veredito: Moto G (2014)

Moto G 37O Moto G (2014) é um excelente smartphone para a sua categoria, uma vez que tem um bom desempenho e oferece uma interface simples, limpa e leve, graças ao Android puro, que aliado ao fato de permitir dual-SIM, expansão da sua memória via microSD até 32 GB e por um valor de 199€, torna-o num dos melhores smartphones preço/qualidade do mercado atual.

Apesar disto tudo, as mudanças não justificam uma troca do Moto G (2013) para o Moto G (2014), até porque não houve grandes mudanças no desempenho, e no geral, o hardware é basicamente o mesmo. Ainda assim, ele é muito bom e é capaz de “combater” contra os seus concorrentes da atualidade, e para o caso de estar à procura de um smartphone de boa qualidade e não pensa pagar muito por ele, encontra no Moto G (2014) uma boa solução, pois é um dos melhores na sua categoria.

Pontos a Favor:

  • Android puro e limpo com atualização para Android 5.0 Lollipop
  • Bom desempenho do processador e câmara
  • Ecrã de excelente qualidade
  • Altifalantes frontais com som estéreo
  • Design
  • Preço

Pontos Contra:

  • Processador poderia ser um pouco superior
  • Memória RAM poderia ser de 2 GB
  • Bateria não removível

Desde já agradecemos à Motorola por nos ter disponibilizado o Moto G (2014) para esta análise. O equipamento está disponível em branco e preto por 199€ nas lojas de retalho, com possibilidade de uma vasta gama de capas (15€ a unidade), que permitirá personalizar o seu smartphone a seu gosto. Deixamos, agora, a nossa habitual galeria de imagens:

14 COMENTÁRIOS

  1. Éric Charif o Moto G da análise é espanhol, no entanto, mudei o idioma para português (Portugal) sem problemas e utilizei inclusive as redes português, por isso, à partido não deve existir qualquer tipo de problema.

    Continue a acompanhar-nos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here