Análise ao Microsoft Surface RT: Excelente conceito num mau SO

Microsoft Surface RT (1)A Microsoft vai lançar-se no mercado dos tablets com o Surface em duas versões, o Surface Pro, que já está à venda, e o Surface RT. Será que é uma boa aposta?

Índice:
Características e Design
Teclados Touch Cover e Type Cover
Windows RT
Desempenho
Câmara e Ecrã
Conclusão: Microsoft Surface RT

Nos últimos anos não tínhamos visto a Microsoft a lançar-se no mercado do hardware a este nível, até porque acaba por fazer concorrência direta aos seus principais parceiros e que muito ajudaram a Microsoft a dominar o mercado dos sistemas operativos. Por isso, esta atitude da Microsoft foi olhada com desconfiança pelas principais fabricantes de hardware.

A Microsoft decidiu recriar o Windows e não deixou por mãos alheias o lançamento dos seus produtos, lançando hardware que promete tirar o melhor partido do seu software. Por isso, a Microsoft anunciou o Windows 8, um sistema operativo “normal”, e o Windows RT, um sistema operativo para processadores ARM e mais virado para o mercado mobile a um preço mais competitivo.

Para mostrar o que o Windows RT é capaz, lançou este tablet, o Surface RT, com especificações que estamos habituados a ver em tablets e tentando fazer frente ao grande dominador do mercado, o iPad. Será que consegue?

Características e Design

Microsoft Surface RT (8)o Peso: 676g
o Sistema Operativo: Windows RT
o Memória: 32GB /MicroSD  até 64GB
o Dimensão do ecrã: 10,6 polegadas
o Resolução: 1366 x 768
o Câmara Traseira e Frontal: ambas 1.2MP e 720p
o Processador Nvidia Tegra 3 a 1,3GHz
o RAM: 2GB
o Porta USB, Bluetooth, WiFi e Micro HDMI

Em termos de características o Surface RT não surpreende, aliás, até pode-se considerar uma pequena desilusão, já que apresenta um processador da Nvidia que já está um pouco desatualizado. Além disso, num tablet de topo esperaríamos encontrar algumas especificações como o NFC ou o GPS, apesar de na minha opinião não ser imprescindíveis num tablet.

Um dos grandes pontos fortes do Surface é o design, que foi muito bem pensado pela Microsoft para surpreender e fazer frente ao iPad. A construção é de topo, com uma traseira metálica e a parte frontal em vidro. O único senão é que tanto na parte traseira como na frontal, fica a notar-se as dedadas, o que lhe vai obrigar a limpar o tablet várias vezes.

Na parte de cima do Surface temos o botão de ligar/desligar, enquanto do lado esquerdo  temos o botão de volume, uma das colunas e um jack para auriculares. Do lado direito temos uma saída Micro-HDMI, uma porta USB normal, outra coluna e a ligação para o carregador que se cola de forma magnética, ao estilo do MagSafe da Apple mas um formato própria criado pela Microsoft. Por baixo temos, também, a tal ligação magnética, que permite ligação com os teclados Touch Cover e Type Cover.

Sem dúvida que outro grande destaque do Surface é a porta USB “normal”, pois a maioria das pens utiliza este tipo de porta USB, enquanto que na maioria dos dispositivos teremos de utilizar um adaptador, se funcionar. No Surface é permitido ligarmos uma pen para aumentarmos o armazenamento ou um rato, mas não permitirá ligar a nossa pen de internet móvel. É que para ligarmos a nossa pen móvel, temos de efetuar uma instalação de um ficheiro próprio, mas como no Surface temos o Windows RT que não permite instalarmos programas para o Windows normal, não conseguimos aceder à internet móvel.

Talvez, em breve, as nossas operadoras criem aplicações para o Windows Store que permitam aceder a estas pens, mas por enquanto, teremos de utilizar o wifi para aceder à internet.

Mas é na parte traseira que temos um grande diferencial do Surface, o suporte que permite que possa colocar o tablet “em descanso” numa ângulo  para quando estamos a utilizá-lo numa mesa, chamado de Kickstand. Também é entre o suporte e o tablet que está o compartimento para colocar o MicroSD, do lado esquerdo, junto à ligação para o carregador magnético. No entanto, é pena percebermos que o ângulo do Kickstand para o tablet “descansar” é único e não pode ser personalizado, mas também é verdade que o ângulo é o perfeito e mais normal para ser utilizado num ambiente de trabalho numa mesa. Só sentirá este “problema” quando necessitar de colocar o Surface no colo ou num ângulo fora do normal, juntamente com o teclado.

Teclados Touch Cover e Type Cover

Microsoft Surface RT (16)Uma das grandes apostas da Microsoft e que me convenceram, os novos teclados da Microsoft criados para os seus tablets Surface, o Touch Cover e Type Cover. Touch Cover é um teclado com teclas capacitivas e sim, tão fino que mal notamos que é um teclado. Quando mostrei a vários amigos, apresentava este teclado como uma protecção do ecrã com teclado, tão fino como o iPad smartcase, mas com um teclado incorporado, simplesmente incrível.

Fiquei convencido com a qualidade de escrita que o Touch Cover oferece, no entanto, como não sentimos as teclas, acaba por trazer alguns problemas quando pretendemos escrever muito, já que é normal cometermos erros que não cometeríamos se utilizássemos um teclado normal. Olhei com alguma desconfiança para o touchpad deste teclado, mas continuei surpreendido, já que funcionou bem melhor do que estava à espera.

Conforme nos vamos habituando a este teclado, acabamos por nos habituar e cometer menos erros do que seria previsto, o que me surpreendeu ainda mais e sem dúvida que é uma aposta bem conseguida por parte da Microsoft para uma utilização mais móvel sem adicionar muito tamanho (3mm) e peso ao tablet, ao contrário dos teclados normais. Para quem gosta de utilizar os atalhos associados aos F1 a F12, sentirá falta no Touch Cover, já que os mesmos não estão presentes no ecrã. Até o touchpad me surpreendeu, pois cumpriu com todas as necessidades que precisamos.

Microsoft Surface RT (18)Quanto ao Type Cover é um teclado que será do agrado de quem irá utilizar o Surface RT para criar ficheiros Office ou precise de escrever emails longos, não aumentando em demasia o tamanho do tablet, adiciona 5mm de espessura, mais 2mm que o Touch Cover.

O espaçamento entre as teclas é muito curto, mas o tamanho de cada teclado é bom. Como podemos “sentir” as teclas, a produtividade neste teclado é bastante superior ao Touch Cover, apesar de a versão que utilizámos ser uma versão britânica. Além da produtividade, uma mais valia neste teclado é as teclas F1 a F12, que será do muito agrado dos utilizadores. O touchpad também funcionou muito bem.

Umas teclas que me agradam nos Touch Cover e Type Cover são as setas no lado direto na parte final do teclado. Para quem já usou um ecrã táctil, sabe que quando estamos a selecionar texto e tentar, com dedo, colocar a escrita no sítio certo é, por vezes, bastante complicado de acertar, com o dedo colocamos um caractere à direita, depois à esquerda e demoramos imenso tempo a colocar no sítio certo. Assim, com estas setas é mais fácil de colocarmos no sítio certo após utilizar o touch, tornando ainda mais rápido do que utilizar o TouchPad para sermos mais precisos no que queremos fazer, portanto uma excelente adição neste teclado.

Outra coisa boa é que se tivermos o teclado integrado e precisarmos de utilizar o Surface RT como tablet, basta colocarmos a capa totalmente para traz que o teclado fica desativado e não causará problemas na nossa utilização. Também liga o ecrã assim que abrimos a capa, como seria de esperar.

A Microsoft não se esqueceu de nada nestas capas/teclados criados para o Surface e que vem revolucionar este as capas para tablets e computadores. Certamente que veremos, em breve, os concorrentes ou fabricantes de teclados a criar capas protetoras com teclados integrados deste tipo.

Windows RT

Surface RT Screenshot (2)O Microsoft Surface RT não utiliza o Windows 8, mas sim uma versão do Windows 8 adaptada aos processador ARM, intitulada de Windows RT. No entanto, tenho de considerar este o principal ponto negativo do Surface RT, o próprio sistema operativo.

É que o Windows RT não é mais do que uma versão fraca do Windows 8, com imensas limitações. Em comparação ao Windows 8, só tem a Modern UI presente no Windows 8 e o ambiente trabalho pouco ou nada serve, para além do Office.

Eu pessoalmente gosto bastante desta nova interface, é bastante apelativa e funcional, no entanto está dependente de excelentes aplicações, que, tal como acontece nos outros sistemas operativos móveis da Microsoft, são muito poucas. No entanto, num Windows 8, este problema de poucas aplicações é compensada pela possibilidade de instalarmos, diretamente no computador, os programas que precisamos, não notando a sua falta no Modern UI.

O Windows RT só nos permite instalar aplicações vindas da própria Windows Store, o que também limita a utilização da porta USB a armazenamento, adicionar hardware que não necessite de instalação de drivers específicas, pois essa instalação não será permitida, um rato e pouco mais. A porta USB é mesmo uma mais valia deste Surface RT, mas é pena que o sistema operativo limite a sua utilização.

No entanto, o Modern UI é perfeita num ecrã tátil, com várias opções que, num futuro, poderá ter sucesso, assim consiga a Microsoft convencer os programadores a criar mais aplicações para este interface.

Surface RT Screenshot (1)Apesar do Windows RT ser uma sistema operativo limitado, há boas notícias para os fãs do Office. É que a Microsoft decidiu integrar uma versão gratuita do Office 2013 no Windows RT, o Office Casa e Estudantes 2013 RT com o Word, Excel, PowerPoint e OneNote (na próxima atualização terá Outlook). Sem dúvida um ponto muito favorável para quem optar por este sistema operativo. Como pode ver na imagem, o Windows RT tem um ambiente de trabalho igual ao que temos no Windows 8, no entanto, pouco mais serve do que para o uso do Office 2013 e ver o conteúdos de uma pen de armazenamento.

O teclado virtual é, também, bastante bom. Tem um tamanho bom, ocupa quase metade do ecrã, mas não pode ser personalizável e só tem duas opções. No entanto, podemos verificar outra opção que estará presente no Surface Pro com a utilização da caneta. Também a duração da bateria é boa. Como é um sistema operativo criado para tablets, permite uma duração de bateria equivalente aos concorrentes de topo, como o iPad.

Portanto, o Windows RT não tem só coisas más e, sem dúvida, que a possibilidade de utilizar o Office 2013 de uma forma gratuita é um excelente ponto positivo deste Windows RT. Mas, enquanto não houver mais aplicações na Windows Store, O Office 2013 é o único fator positivo no Windows RT.

Desempenho

Como indicado, o processador do Surface RT é o Nvidia Tegra 3 a 1,3GHz. É verdade que não é um processador fraco, mas o Tegra 3 foi lançado há mais de um ano e a concorrência não parou, com bastantes processadores bem mais poderosos que este.

Mas, sem dúvida que o Nvidia Tegra 3 com os 2GB de RAM permite uma bom desempenho do Windows RT no Surface. Tanto no desempenho da Modern UI, como na visualização de vídeo e jogos, o Surface RT não fica atrás, mas, tal como referimos na análise ao Nokia Lumia 920, o Windows Store carece de jogos de qualidade gráfica que permita fazer uma comparação mais direta com o iOS ou o Android, devido ao tal problema das poucas aplicações disponíveis.

Em termos de testes de desempenho não temos muita escolha, não há qualquer opção na Windows Store que possamos fazer uma comparação com os concorrentes, portanto experimentámos, apenas, o Sunspider, que permite que façamos uma comparação direta com os concorrentes e com outros sistemas operativos móveis na utilização do browser.

Surface RT Screenshot (5)

Decidimos comparar os resultados do Sunspider com o Novo iPad (4ª geração), com o Nexus 7 e com o Lumia 920, este último por ser outro sistema operativo móvel e, também, por ser o Windows Phone 8 da Microsoft. Para quem não conhece este teste de desempenho, quanto menor o resultado melhor o desempenho.

O resultado do Surface RT no Sunspider foi de 966.5ms, enquanto o Novo iPad registou 853.9ms, o Nexus 7 registou 1,785ms e o Lumia 920 892.4ms. Numa comparação com os dispositivos, verificamos que a Microsoft fez um excelente trabalho em comparação com o Android, já que o Nexus 7 (também Tegra 3) registou um valor muito a baixo, mas foi inferior ao iOS e ao Novo iPad. Curiosamente, numa comparação com o Nokia Lumia 920 e o mesmo teste de desempenho no WP8, o resultado é desfavorável para o Surface RT.

O desempenho do browser IE10 no Surface RT não é nada de surpreendente, mas consegue ser superior à maioria dos Android, que só recentemente têm conseguido chegar a valores inferiores aos 1000ms, o que até é bem positivo para o Windows RT e este Surface. Em termos de som, a qualidade poderia ser melhor. O som é mais baixo do que no iPad, no entanto, num ambiente caseiro, como as duas colunas estão em lados opostos, o som acaba por ser melhor do que se espera.

O desempenho da bateria também é bastante bom. Segundo a Microsoft, o Surface RT tem uma bateria de 31,5 W-h, o que permite uma utilização de 8h. A verdade é que o tablet tem um bom desempenho de bateria e permite uma utilização durante vários dias e, para o bem ou para o mal, temos de agradecer ao Windows RT. É verdade que o Windows RT não é um bom sistema operativo, mas como foi um sistema operativo criado para os tablets e para reduzir o consumo de energia, este Surface RT consegue ter uma duração superior à maioria dos tablets, mas pareceu-me um pouco inferior ao iPad.

Câmara e Ecrã

Microsoft Surface RT (2)O ecrã do Microsoft Surface RT não impressiona. Tem um ecrã de 10 polegadas e uma resolução HD de 1366 x 768, no entanto, para um tablet de topo, que tem como objetivo concorrer ao iPad, necessitava de uma resolução de ecrã bem superior. Relembro que o ecrã do iPad é Retina, com uma resolução de 1536 x 2048p.

Apesar de a resolução estar longe dos concorrentes de topo, a verdade é que não é só a resolução que conta e o ecrã é bem melhor do que à partira estávamos à espera. O ângulo de visão do ecrã é excelente e permite uma boa visualização quando estamos a usar o Surface RT na rua. Numa comparação com o outro dispositivos Windows que analisámos, o HP Envy X2, o ecrã do Surface mostrou cores melhores e ângulos de visão melhores. No entanto há um problema que já referimos anteriormente. É que o ecrã, têm uma “paixão” pelas nossas dedadas, o que acaba por denegrir a excelente imagem que temos deste ecrã. É que utilizar o Surface RT na rua, com Sol e com esta dedadas que, ainda por cima, são bastante difíceis de limpar, desiludiu-me um pouco.

Nas câmaras também ficámos com um pé atrás, é que apesar de a Microsoft apresentar estas câmaras com resolução HD, o sensor é de 1,2MP. Sim, a câmara traseira também. Apesar disso, sempre fui defensor que é um desperdício ter uma câmara traseira num tablet, já que o mesmo não é para utilizar para tirar fotografias, o que permitiria baixar o preço dos gadgets, portanto não considero um ponto negativo.

Microsoft Surface RT (12)Nas câmaras há a apontar uma característica peculiar, ambas as câmaras estão inclinadas de forma a estarem direitas quando o Surface RT estiver a usar o suporte Kickstand apoiado numa mesa. Devido a isso, fazer uma videochamada com o suporte ficará perfeita na utilização de ambas as câmaras, o que não acontece com a maioria dos tablets.

Mas sim, como seria esperado de uma câmara de 1,2MP, a qualidade da fotografia é bastante fraca, mas é o suficiente e um sensor que está presente na maioria das câmaras frontais dos dispositivos para usar em video-chamada. Para este objetivo, as câmaras servem perfeitamente, mas não poderá abusar muito. Também nos vídeos a câmara comporta-se de forma “normal”, mas gostei da captação de som e dá para ter uma perceção que a videochamada tem boa qualidade. Ficam alguns exemplos de fotografias e um vídeo.

Surface RT fotos (2)

Surface RT fotos (1)

httpv://youtu.be/15xazQXbsNI

Conclusão: Microsoft Surface RT

Microsoft Surface RT (4)A Microsoft disponibilizou-nos o Microsoft Surface RT mais tempo do que o normal, o que deu para interiorizar este novo sistema operativo de uma melhor forma mas, sinceramente, não me convenceu. O Surface RT está muito bem construído, tem um excelente design, o conceito está muito bem conseguido com o suporte e as capas inovadoras no mercado, mas, basicamente, o Windows RT não está ao nível do que o tablet oferece.

Não o trocaria o iOS ou o Android por este. É que, não nos podemos esquecer, que os sistemas operativos móveis depende, muito, de uma boa loja de aplicações e é neste ponto que o Windows RT falha redondamente, pois há muito poucas aplicações disponíveis. Certamente que, quando decidir instalar as suas aplicações preferidas do seu iOS ou Android, mais de 50% não encontrará na Windows Store, o que acaba por ser frustrante.

Mas apesar do Windows RT ser bastante limitado, não há só más notícias. Aliás, o Office 2013 gratuito é um grande ponto positivo e se o objetivo é poder usufruir de uma boa suite de aplicações, dificilmente encontrará outro dispositivo de elevada qualidade onde o pode fazer, até porque, até agora, o Office só está disponível no Surface.

Mas no final da utilização só pensava numa coisa: Como será o Surface Pro? Sim, é que a Microsoft acertou no conceito do Surface, aliadas às capas inovadores, e está no caminho certo. Imagino, sim, esta qualidade de construção, estas capas a serem utilizados num sistema operativo que possamos tirar todo o proveito, como o Windows 8. Portanto, estou ansiosamente à espera do Surface Pro para reduzir os pontos negativos do Surface.

O Surface RT não me convenceu devido à Windows Store, o que não posso aconselhar se o objetivo é substituir o seu Android ou iOS e utilizar aplicações e deverá esperar mais um tempo para ver se chegam melhores aplicações à Windows Store. No entanto, se o objetivo é ter a suite de aplicações Office, não se esquecer de trazer uma capa/teclado para aumentar a sua produtividade.

Pontos a Favor:

+ Acabamentos de excelente qualidade

+ Office 2013 gratuito

+ Capas/teclados inovadores

+ Porta USB normal

Pontos Contra:

– Windows Store

– Processador poderia ser melhor

– Resolução do ecrã poderia ser melhor

Agradecemos à Microsoft a disponibilidade do dispositivo. O Microsoft Surface RT já está à venda em Portugal nas lojas de retalho e custa 579€ a versão de 32GB e 679€ a versão de 64GB. Ambas estas versões incluí a Capa Tátil/Touch Cover. Segue-se a nossa galeria de imagens.

13 COMENTÁRIOS

  1. Um bom analise deste surface RT..Parabems! Do resto pregunto a me proprio:a final tanta ceremonia com este tablet?o fim ou cabo nao serve quase pra nada. Primeiro ponto fraco e: instalaçao de app so da microsoft,segundo:porta usb so serve para armazemento de ficheiros i ligar um rato,e finalmente o treceiro e…deixa me adevinhar..o preço!!!por este dinheiro o ainda menos nao falta tablets que andao por ai bem melhores do que este. Por me, ele pode ficar bem na prateleira e apanhar o po,ningem la pega..

  2. Eu acho que o Surface RT acaba sendo um pouco injustiçado nestas análises. Concordo que para quem só interessa a quantidade de apps na loja é o mais importante, o Surface RT não é a melhor opção, mas existe quem busque maior utilidade em um tablet e eu acho que o Surface RT entrega funcionalidades que podem ser importantes para outras pessoas. Eu tenho um e posso sinalizar algumas destas características: gestão de arquivos é idêntica a do windows 8, o que significa que você pode copiar, colar, mover, renomear, fazer o que quiser; ele se conecta a redes e permite a transferência de arquivos de forma fácil; a porta usb é bem mais útil do que explicado acima, eu já usei mouse e pen drive, claro, mas já conectei headsets, hd externo, meu lumia 820 e um iphone 4 (saiba que você pode carregar seu iphone pelo usb do Surface. Que mais costumamos comectar a uma entrada usb? O aplicativo de e-mail faz tudo o que o do IOS faz, mas vai além, você pode anexar quantos arquivos quiser, coisa que você nem sonha no IOS. Roda Flash, Dois aplicativos ao mesmo tempo na tela é bem útil. O office é excelente e roda bem. O desktop é perfeito para trabalhar com o pffice e organizar seus arquivos. O suporte a micro SD me deu mais 64gb de espaço no meu tablet. O xbox music é muito superior ao itunes. Eu acho que sempre precisei de muitos aplicativos para dar utilidade ao meu ipad, mas agora não sinto falta de apps. Achei bons apps na loja da Microsoft, mas comcordo que já menos opção que nas lojas de seus concorrentes. Honestamente, meu ipad e meu notebook estão aposentados desde o fim do ano passado e meu Surface RT é cada vez mais importante para mim. Não o troco por nenhum tablet atual. O Android e o IOS nasceram em celulares e é por isso que tablets com este sistemas não fazem nada que um celular já não faça. O windows RT nasceu de um sistema para computadores, por isso faz mais que um telefone. Não quero um iphone gigante.

  3. Olá.. Apesar dos pontos contra citados pelo Bruno, eu acho que é na verdade a primeira tentativa de fato, de buscar alguma utilidade pratica para este tipo de gadget.!!
    O Líder de mercado e o criador do Tablet mais famoso O Ipad. é na verdade a mais inutil criação,que se não fosse pelos seguidores Fanaticos ( aplemaníacos) estaria fadado a ser mais uma das besteiras inventadas e esquecidas nos porões de alguma garagem da Califórnia. É na minha opinião ( reforço) a maior imbecilidade que ja foi criada..
    Senão vejam:
    Ele não é nada, alem de um grande Iphone, que ainda por cima não faz ligações..
    è grande e desconfortável.!!
    Não substitui de forma alguma meu lap top ( ferramenta necessaria para o trabalho).
    Fotos?? Bate otimas fotos , mas tenta ficar com o trambolho na mão para tirar uma fotografia.. é no minimo curioso, senão patético!!
    Mais.., não aceita de forma residente os aplicativos office, (precisa de programa de terceiros na app store), e portanto ja denota claramente que não serve para o trabalho.!!.
    A Grande pergunta que até hoje não consegui resposta.. Server para quê.. Navegar na internet.. Ok.. mas esse beneficio isolado não me faz sujeitar a carregar em minha bagagem mais um aparelho.
    Voltando a MS Surface..
    Pela primeira vez , nesta onda insana da corrida aos tablets , vejo um lançamento com alguma possibilidade e principalmente utilidade.. que é se tornar uma ferramente adequada e funcional para o dia a dia de quem viaja ( afinal de contas é mobile) a negócios e precisa o tempo todo de ler e manipular o pacote office da MS que é unanimidade no mundo dos negócios..
    Neste caso me refiro ao Surface Pro. Pois nem mesmo o RT faz isso.
    abraços a todos

    • Olá José.

      Concordo com isso e faço referência à minha expetativa em relação ao Surface Pro, que espero termos para análise em breve.
      Acredito que, finalmente, com o Surface Pro, vamos ter um tablet que nos pode substituir o computador.

      Continue a acompanhar-nos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here