Análise Mercedes Class B 2019: Review

Gosta do Mercedes Classe A, mas precisa de um pouco mais de espaço para pessoas e malas? Bem, essa é basicamente a razão pela qual o Mercedes Class B existe. Partilha o impressionante sistema de infoentretenimento interior e repleto de recursos, mas oferece um pouco mais de espaço para o condutor e passageiro, bem como na área de bagageira.

Pelo menos no papel, tudo parece bastante convincente. A tecnologia de segurança que tem em comum com a Classe S de luxo da Mercedes, enquanto é um automóvel mais alto e oferece melhor acessibilidade ao interior, ideal para instalação de assentos infantis. No entanto, apesar das melhorias, o design não é tão desportivo como num Classe A.

Performance

A versão ensaiada foi o B180d, isto é, a mais básica a gasolina de 1.3 litros de gama básica (B180) não é por isso que um Class B é um automóvel “fraco”. Bem pelo contrário, o desempenho é adequado, mesmo com um carro cheio, sendo que o preço de entrada é de 35.100€, o que não é nada mau para um Mercedes.

Existem versão mais potentes e também com mudanças manuais, no entanto, e apesar de não questionar o prazer de conduzir um automóvel com mudanças manuais, cada vez mais me agrada conduzir um carro com mudanças automáticas, nomeadamente durante viagens curtas e citadinas.

Apesar de o Class B estar longe das gamas de luxo da Mercedes, a sua condução é excelente, confortável e de grande qualidade. Ovtivémos uma bom desempenho durante a sua condução, bem como na resposta a oscilações de velocidade, tal e qual como se esperava de um motor com uma cilindrada de 1400.

Um dos aspectos que mais se fala é do ruído que ouvimos durante longas viagesn em autoestrada e, neste aspeto, o Class B oferece uma boa qualidade neste aspeto.

Interior e Exterior

QUanto ao exterior, o Class B é o que se espera, com um design bonito, mas não é, claramente, um desportivo. Aliás, nesse aspeto, o class A tem um design exterior muito mais atraente, mas no interior os que melhoram… e bastante.

O Class B já vai ao encontro do novo design de interiores que a Mercedes criou, com dois grandes ecrãs, onde teremos não só o infoentretainment, mas também por trás do volante tem um ecrã de grande qualidade e que nos permite algum nível de configuração. Neste caso, é tal e qual o Classe A.

No entanto, não deix ade ser um Class B e não se poderá comprar com os topos de gama da Mercedes e, nesse sentido, verificamos que há alguns aspetos do design interrior que não é tão “luxo”, como alguns plásticos que revestem as maçanetas das portas e o porta-luvas, mas não é por aí que a presença de um pack Premium e o Kit AMG da versão ansaiada deixa de impressionar.

Se optar por uma versão Executive, o ecrã de 7 polegadas passa para um de 10,3 polegadas, muito maior e imponente que, certamente, será útil na sua utilização. Todo o controlo continua a ser feito através de um Touchpad na área das mudanças, ao estilo que a mercedes nos tem habituado, mas como o ecrã é tátil, também poderá ser usado através do toque no ecrã.

O ecrã por trás do volante apesar de não ser touch, pode ser personalizado, mas não o deve fazer durante a condução (como é óbvio e, essa deve ser a razão porque o ecrã não é touch).

Uma das áreas mais impressionantes é a Mercedes oferecer um assistente de voz. Não é tão bom como o Siri ou o Google Assistant, mas dá muito jeito durante a condução, sem dúvida.

Passageiros e Boot Space

Apesar de ter uma posição de condução alta, quase ao nível de um SUV, há muito espaço no lugar do condutor (e olhem que eu meço 1,88m por isso sei do que falo).

O espaço na parte de trás também é razoável, já que o lugar “do meio” na parte de trás não é bom para longas viagens. Felizmente, a bagageira até tem um tamanho agradável.

Veredito: Mercedes Classe B

A Classe B tem um preço bom, para a sua classe, sendo que o pack mais básico inicia-se em pouco mais de 34 mil euros. Um valor bom para um automóvel da marca alemã, no entanto, não o poderemos comparar aos SUVs do mercado, já que apesar de ser um pouco mais alto do que um automóvel “normal”, não chega a essa categoria.

Felizmente, mas que custam na carteira, há packs do Class B que oferecem a melhor qualidade neste automóvel, como o pacote Executive que, por exemplo, adiciona os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, bancos aquecidos, ecrã de 10,3 polegadas, entre outros pacotes melhores. Também é possível obter o kit AMG que oferece, entre outros, suspensão rebaixadas ou estofos em pele. Mas tudo tem um preço (nada barato).

Quer se goste ou não, um Mercedes continua a ser um automóvel de qualidade e confiança, sendo que as motorizações mais “fracas”, como o modelo que ensaiamos, não coloca em cheque a qualidade alemã, mas sim oferece a oportunidade de condutores com “outra carteira” terem acesso a um automóvel mais Prmeium. E, sem dúvida, que este Classe B oferece isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here