Análise iPhone 14 Pro: Review

Tudo sobre o iPhone 14 Pro parece inteiramente sem esforço. O design não é nada de novo, mas é competente e moderno, o software é incrivelmente simples de utilizar e a câmara tira fotografias ainda melhores. Mas se é verdade que à partida não vemos grandes diferenças, a Apple parece ter uma política de “não mexer no que funciona” e as “grandes” alterações são menos frequentes.

No entanto, se ao pegarmos no iPhone 14 Pro não vemos grandes alterações de design, é quando o ligamos que vemos a principal alteração, a Dynamic Island, que pegou num problema que muitos smartphones têm, a colocação de sensores/câmaras no meio do ecrã e que ficam, literalmente, buracos negros no meio daquilo, numa “inovação”. Que apesar de ficarmos estupefatos com a genialidade da ideia, não deixa de ser exatamente isso: esconder as câmaras e os sensores que agora estão no meio do ecrã.

E, na verdade, o Dynamic Island não deixa de demonstrar o que a Apple faz muito bem, design e criatividade.

Quando o os novos iPhones foram lançaods partilhamos um artigo sobre se vale a pena comprar o novo iPhone 14 ou iPhone 14 Pro, e se é verdade que na altura criámos esse artigo apenas com a “teoria” e especificações do novo iPhone 14 Pro, após experimentarmos, as conclusões são muito similares. Pode comprar o iPhone 14 Pro pela Amazon.

Análise do iPhone 14 Pro: Design

Se tiver visto um iPhone 12 Pro ou iPhone 13 Pro, o iPhone 14 Pro será muito familiar. Tem o mesmo chassis plano, quadrado, que ainda se sente ligeiramente “tijolo” demais na mão, demonstrando que a ergonomia nõa é só seu ponto forte, mas é lindamente feito de aço inoxidável.

O escudo cerâmico da Apple está por cima do ecrã e há vidro temperado na parte de trás. Uma classificação IP68 de resistência à água acrescenta confiança, uma vez que o telefone evitará danos devido a quedas acidentais de água. Os controlos de volume e o botão de alimentação ainda estão colocados na lateral.

O Pro de 6,1 polegadas é maravilhosamente equilibrado na sua mão, e é utilizável com uma mão também. Pesa 206 gramas, mas nunca se sente desajeitado a 71mm de largura e 7,8mm de espessura, além de não ter tido qualquer cansaço de o segurar durante longos períodos de tempo. No entanto, pode ser um pouco escorregadio, e protegê-lo com uma capa ajudará a evitar acidentes indesejados, até porque o seu preço não é nada amigo da carteira. Existem várias cores comuns (preto, prateado ou dourado), mas é o novo Deep Purple que se destaque por ser a novidade.

No verso, o módulo da câmara é grande e faz uma afirmação ousada quando o iPhone 14 Pro não está numa, mas como as três câmaras sobressaem consideravelmente, o telefone nunca fica deitado em qualquer superfície. Tudo se resume a um smartphone que é inconfundivelmente um iPhone.

Este não é um design inovador, não há nada de especialmente vistoso nele, no entanto, consegue ter classe e ser elegante, adaptando-se a todas as situações. Não exige atenção, mas ainda assim vai receber olhares, já que todos sabem que é um iPhone. No entanto, à primeira vista, ninguém perceberá que estamos a falar do novo iPhone 14 Pro ou do antecessor iPhone 13 Pro.

Teria gostado de ver um design que não fosse quase exatamente igual aos dois últimos modelos? Sim, isso teria sido bom. Será que precisa de ter um aspecto diferente? Não, de forma alguma. A Apple tem a fórmula Pro certa – aparência elegante, apenas o tamanho e peso certos, materiais de alta qualidade, e qualidade de construção – por isso não pode ser culpada por não fazer mudanças dramáticas com o iPhone 14 Pro.

No entanto, isto também demonstra que a conhecida inovadora e criativa Apple, é hoje em dia mais ponderada e que, tal como referi em cima, “não mexe em algo que funciona (muito) bem”.

Análise do iPhone 14 Pro: Ecrã sempre ligado / Always-On

O novo ecrã Super Retina XDR de 6,1 polegadas, com a sua resolução de 2556 x 1179 e densidade de 460ppi pixel, tem alguns truques na manga. Antes de entrarmos nas grandes mudanças, vale a pena mencionar a luminosidade. Atinge normalmente 1600 nits, mas pode aumentar para 2.000 ao ar livre sob a luz solar, e a diferença é perceptível. Nota-se quando o extra faz efeito, e o ecrã torna-se realmente mais brilhante e mais fácil de ler quando o sol está a bater.

No entanto, é o ecrã Always-On que é a maior e mais óbvia nova característica do ecrã. Os telefones Android têm ecrãs sempre ligados há anos, mostrando o tempo, a bateria, e ícones de notificação ao invés de um ecrã preto. O ecrã sempre ligado da Apple é essencialmente apenas uma versão reduzida do ecrã de bloqueio, a cores, e com widgets dinâmicos e alertas de notificação.

É o ecrã Always-On do relógio da Apple, mas agora no seu telefone. É também informativo, com a hora e data realçadas numa fonte branca brilhante sobre a sua escolha de papel de parede, e notificações mostrando claramente o ícone e detalhes básicos sobre cada um deles.

Os controlos para música e aplicações áudio também permanecem no ecrã e um toque rápido acorda-os, prontos para pausar ou mudar de faixa. Descobri que toda a experiência do ecrã de bloqueio é mais nítida e mais rápida a reagir do que em outros Android. O ecrã sempre ligado é bonito, útil, e um passo acima das implementações que já vimos noutros locais em termos de design. Mas não está a ajudar na duração da bateria.

A funcionalidade ProMotion 120Hz da Apple regressa e deve ser considerada uma forte razão para escolher o modelo Pro em vez do iPhone 14. A maior taxa de renovação proporciona uma rolagem mais suave e menos animações, e não causa tanta tensão ocular. Torna-se rapidamente “invisível”, mas notará absolutamente a sua ausência. Ao ver o vídeo no iPhone 14 Pro, o ecrã ganha vida com cores deslumbrantes, pretos profundos, e contraste perfeito. Mesmo os altifalantes estéreo são bastante bons. Há clareza, potência e presença real ao som, e posso alegremente ver vídeos e ouvir música em streaming através deles durante longos períodos de tempo.

O iPhone 14 Pro tem um ecrã fabuloso, e é certamente ainda mais imersivo e agradável de ver no maior iPhone 14 Pro Max de 6,7 polegadas, no entanto, considero que este modelo é o mais equilibrado em termos de peso e tamanho do equipamento e, mesmo para mim que tenho maõs grandes, o iPhone 14 Pro Max tonasse demasiado grande. (E já para não falar no preço!).

Análise do iPhone 14 Pro: iOS 16 e Dynamic Island

Dynamic Island, o nome genérico da Apple para a substituição do notch no topo do ecrã, é definitivamente um trabalho em curso. Neste momento, é relativamente simples, mostrando informação sobre ligações Bluetooth, gravações de ecrã e voz, alertas de desbloqueio facial, e temporizadores. A funcionalidade Actividades ao Vivo da Apple ainda não está pronta, e também não foi dado acesso aos programadores. Quando estas coisas acontecerem num futuro próximo, a utilidade da Ilha Dinâmica irá disparar.

Por agora, o que se vê é potencial. A Ilha Dinâmica nunca se sente intrusiva, e a funcionalidade que proporciona é útil. Os controlos musicais são o melhor exemplo, pois um toque curto leva-o diretamente à aplicação que está a tocar, e um toque mais longo revela um conjunto de controlos rápidos. Embora estas características possam ser encontradas noutros locais no iOS, é inegavelmente rápido e intuitivo utilizar a Ilha Dinâmica, e é um bom presságio para o futuro quando mais aplicações a utilizarem.

É também uma coisa de beleza ininterrupta, uma vez que o software se transforma e se desloca em torno da componente de hardware de forma tão natural que não se consegue realmente dizer onde uma começa e a outra acaba.

O iPhone 14 Pro vem com o iOS 16 instalado. Para além da nova exibição da percentagem de bateria, muito tem sido feito para personalizar o ecrã de bloqueio do iOS 16. Mas a nova página de definições para alterar o papel de parede e adicionar widgets é por vezes complicada e confusa. Pessoalmente, não vi nenhum benefício diário em adicionar mais confusão ao ecrã de bloqueio, mas compreendo que os outros podem sentir-se de forma diferente. O novo processador A16 Bionic alimenta tudo isto, e embora não tenha tido qualquer problema com o desempenho em qualquer altura, não tenho a certeza se consigo ver qualquer diferença real entre ele e o A15 Bionic no iPhone 13 Pro.

O sistema de notificação no iOS também tem sido demonizado há algum tempo, mas se é verdade que ainda tem muito por melhor quando comprado com as possibilidade no mundo Android, também é verdade que há tem evoluído muito. As notificações ficam na parte inferior do ecrã, que pode ser expandida quando a Face ID o vê. Algumas podem ser mais visualizadas, ou tocadas para abrir a aplicação correspondente.

Há uma vantagem chave de software sobre toda a concorrência que coloca o iPhone num nível superior: a actualização de software. Apesar de a Apple não indicar o período de tempo que cada equipamento obterá grandes atualizações do iOS, o iPhone 8 lançado em 2017 ainda recebeu esta última versão do iOS 16. Isto significa que é expectável que o iPhone 14 Pro venha a ter os mesmo cinco anos de atualizações.

Quantos equipamentos Android é que consegue encontrar com tantos anos de atualizações? Até com três anos de atualizações é difícil de encontrar.

Análise do iPhone 14 Pro: Câmaras

Sim, a câmara do iPhone 14 Pro é uma melhoria em relação à câmara do iPhone 13 Pro. Não é por muito, mas as melhorias fazem a diferença. A câmara principal tem 48 megapixels, enquanto as câmaras de grande angular e telefoto têm 12 megapixels.

E quanto à aplicação e à experiência fotográfica? O iPhone 14 Pro pode tirar 2x ou 3x fotos com zoom óptico, ou expandir para uma foto 0,5x grande angular; para vídeo, pode gravar até 4K de resolução a 60 fotogramas por segundo (fps). É versátil e satisfatório, e embora alguns possam querer ver um zoom óptico maior, a configuração 3x aproxima-nos bastante. Por esta razão, achei o novo zoom 2x mais útil do que se a Apple tivesse adicionado um zoom 5x.

O reconhecimento facial é quase instantâneo quando se usa a câmara traseira, a aplicação reconhece imediatamente e isola perfeitamente o texto para copiar e colar noutras aplicações ou mensagens, mais o Siri Knowledge é óptimo no reconhecimento de plantas e animais. O conjunto de edição de imagem é poderoso mas confuso e não particularmente rápido de usar, e acho que os filtros pré-fabricados raramente melhoram as minhas imagens. A Samsung faz um melhor trabalho com os seus filtros, mas a sua suite de edição é ainda menos intuitiva, e ainda recorro frequentemente a aplicações como Snapseed para dar um impulso às fotos.

As fotografias podem ser filmadas no modo ProRaw da Apple, proporcionando mais potencial para edição por aqueles que sabem como tirar o melhor partido do formato. Mas cuidado, pois as fotografias ProRaw ocupam muito espaço, com imagens únicas a chegarem a cerca de 60MB ou mais. Fica ainda pior se quiser experimentar a funcionalidade ProRes para vídeo, pois a Apple estima que um único minuto de vídeo ProRes ocupará um espaço de armazenamento gigante de 1,7GB. Também estima que os 100GB restantes no meu iPhone 14 Pro de 256GB me permitirão gravar ProRes durante apenas 19 minutos.

ProRes e ProRaw são características de nicho que a maioria das pessoas não sentirá necessidade de experimentar, e é semelhante ao modo cinematográfico de retorno (que agora dispara em resolução de 4K a 24 fps ou 30 fps) e ao novo modo de acção. Isto acrescenta um nível de estabilização em forma de gimbal aos vídeos em que você e o alvo se estão a movimentar. O iPhone 13 Pro já tinha uma grande estabilização para vídeo, e é óptimo também no iPhone 14 Pro, mais a transição mais suave entre os níveis de zoom é muito bem-vinda.

Sim, a câmara do iPhone 14 Pro é uma melhoria em relação à câmara do iPhone 13 Pro.

Fotografar e filmar nos modos normais com uma resolução razoável, e com a estabilização normal, será provavelmente suficiente para a maioria das pessoas na maioria das situações. As características adicionais podem não ser usadas com muita frequência, e certamente não por todos os que compram um iPhone 14 Pro, mas são bem implementadas, e se tiver o conhecimento e o software adicional correcto para as experimentar adequadamente, são sem dúvida poderosas.

A câmara do iPhone 14 Pro é fantástica. Tira fotografias emocionantes e vibrantes ao sol, fotografias detalhadas e equilibradas no escuro, e tem uma versatilidade mais do que suficiente grande parte das utilizações.

Analise do iPhone 14 Pro: Bateria e carregamento

O desempenho da bateria do iPhone 14 Pro não é excelente, o que já é uma situação habitual, mas há sinais de melhoria. Inicialmente, a bateria nunca ia durar mais do que um dia, e com uma utilização moderada (cerca de três a quatro horas de tempo de ecrã), chega ao final da noite com menos de 30%, o que significa que fizesse uma utilização mais pesada, teria de o carregar antes de me ir deitar.

No entanto, verificamos que com o tempo o equipamento fez melhor uso da bateria e conseguimos, mais vezes, chegar com bateria ao final da tarde que não me fez preocupar em procurar um carregador com urgência.

A duração da bateria e a tecnologia de carregamento são os aspectos menos impressionantes do iPhone 14 Pro.

A Apple não fornece um carregador com o iPhone 14 Pro, mas coloca um cabo USB tipo C para o cabo Lightning na caixa. Se possuir o bloco de carregamento de 20 watts da Apple, espere que a bateria seja carregada a 50% em cerca de 30 minutos. Eu uso o bloco de carregamento de 29W da Apple, e isto leva-o ao máximo em pouco mais de uma hora.

É um desempenho aceitável, mas não consegue igualar os tempos de carregamento rápido fornecidos peloOnePlus 10, ou muitos telefones de Oppo ou o Vivo X80 Pro. É consistente com os telefones da Samsung, no entanto.

A duração da bateria e a tecnologia de carregamento são os aspectos menos impressionantes do iPhone 14 Pro. Outras marcas têm feito excelentes progressos na tecnologia de carregamento rápido.

Análise do iPhone 14 Pro: veredicto

Uma das minhas coisas favoritas sobre o iPhone 14 Pro é como é fácil viver com ele, e isto começa a partir do momento em que o tiramos da caixa. Não demora muito a configurar o telefone, e se vier de outro iPhone, a Apple fornece tudo, desde armazenamento temporário extra iCloud e transferência rápida de conta, para o tornar realmente simples.  Se estiver a vir de um antigo iPhone, surge uma pequena notificação que essencialmente automatiza o processo. É sem esforço e uma óptima introdução ao seu novo e caro telefone.

Vai muito além desses primeiros momentos, sendo que a grande força da Apple continua a ser um ecossistema sem concorrência no mercado, com todos os seus produtos integrados de uma forma “à Apple”.Há também duas novas características de segurança: um sistema de detecção de acidentes de automóvel que não tive qualquer intenção de testar, e uma função de chamada de emergência por satélite, que ainda não está disponível em Portugal e, também, esperamos nunca vir a precisar dele.

Em termos positivos continua a ser uma câmara de excelência, desempenho de topo e um ecrã de um nível excecional. Sendo que outra das grandes vantagens, além do ecossistema, é que o suporte de software é longo e basta olharmos para os smartphones com quatro anos ainda terem atualizações do iOS, algo que é uma sonho utópico no mundo Android.

Ainda podemos falar da “novidade” Always-On, que esá bom, não cinsog deixar de pensar que o Dynamic Island foi uma excelente forma que a Apple arranjo de esconder as câmaras no meio do ecrã e ainda adicionar funcionalidades.

Mas nem tudo são rosas e há coisas que a Apple não muda. A duração de bateria continua a ser limitada a um dia, e se utilizar de forma intensiva é possível que precise de uma powerbank. E para ajudar a isto, a velocidade de carregamento continua a ser ridícula para um smartphone deste preço, quando a concorrência já está a anos-luz. E e o preço é mesmo incrivelmente alto, já que em Portugal começa nos 1319€, enquanto no Brasil é de R$9499.

A favor:

  • Melhoramentos da câmara significam grandes fotografias
  • Poderoso processador A16 Bionic
  • Ecrã vibrante
  • Suporte de software a longo prazo

Contra:

  • Duração da bateria de um dia
  • Velocidade de carregamento
  • Preço

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui