Análise iPad mini Retina: O pequeno poderoso

iPad mini Retina (8)

Cada vez mais os tablets assumem a liderança de venda dos electrónicos. A pensar nisso testámos o iPad mini retina. Pequeno e poderoso, sem dúvida.

Índice:
Características e acessórios
Design e ecrã
Desempenho
Veredito: iPad mini Retina

Apesar de Steve Jobs ter dito uma vez que não faria qualquer sentido um tablet com menos de 10″, a Apple avançou para a produção do iPad mini. A versão que testamos hoje é a do iPad mini com ecrã retina. Surpreende em todos os aspectos sendo difícil usar apenas uma palavra que o descreva. Revolucionário, pensamos que se adequa.

Características  e acessórios

Como todos os produtos Apple, o minimalismo está presente na caixa que nos traz o iPad mini. Um iPad mini, cabo de dados lightning e carregador usb. Basicamente é isto que vem na embalagem e de pouco mais iremos precisar.

Para quem conhece o iPhone 5S as características são muito semelhantes, o novo processador A7 de 64 bits auxiliado por um co-processador de movimento M7, câmara isight de 5Mpx e um fabuloso ecrã retina. Seguem as especificações completas:

caract

Design e ecrã

iPad mini Retina (7)Como quase todos os produtos Apple, o iPad mini retina não foge à tradição, a qualidade geral do equipamento é soberba. Os pequenos detalhes e os materiais utilizados, agradam ao toque e transmitem uma sensação de exclusividade.

A inclusão de um ecrã retina num dispositivo tão pequeno surpreende, mas no bom sentido. A densidade de pixels é elevada o que produz um resultado final muito perto do que estamos habituados num iPhone 5S por exemplo. Qualidade, cores vivas e vibrantes é o que podemos esperar do ecrã com a resolução de 2048×1536 píxeis a 326 píxeis por polegada (ppp).

iPad mini Retina (4)Enquanto CEO da Apple Steve Jobs sempre se mostrou relutante à ideia de um iPad das dimensões do iPad mini mas o que é certo é que nos dias que correm, grande significa pouca portabilidade e pequeno, deficiente desempenho. Assim pensamos que este será o tamanho ideal para um tablet para quem procura conciliar estes dois aspectos.

Para quem conhece os produtos Apple não há muito a dizer sobre a qualidade do touch dos dispositivos da marca, para os que ainda não conhecem, basta dizer que a sensibilidade dos ecrãs retina é soberba reagindo a todos os toques mesmo os mais suaves. Sem nada a apontar.

Para alguns, foi a revolução da nova geração Apple, para outros é uma grande dor de cabeça. Confesso que ficámos fãs da nova porta lightning. Torna a conexão bastante simples e rápida ocupando menos espaço do que o anterior interface. A parte negativa são todos aqueles gadgets que temos baseados na porta antiga que ficaram, em alguns casos inutilizados caso o utilizador tenha renovado o iPhone / iPad.

Desempenho

Em termos de desempenho, o iPad mini retina é soberbo. Se já teve contacto com o iPhone 5s, a experiência é bastante semelhante. Alimentado pelo poderoso processador A7 com 64bits, tudo é bastante fluido, não há paragens. Não há apps que peçam mais do que o iPad consegue dar.

Nos testes que efectuamos, o desempenho foi muito semelhante ao do iPhone 5S como seria de esperar, e esteve bastante à frente quer da concorrência, quer do iPad 4.

São muitos os utilizadores de tablets que os usam para jogos. Pois bem, testamos com o Real Racing 3, um jogo que solicita bastante poder de processamento dos dispositivos. Nada a apontar. Não há queda de fotogramas, não sentimos que o jogo poderia ser melhor com outro equipamento. Simplesmente perfeito.

Seguem algumas imagens com os resultados dos testes nos vários programas de benchmark:

Veredito: iPad mini Retina

Pensamos que esta versão do iPad está muito bem conseguida. Extremamente leve e potente, consegue aliar a portabilidade ao poder de processamento a que a Apple nos tem habituado. O facto de ter o ecrã retina num dispositivo tão pequeno, também surpreende, é uma resolução de 1536×2048 que faz com que tudo seja apresentado de forma excelente.

Pontos a favor:

  • Ecrã soberbo
  • 64 Bits de processador
  • Design elegante

Pontos contra:

  • Preço (rivais são baratos com desempenhos aproximados)
  • Armazenamento. Sem porta de expansão 16GB pode ser pouco.

Agradecemos desde já à Vodafone, a cedência desta unidade para testes, encontrando-se a mesma à venda no mercado Português pelo preço aproximado de 509€, versão 4G, bloqueada à rede.

Agradecemos desde já à Vodafone, a cedência desta unidade para testes, encontrando-se a mesma à venda no mercado Português pelo preço aproximado de 509€, versão 4G, bloqueada à rede.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here