Análise Huawei Ascend P7: smartphone “chinês” a caminho do topo

Huawei Ascend P7 (2)

Muitos ainda olham para a Huawei com desconfiança, já que é uma marca chinesa, mas as coisas estão a mudar. Será que o Ascend P7 vai convencer? Leia a análise.

A Huawei tem apostado cada vez mais nos dispositivos móveis e após sair da “sombra” das operadoras e começar a apostar em dispositivos de marca própria, o resultado tem sido cada vez melhor. Ainda me lembro de ter testado o Ascend P1 e de já o ter achado uma excelente qualidade/preço, sendo que o antecessor Ascend P6 impressionou-me pela excelente qualidade de construção do equipamento. Será que o Ascend P7 sobe mais um nível? Acredito que sim. Leia o porquê.

Índice:
Características e Acessórios
Design e Ecrã
Interface e Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito: Huawei Ascend P7

Características e Acessórios

  • Huawei Ascend P7 (9)Dimensões: 139.8 x 68.8 x 6.5 mm
  • Peso: 124 g
  • Sistema Operativo: Android 4.4.2 KitKat
  • Ecrã: IPS de 5 polegadas
  • Resolução: 1080 x 1920p / 441 ppi
  • Câmara: 13MP /Frontal: 8MP
  • Processador: HiSilicon Kirin 910T Quad-core Cotex-A9 a 1.8 GHz
  • GPU: Mali-450MP4
  • Memória Ram: 2 GB
  • Memória interna: 16GB , MicroSD até 64GB
  • Bateria: 2500 mAh
  • Wi-Fi 802.11 a/b/g/n, dual-band, Wi-Fi Direct, DLNA, Wi-Fi hotspot
  • GPS com A-GPS e GLONASS
  • Bluetooth 4.0, NFC e 4G
  • Jack de Áudio Normalizado de 3.5 mm

As características do Huawei têm melhorado, com um ecrã melhor, já com Full HD, bem como as câmaras também melhoraram, em comparação com o seu antecessor P6, no entanto  o processador mantêm abaixo dos grandes topos de gama, sendo esse uma das grandes críticas à Huawei. Não merecia o Ascend P7 um processador melhor? Claro que sim e é pena termos visto que a Huawei tem apostado no seu processador próprio nos topos de gama e apenas anunciou o Kirin 920 depois do Ascend P7.

No entanto a interpretação da Huawei é que os utilizadores não se importam em ter o melhor desempenho possível, mas sim que o smartphone tenha o desempenho necessário. Para quê ter um Snapdragon 801, se não o utilizamos? É verdade e, também, assim deve ajudar a Huawei a manter o preço baixo nos seus dispositivos.

Em termos de acessórios, o Ascend P7 vem com o vulgar carregador de parede e cabo USB-microUSB, bem como uns auriculares e duas etiquetas NFC. Ao contrário do antecessor P6, o Ascend P7 não incluí uma capa de silicone, o que me deixou um pouco desiludido, pois esse foi um fator muito importante de diferenciação perante a concorrência e que, a meu ver, era um ponto muito positivo para a fabricante chinesa.

Design e Ecrã

Tal como o antecessor Ascend P6, o Huawei Ascend P7 destaca-se pelo seu design. Praticamente igual ao anterior, ao estilo do iPhone 4 e também utilizado no Sony Xperia Z mas utilizava uma construção em alumínio, desta vez a Huawei aposta numa construção de vidro com a mais recente tecnologia que estamos habituados a ver nos ecrãs, o Gorilla Glass 3, na parte da frente e na parte de trás, o que é uma boa aposta devido à grande resistência aos riscos desta tecnologia. De lado tem uma margem metálica que acompanha todo o smartphone. Se o antecessor era muito parecido ao iPhone 4, então este é um iPhone 4 em ponto grande.

Huawei Ascend P7 (5)

No entanto, em comparação com o Ascend P6, este equipamento ficou mais leve e mais fino, enquanto aumentou um pouco o tamanho devido ao respetivo aumento do tamanho do ecrã e da resolução, portanto só melhorias.

Se o anterior design já era interessante, este ficou ainda mais atrativo, com a redução da espessura do smartphone, bem como das margens, o Huawei Ascend P7 mantêm uma excelente utilização. Dentro dos equipamento de 5 polegadas está ao nível dos topos de gama, em vários casos bem superior.

Huawei Ascend P7 (4)Os botões são bastante confortáveis e todos os botões e compartimentos estão localizados no lado direito do smartphone, o que é perfeito para os destros, mas mau para os canhotos. Mas, como em tudo, é uma questão de hábito. Temos o botão de volume e logo a seguir o botão de ligar/desligar, mais ou menos a meio o que é perfeito, pois conseguimos ligar/desligar o smartphone apenas com uma mão, fazendo o mesmo com o volume.

Quanto aos compartimentos, temos dois, um para o cartão SIM e outro para o microSD, uma opção que os consumidores têm solicitado, nem sempre com resposta afirmativa, mas que a HTC já acedeu no seu HTC One M8.

O ecrã do Ascend P7 é de excelente qualidade, no entanto fica um pouco aquém do Galaxy S5 e da tecnologia Super AMOLED. Mas apesar de as cores não serem tão vivas, não pense que é de má qualidade. Pelo contrário. As cores são bastantes interessantes e vivas, bem como os pretos e a visualização com o sol diretamente no ecrã, no entanto os ângulos de visão apesar de serem bons, começamos a ver alguma perda de qualidade conforme o vamos virando. Mas não dará por nada, pois apesar de referirmos sempre esta diferença, não é uma “situação” que aconteça muito aos utilizadores.

Interface e Desempenho

Ascend P7 interface (3)O Interface do Huawei Ascend P7 volta a receber um upgrade, para o Emotion UI 2.3, com o Android 4.4.2 KitKat. Poderíamos pormenorizar este novo design, mas basta esta pequena frase para perceber o todo do interface da Huawei, muito parecida ao iOS 7. Sim, haverá muito poucas pessoas que não tenham notado durante a apresentação em Paris que este interface é muito similar ao iOS, bem como o formato do sistema operativo no Ascend P7.

Ao contrário do que acontece na maioria dos Androids, não temos de carregar num “botão” para acedermos às aplicações, é da mesma forma que o iOS, as aplicações estão no ambiente de trabalho.

Apesar desta “diferença ou confusão” dependendo das pessoas, eu gosto desta interface. Quem já experimentou, ou tem, um dispositivo móvel da Apple, sabe que a interface da marca da maça é muito intuitiva e que toda esta estrutura é excelente, por isso a Huawei tenta, aqui, juntar o melhor dos dois mundos, a interface intuitiva do iOS com o ambiente de trabalho e os widgets do Android. É funcional?

Para quem está habituado ao Android, vai sentir-se um pouco perdido, mas provavelmente quem vem do iOS sentir-se-à bem e gostará destas novidades. Pessoalmente, gosto desta interface, apesar de a maioria da imprensa internacional não concordar, mas também tenho a noção que deve haver melhorias. A forma como os widgets se apresentam, colocando assim as aplicações mais afastadas da página inicial, se não tivermos em atenção a isso, poderá causar mais problemas do que melhorias na utilização. Para resolver esse assunto, eu coloquei a página inicial da interface nas aplicações, mas sinto falta de alguns widgets que gosto de ver mal desbloqueio o smartphone.

A parecença com o iOS vai ao ponto de quando o smartphone está bloqueado, ao deslizar o dedo de cima para baixa aparece uma barra de pequenas definições, onde pode ligar a lanterna, aceder ao calendário, espelho e calculadora, bem como ver o tempo de hoje e dos próximos dias. Ao carregar em alguma das aplicações é aberto um estilo de pop-up.

Apesar de alguns icons de aplicações serem parecidas ao iOS, outras não fazem grande sentido. A aplicação de música é um circulo cor de rosa num fundo vermelho, tentando indicar que é um CD. O acesso aos temas é um conjunto de cores, enquanto a galeria é uma “colina verde”, demasiado vago para perceber. Ao contrário do que acontece no iOS que é tudo muito intuitivo, as pessoas terão de se habituar ao que os icons representam para perceber o que é cada coisa, ou então terá de estar à procura da aplicação através do texto por baixo.

Ascend P7 interface (5)Mas há outro tema pré-instalado, além de vários outros que podem ser descarregados da internet. O tema Simples torna o Emotion UI num Windows Phone, supostamente com o objetivo de uma interface simples.  Temos pequenos quadrados/Live Tiles. Até sou fã do Windows Phone, no entanto este tema só se parece com o WP, pois de resto é pouco personalizável e nem sequer consegui usar durante muito tempo.

O menu de notificações é bom, mostra apenas cinco principais opções, mas poderá abrir mais opções, sendo que as notificações são “normais”. Mas a Huawei adicionou algumas ferramentas que permite saber se há aplicações que estão a gastar memória mas não estão a ser usadas, bem como se tiver muitas aplicações abertas é notificado que as pode/deve fechar.

Em termos de desempenho não notamos a diferença, mas o processador e os testes de desempenho que fizemos demonstram o contrário. pois a fabricante chinesa mantêm a aposta no seu processador próprio, já ultrapassado, o HiSilicon Kirin 910T. É verdade que a maioria das pessoas não utiliza o processador ao máximo, mas tendo em conta que o Ascend P7 tem um design ao nível, até mesmo superior, de vários topos de gama, os consumidores pretendem características de topo em todas as frentes.

Antes de mostrarmos os testes de desempenho, utilizei um Nexus 5, com o Snapdragon 800, bem como um Galaxy S5, para correr lado a lado o Real Racing 3 e o tempo de loading foi um pouco superior. Mas este processador está atrasado umas duas gerações. Nos testes de desempenho utilizámos os “normais” AnTuTu, AnTuTu X, Vellamo, SunSpider, Quadrant, GFXBench e 3DMark.

Como seria de esperar, os resultados são ao nível dos topos de gama do ano passado, ficando a anos luz de topos de gama deste ano.

Ascend P7HTC One M8 (PhoneArena)HTC One M7
Antutu258373107526167
Antutu X23652 N/A23067
Quadrant72681913912868
Vellamo202916732417
GFXBench12.2fpsN/AN/A
3DMark745820,612 (Engadget)N/A

Volto a referir que na verdade não notamos qualquer diferença entre este processador e os Qualcomm, no entanto é uma situação que se deverá alterar com o passar dos anos e quando se paga tantos euros por um smartphone, pretende-se o máximo possível. Se o compararmos ao LG G2, do ano passado, os preços são mais interessantes para a fabricante sul-coreano.

O desempenho de bateria enquadra-se no esperado para estes smartphones, um dia de bateria com utilização intensa, dois dias numa utilização normal. A opção de poupança de bateria altera para interface Simples, no entanto a preto e branco, um estilo do Windows Phone sem cores.

Câmara e Multimédia

As câmaras são do melhor neste Ascend P7, com claro destaque para a câmara frontal de 8MP. Sim, 8MP, uma das melhores câmaras frontais no mercado, o que torna este equipamento perfeito para as selfies e ainda capta uma fotografia maior do que a maioria das câmaras frontais. Mas, além da qualidade clara do sensor, também há funcionalidades extras para  esta câmara.

Huawei Ascend P7 (10)

Podemos tirar uma selfie panorâmica, bem como é indicado para onde deveremos estar a olhar quando tiramos a selfie, para impedir que na maioria das fotos estejamos a olhar para baixo. Além disso é adicionada uma contagem para sabermos quando a fotografia é captada.

A câmara traseira de 13MP é de excelente qualidade, com várias funcionalidades que a Huawei já nos tem acostumado, como a opção “embelezar”, que está disponível em ambos os sensores, como os conhecidos HDR, filtros, imagens com som, etc.

Huawei Ascend P7 (3)A câmara traseira é, como seria de esperar, de excelente qualidade. As fotos são muito boas fornecendo uma imagem muito clara e com boa cor, no entanto um pouco inferior ao Galaxy S5. Mesmo com pouca iluminação a qualidade é decente, nomeadamente comparada com a maioria dos smartphones, mas já é bastante bom, sem dúvida. A Huawei mantêm a sua câmara com excelentes macros, uma característica também destacada no antecessor Ascend P6.

Aqui ficam algumas fotos tiradas com smartphone, sendo que também há uma selfie. Pode ver as fotos originais na nossa conta do Flickr.

Em termos de vídeo é bom, mas não surpreende. Capta boa imagem, não grava a 4k (independentemente de ser importante ou não) e o som captado é de boa qualidade. No entanto, parece-me que há muito melhor no mercado, mas sem dúvida que será mais do que o suficiente para a maioria das pessoas.

Veredito: Huawei Ascend P7

Huawei Ascend P7 (1)

Desde o momento que experimentei o novo topo de gama da Huawei fiquei impressionado. Conseguiram melhorar o design que já era de excelência, bem como adicionaram mais funcionalidades e melhoraram as câmaras, nomeadamente a frontal indo ao encontro das famosas selfies que muitos consumidores têm captado.

No entanto, desiludiu-me o processador. Não é que a maioria das pessoas note qualquer diferença, no entanto ao compararmos com outros topos de gama, está bem atrás. Num futuro, certamente que um Galaxy S5, LG G3 ou HTC One conseguirá acompanhar a evolução dos smartphones “mais à vontade” do que este Ascend P7. A interface também é um pouco confusa. Pessoalmente eu gosto, devido à parecença com o iOS 7, no entanto várias pessoas não gostaram e acharam confuso.

Um pormenor que não considero ponto positivo nem negativo é o preço. As empresas chinesas são conhecidas pelo seu preço baixo, sendo que a Huawei tem lançado boas especificações mantendo o preço baixo, mas 449€, não posso considerar um preço baixo para as características apresentadas pelo Ascend P7. Se tivesse um processador melhor, sem dúvida que o preço seria excelente, mas tendo em conta que conseguimos um Nexus 5 por pouco mais de 340€, acho que o Huawei poderia ser um pouco mais barato ou, então, oferecer um processador melhor.

Pontos a Favor:

  • Design de excelência
  • Câmara frontal de 8MP
  • Android 4.4.2

Pontos Contra:

  • Processador três gerações atrasado
  • Interface pode melhorar

Desde já agradeço à Huawei por ter disponibilizado o Huawei Ascend P7 e o equipamento pode ser encontrado no mercado nacional por 449€ nas cores branca, preta e rosa. Deixo-vos com a habitual galeria de imagens.

7 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here