Análise Huawei Ascend Mate 7: um phablet de grande nível

Huawei Ascend Mate 7 (9)

O Huawei Ascend Mate 7 é um smartphone grande e que também tem uma bateria enorme. Será que é a melhor escolha? Leia a análise.

Índice:
Características e Acessórios
Design e Ecrã
Leitor de impressões digitais
Interface e Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito: Huawei Ascend Mate 7

Que os smartphones grandes estão na moda já não é novidade, até a própria Apple acabou por aumentar o tamanho dos seus equipamentos, para 4,7 polegadas e 5,5 polegadas. No entanto, a verdade é que a partir das cinco polegadas os smartphones começam a ser demasiado grandes e de difícil utilização apenas com uma mão.

O Huawei Ascend Mate 7 apresenta-se com seis polegadas e com tamanho a condizer, além de a fabricante manter a aposta em processadores próprios. Pelo seu tamanho, temos de o considerar um phablet, mas será que o preço justifica a diferença para o Galaxy Note 4? Nada melhor do que ler a nossa análise para compreender.

Características e Acessórios

  • Dimensões: 157 x 81 x 7.9 mm
  • Peso: 185 g
  • Sistema Operativo: Android 4.4 KitKat
  • Ecrã: IPS LCD de 6″
  • Resolução: 1080 x 1920p/368 ppi
  • Câmara traseira de 13 MP e frontal de 5 MP
  • Processador: HiSilicon Kirin 925 octa-core (Quad-core 1.8 GHz Cortex-A15 e quad-core 1.3 GHz Cortex-A7)
  • GPU: Mali-T628
  • Memória RAM: 2GB e 3GB(32GB)
  • Memória interna: 16 GB, com MicroSD até 128GB
  • Bateria: 4100 mAh não removível
  • Wi-Fi 802.11 a/b/g/n, dual-band, DLNA, Wi-Fi Direct, hotspot
  • GPS com A-GPS, GLONASS
  • Bluetooth 4.0
  • Jack de Áudio Normalizado de 3.5 mm
  • Rádio FM, Espelho, Lupa e Lanterna
  • Sensor de impressões digitais

Huawei Ascend Mate 7 (8)Em termos de dimensões é grande, claro, mas, no entanto o peso parece mais leve do que realmente é. Acreditamos que a Huawei idealizou o peso de forma a ficar melhor distribuído no equipamento e que nos ilude que é um smartphone leve, sem dúvida muito bem conseguido. O sensor de impressões digitais é um fator diferencial em relação à maioria da concorrência.

Em termos de processador mantêm a aposta “na casa” com o novo HiSilicon Kirin 925 octa-core. Uma nota para a bateria de 4100 mAh que promete uma autonomia interessante.

Em termos de acessórios, contamos com um cabo USB-microUSB, carregador de parede e auriculares.

Design e Ecrã

Em termos de design, a Huawei mantém um nível de evolução que tem vindo a acontecer desde o lançamento do Huawei Ascend P6. Além dos seus topos de gama terem um design de grande nível, no caso do Ascend Mate 7 dá mais um passo em frente e coloca em alumínio, voltando a colocá-lo ao nível dos topos de gama.

Huawei Ascend Mate 7 (6)

É um dos melhores designs de smartphones no mercado, oferece um toque de luxo, só comparado com o iPhone e HTC One. Aliás, é mesmo parecido ao HTC One Max, mas temos de perceber que a HTC revolucionou o design dos smartphones em alumínio, o que acaba por ser uma referência para a concorrência.

No entanto, encontramos um pormenor que criticamos, tal como fizemos em relação aos iPhones: o relevo encontrado na câmara. É melhor do que no iPhone 6, porém é praticamente similar ao que encontramos no iPhone 6 Plus, o que não é tão incomodativo, mas continua a ser um relevo que seria melhor não lá estar.

Huawei Ascend Mate 7 (12) Além do design, o Mate 7 é o smartphone da fabricante com a moldura mais pequena e, numa comparação com a concorrência, encontramos muito poucos assim. Não tanto na moldura lateral, mas principalmente em cima e em baixo o espaço foi muito bem aproveitado, reduzindo o tamanho de um smartphone que, à partida, poderia ser maior. Aliás, podemos comparar as dimensões do iPhone 6 Plus e percebemos que consegue ter um ecrã maior, num corpo similar.

Em termos ergonómicos não é muito bom, muito devido ao seu tamanho. A maioria das funções necessitará de duas mãos para o fazer, mas se não fosse o tamanho do dispositivo, acredito que a utilização do mesmo era excelente.

Olhando agora para o ecrã também ficamos satisfeitos. Então num smartphone de 6 polegadas, o ecrã é utilizado ao máximo. Este Full HD oferece excelente qualidade de utilização, tanto para ler como para jogar ou mesmo ver um vídeo. Também é verdade que neste segmento de preço não se espera menos.

Huawei Ascend Mate 7 (1)No entanto, aqui acreditamos que poderíamos encontrar um pouco mais. É que ao olharmos para a maioria dos topos de gama, nomeadamente o Note 4 e o LG G3, já temos ecrãs com qualidade QuadHD e, no mercado nacional, temos tão poucos que, certamente, seria um grande impulsionador para este equipamento. A Huawei decidiu apenas pelo Full HD. O outro phablet concorrente é o Galaxy Note 4 e tem QuadHD, o que coloca o Mate 7 atrás.

O que acreditamos é que a Huawei optou pelo Full HD para não sacrificar a autonomia, no entanto continuamos a acreditar que com 4100 mAh, poderia ter tentado.

A visualização do ecrã é muito boa, tanto em interiores como em exteriores, oferecendo um grande ângulo de visualização. Sem dúvida, um excelente ecrã.

Leitor de impressões digitais

Um fator que salta rapidamente à vista é o leitor de impressões digitais. É, sem dúvida, o melhor sensor de impressões digitais do mercado dos smartphones, tendo em conta a sua forma de utilização. Ao olharmos para a concorrência, nomeadamente o iPhone e o Galaxy, é necessário que o smartphone esteja ligado, no entanto o iPhone consegue ser melhor, bastando encostar o dedo, ao contrário do deslizar de dedo necessário no Samsung.

Huawei Ascend Mate 7 (2)

Mas a Huawei melhorou o que, já de si, é uma excelente oferta e não precisa sequer de estar ligado para funcionar. Basta encostar o dedo no leitor que o equipamento deteta e faz a leitura. Ora isto é que é um bom funcionamento, não necessitarmos de ligar para desbloquear, o que melhora ainda mais a utilização do equipamento e ajuda devido ao seu tamanho. Sem dúvida, e volto a referir, estamos perante o melhor leitor de impressões digitais em equipamento móveis.

Não retirando o excelente funcionamento, por vezes notamos algumas falhas no reconhecimento (que também acontece nos outros), mas o que mais nos chateou foi mesmo a lentidão na perceção de que o dedo estava lá à espera da leitura para desbloquear o smartphone. Não aconteceu muitas vezes, mas sem dúvida que gostaríamos que tivesse acontecido muito menos.

Interface e Desempenho

Huawei Ascend Mate 7 Interface (1)Aqui encontramos o Emution UI, agora EMUI, uma versão personalizada da própria Huawei, ainda no Android 4.4. O Ascend Mate 7 foi anunciado, ainda o Android 5.0 Lollipop não era conhecido, portanto é normal que ainda tenha a versão anterior. No entanto, a evolução do EMUI  é cada vez melhor e mantêm o estilo característico que tanto gostamos no Ascend P7.

Na anterior versão, o design era demasiado parecido com o iOS 7, as cores utilizadas, o design dos ícones, tudo demasiado “cópia”. Mas a Huawei inovou e melhorou, oferecendo um novo estilo, próprio e único, mas mantendo a interface que tanto gostamos na versão anterior.

O EMUI mantém o melhor do iOS (simplicidade de interface) com o melhor do Android (widgets). Não é preciso tocar no menu central para acedermos às aplicações, as apps estão no ambiente de trabalho. Mas nesta versão, além de aperfeiçoar o design, ainda lançou novos e diferentes temas, permitindo aos utilizadores descarregarem uma versão mais do seu agrado, sempre ao estilo EMUI. Continua muito fluído.

Huawei Ascend Mate 7 Interface (2)No entanto, a Huawei tem várias aplicações pré-instaladas, o que adiciona demasiado “lixo”. É que além dos programas habituais da Google, que já estamos habituados mesmo não as usando, no Huawei Ascend Mate 7 temos o Bitcasa (armazenamento em nuvem), 100% jogos (loja de jogos da GameLoft), Todoist (lista de tarefas), Zinio (venda de revistas), Hilights (loja de sugestão de jogos/apps que redireciona para a GooglePlay) e ainda temos vários jogos. Mas felizmente há uma boa notícia: todas estas aplicações podem ser desinstaladas, o que é bom para reduzir o espaço ocupado.

De referir que a Huawei ainda oferece umas aplicações próprias. A Hicare é uma aplicação de ajuda para funcionar com o smartphone e o EMUI, com vários manuais que ajudam na mais simples função, como tirar uma foto, mas que também ensina como protegermos a nossa privacidade no smartphone. Também há um Gestor de Telefone, que permite gerir aplicações que consumam muita energia, gerir o tráfego e até um filtro de assédio, que permite bloquear alguns números de telefone. O rádio também é uma opção que é sempre bom ter.

Ao bom estilo Apple, basta deslizar para baixo para procurar alguma aplicação que não está a encontrar, permite pesquisar entre as aplicações, mensagens, contatos e no Chrome.

Huawei Ascend Mate 7 Interface (6)Nas notificações também temos diferenças, sendo que além de estarem ordenadas cronologicamente, também é indicado do lado esquerdo a hora em que a notificação aconteceu. Também podemos fazer pequenas ações rápidas, como arquivar um email ou responder a uma chamada perdida.

Os botões agora introduzidos no ecrã também podem ser personalizados e com várias formas, incluindo uma que esconde os botões, que a Huawei chama de barra de navegação. Para esconder os botões basta carregar na opção que aparece, sendo que para os ver novamente, basta arrastar de baixo para cima, a partir de fora do ecrã. Perfeito para podermos utilizar todo o ecrã à vontade.

É nesta altura que testamos o processador fabricado pela própria Huawei, o HiSilicon Kirin 925. Esta versão do processador é um quad-core a 1.8 GHz Cortex-A15 e quad-core a 1.3 GHz Cortex-A7, que trabalhando em conjunto funcionam como um octa-core.

A verdade é que em termos de desempenho do sistema operativo tudo corre às mil maravilhas, sem lags ou engasgos, os jogos correm bem e a visualização de vídeo em Full HD também é de grande qualidade. Então aliado a uma bateria com esta autonomia, é uma excelente companhia para grandes viagens.

Mas para podermos fazer uma comparação mais correta, nada melhor do que usarmos os nossos habituais testes de desempenho. Para obtermos os resultados do Galaxy Note 4 e HTC One utilizamos o Engadget e PhoneArena.

Huawei Ascend Mate 7LG G3Galaxy Note 4 (Engadget)HTC One M8 (Engadget)
Antutu433383290641185 (PhoneArena)31075 (PhoneArena)
Vellamo3614310118081804
GFXBench (Man Off)8.1fps11,4fps18.8fps11,2fps
3DMark138371680920.69220.612

Os resultados acabam por ser bem surpreendentes. Sinceramente, estão bem acima do que esperávamos e a Huawei provou que consegue criar um processador de grande nível e concorrer com o todo-poderoso Qualcomm Snapdragon 801, e até o Snapdragon 805 do Note 4 no AnTuTu.

Os resultados acabam por ser mais um ponto positivo para a fabricante chinesa, já que demonstra que consegue lançar processadores ao mais alto nível e que não precisa de se associar à Qualcomm para conseguir atingir estes níveis.

Ao olharmos para o GeekBench 3.0, que começamos a utilizar, o single-core está pouco abaixo do Snapdragon 801, mas no multi-core consegue largamente superar o 801 no Galaxy S5. É pena ainda faltarem o Snapdragon 805 do Galaxy Note 4 neste teste. Seguem-se as imagens dos testes de desempenho.

Um dos grandes pontos positivos do Ascend Mate 7 é mesmo a bateria. Ao olharmos para o tamanho da bateria (4100 mAh), logo imaginamos que temos um desempenho de grande nível, mas a verdade é que superou as nossas expetativas. Com uma utilização moderada facilmente chegámos aos três dias de utilização, o que é raro nos vários testes já efetuados por nós.

Câmara e Multimédia

Aqui a Huawei também não deixou o seu dispositivo entregue a qualquer um e colocou um sensor da Sony de 13MP. No entanto, as fotografias não são extraordinárias, mas são de boa qualidade. Devemos admitir que estávamos à espera de uma qualidade ao nível do LG G3, do Galaxy S5, ou iPhone 6, mas não é. Também é verdade que o preço não é bem igual. Mas atenção, não deixa de ser uma excelente câmara.

A maioria das fotografias são tiradas com boa qualidade, tanto em interiores como no exterior, onde verificamos menos qualidade em fotografias com pouca luminosidade, situação bem pior que o Nokia Lumia 830, que tem a vantagem de ter um OIS mecânico.

Em termos de interface de câmara, é boa e intuitiva, e tem vários filtros. Certamente suficiente para as fotografias casuais. Fique com alguns exemplos de fotografias, mas poderá aceder às imagens originais na nossa página do Flickr.

Huawei Ascend Mate 7 fotos (1)

Huawei Ascend Mate 7 fotos (8)

Em termos de vídeo é razoável, no entanto não tem opção de gravação em 4K. É verdade que não vale muito a pena, já que a maioria das pessoas também não tem televisões 4k, mas ter é melhor do que não ter e a concorrência já tem.

Em termos de multimédia, com um ecrã de 6 polegadas não poderia correr melhor. Quer dizer, poderia, se tivesse um ecrã QuadHD, mas como a qualidade deste ecrã é muito boa, visualização de multimédia ou jogos conseguem ser proveitosos para o utilizador.

Um pormenor negativo para o som, que neste equipamento não é muito bom, apesar de ser decente, mas que ao ser na parte de trás tem o som abafado quando colocado em cima de uma mesa. Aqui faz falta as colunas frontais que estão presentes em dispositivos como o HTC One ou o Moto G (2014).

Veredito: Huawei Ascend Mate 7

Huawei Ascend Mate 7 (11)

A Huawei continua a apostar forte nos smartphones e phablets, e este Ascend Mate 7 é um vencedor. O seu design é de grande qualidade e oferece uma funcionalidade melhor que a concorrência. O leitor de impressões digitais é melhor do que em outros smartphones. Sim, melhor que a Apple e a Samsung, mas bem melhor. Também o EMUI 3.0 é do nosso agrado e está cada vez melhor, além de os 4100 mAh, oferecerem uma autonomia de bateria só atingido por alguns. Três dias de utilização é um sonho para a maioria dos detentores de smartphones.

Outro dos pontos onde ficámos surpreendidos foi no processador. É normal que a este nível sejamos presenteados com processadores que funcionem bem em grandes exigências, no entanto ao realizarmos testes de desempenho verificamos que concorre com os topos de gama da Qualcomm. Em alguns testes ultrapassou o Snapdragon 805 presente no Galaxy Note 4. Para um processador que é fabricado por uma empresa que não tem como principal negócio os processadores, é de louvar o que conseguiram e eles só devem estar contentes.

Mas nem tudo são rosas, o tamanho do Mate 7 é algo desconfortável e mesmo para quem tem mãos grandes é impossível de utilizar apenas com uma mão. Também consideramos que o equipamento vem com demasiado “lixo” pré-instalado que não será necessário nem utilizado pela maioria dos compradores. Felizmente, todas as aplicações podem ser desinstaladas.

Pontos a Favor:

  • Melhor leitor de impressões digitais até agora
  • Design de grande qualidade
  • Autonomia da bateria
  • Interface/EMUI 3.0
  • Processador acima do esperado

Pontos Contra:

  • Tamanho algo grande
  • Aplicações pré-instaladas desnecessárias

Desde já agradecemos à Huawei por nos ter cedido o Huawei Ascend Mate 7 para análise. O equipamento está disponível em três cores, dourado, prateado e cinzento-escuro e está disponível por 549€ nas lojas de retalho, sendo que no site da Fnac ainda está disponível em conjunto com o Huawei TalkBand. Segue a nossa habitual galeria de imagens:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here