Análise do TCL 10 Pro — o melhor da série 10 da TCL!

Crescente tem sido a integração de novos modelos no segmento dos telemóveis, um segmento bastante competitivo, e onde a fabricante de televisões tem mostrado capacidade de liderança. O modelo 10 Pro continua a ser o preferido, pelo menos, até ser anunciado e lançado o homólogo da linha 20. Os telemóveis de baixa gama têm sido preteridos em virtude da acessibilidade de diversos equipamentos de gama intermédia, uniformizando cada vez mais a comunidade.

Vem sendo hábito a aposta de telemóveis de preços mais baixos, mas com elevadas especificações, uma forma de se estabelecerem no mercado e conquistarem o consumidor, no entanto, poucas conseguem ficar-se por aí. Existe uma necessidade de oferecem uma proposta diferenciadora, como por exemplo, a Huawei com a fotografia ou a Xiaomi com a diversificação e democratização das tecnologias mais recentes. Isto são tudo exemplos de modelos de gestão de mercado extremamente inovadores e desafiantes.

Por sua vez, apostando num conjunto de quatro diferentes modelos dentro da mesma linha, a TCL ainda se está a encontrar no mercado, visto que não está na sua área de conforto. Contudo, não é apenas mais uma marca, pois a chinesa trouxe consigo conhecimentos do mercado dos televisores, nomeadamente ao nível do ecrã, mas sobretudo aliando-se na fotografia, aos excelentes sensores japoneses da Sony para conseguir extrair o fotografo que existe em cada um de nós.

Lançamento

O TCL 10 Pro foi anunciado a 6 de abril de 2020, tendo chegado ao mercado em maio do mesmo ano. O modelo em análise trouxe consigo algumas das especificações mais equilibradas do segmento atendendo a um preço anunciado de 369,90€. Enquanto não for anunciada uma nova versão dentro da linha 20, este é o melhor modelo da marca, pelo menos, em qualidade e preço. Existe previsão de atualização de Android 10 para o novo Android 11.

Equilíbrio não falta a este modelo “profissionalizado” que, mesmo não estando ao nível de uma Xiaomi, uma Oppo ou até da OnePlus, oferece uma abordagem um pouco diferente, mas acessível, não comprometendo nem qualidade, nem o preço — que afinal de contas, decide muita coisa.

Desempenho

O caracter preformante do 10 Pro é bastante evidente, sobretudo por contar com o Qualcomm Snapdragon 675 repartido entre dois cores Kryo 460 Gold de 2.0 GHz e seis cores Kryo 460 Silver de 1.70 GHz que são mais do que suficientes para o quotidiano e, em alguns casos, para alguns jogos habituais. Contudo, se for um utilizador ávido do armazenamento interno, tenha atenção que o modelo recorre apenas a 128 GB de ROM.

CPU/GPU
  • Qualcomm Snapdragon 675;
  • Octa-core (4×2.0 GHz Kryo 460 Gold & 4×1.7 GHz Kryo 460 Silver);
  • Qualcomm Adreno 612;

Segundo dados do Antutu Benchmark v8.4.1, o TCL 10 Pro demonstra uma performance aceitável, face ao processador Snapdragon 675 faz com que este equipamento ultrapasse 31% da concorrência com 88.385 pontos, conjuntamente com 6GB de RAM. Quando falamos do processamento gráfico, este modelo equipado com uma Adreno 612 ultrapassa 11% dos seus concorrentes. O desempenho geral supera 19% dos dispositivos em matéria de processamento, memória e interface, estabelecendo um total de 223.883 pontos — pontuação superior ao Galaxy A70 que se encontra 85º lugar do ranking do Antutu Benchmark.

RAM/ROM
  • ROM 128 GB;
  • ROM expansível por microSD;
  • RAM 6 GB;
  • 6 GB LPDDR4X.

Ocasionalmente, o poder deste processador fez-se sentir sobe a forma de calor, especialmente, durante alguns dos nossos testes mais agressivos, mas nem por isso se tornou um fator relevante. Mesmo em aquecimento, nunca notámos alguma perda de performance do equipamento, mantendo uma boa gestão quer da bateria, quer do processador. Contrariamente a outros modelos da linha 10, este foi o que melhor lidou com a gravação de vídeo sem quaisquer problemas de maior (como trepidação da imagem ou lag).

A integrar o dispositivo estão os mais avançados sistemas de GPS e de conexões de Bluetooth e Wi-Fi disponíveis (dentro do segmento middle-end), entre os quais, os sistemas A-GPS, o sistema GLONASS e GALILEO (ou seja, preparado para as melhores condições de localização). O Bluetooth e o Wi-Fi 5.0 são duas propostas aceitáveis dentro do estilo, mas o grande destaque vai para a inclusão do sistema NFC que nem todas as marcas optam por incluir, mas que permite usar o telemóvel como um cartão virtual contactless (sem introduzir PIN nos terminais multibanco).

Câmeras

O modelo 10 Pro integra quatro sensores fotográficos de elevada qualidade, adaptando-se a todo o tipo de cenários, desde o macro ao retrato. No que toca à câmera de selfie, este telemóvel recorre a um sensor de 24MP que lhe permitirá fotografias singulares ou em grupo com bastante luminosidade e de grande fidelidade — algo desejado neste tipo de fotografias, especialmente se forem para as redes sociais. O grande destaque a câmera wide-angle de 64MP que, com uma abertura de f/1.8 faz as delícias de qualquer amante de fotografia (assim saiba manipular bem o sensor e o software).

Sensores traseiros
  • 16 MP ULTRA-WIDE, abertura de f/2.4, 1.0µm, em AF
  • 64 MP WIDE, abertura de f/1.8, 0.8µm, dual pixel PDAF
  • 5 MP MACRO, abertura de f/2.2
  • 2 MP DEPTH, abertura de f/2.4

Vulgarmente, diversas marcas optam por apostar em lentes telefoto para abraçar retratos ou objetos a distâncias mais longas com maior detalhe, no entanto, poucas são as que conseguem garantir alguma fidelidade. A pensar nisso, a TCL opta por não incluir sensor para esse tipo de fotografias, em alternativa, pode recorrer aos 64 MP (4x16MP, associação de 1 pixel virtual para 4 físicos em modo normal) para fazer uso de maior informação da imagem, podendo ampliá-la virtualmente por forma a conseguir um resultado semelhante. Alternativamente, o 10 Pro permite fotografias de retrato bastante promissoras graças ao sensor não fotográfico de 2 MP, mas se os retratos não são a sua onda, 16 MP do sensor ultra-wide devem ser mais que suficientes para incríveis fotografias de paisagem. Mas se dá valor às coisas mais pequenas da vida, o sensor macro permite que capte em grande, os detalhes mais micro que encontrar à distância de 5 MP de câmera.

Gravação sensores traseiros

Mesmo que não possa usufruir de 8K ou 4K a 60 fps, saiba que pode contar com uma incrível estabilização ótica disponível para os 30 fps em 4K — ideal para vídeos de maior ação e dinamismo. Mas se a captação de vídeo em câmera lenta é um opcional a ter em conta, saiba que o TCL 10 Pro permite que grave em slow-motion 960 fps em 720p (vulgo HD) ou em 1080p (vulgo FHD) a 120 fps.

Sensor frontal
  • 24 MP WIDE, abertura de f/2.0, 0.9µm
Gravação sensores frontais

Particularmenote, o 10 Pro não incluí o mesmo sensor que os seus familiares da linha 10 que optaram por um sensor de menores dimensões, mas com uma lente de abertura f/2.2, optando por incluir sim, um sensor de 24 MP com uma abertura f/2.0 e 0.9µm de tamanho do pixel, que ao ser menor que o de 1.0µm do 10 Plus, recebe menos luz, mas nem por isso deixa a desejar, especialmente em locais de bastante luminosidade.

Autonomia

O TCL 10 Pro acomoda uma bateria de 4.500 mAh, o que permite que este telemóvel pese o mesmo de um Huawei P40 e seja mais leve que o Samsung S21 ou que o iPhone 12 Pro, claro que nunca com o desempenho de qualquer um dos acima mencionados.

Durante a nossa análise, conseguimos uma autonomia de quase dia e meio de utilização dos 100% até aos 15% ou, em alguns casos, uma autonomia de quase dois dias, mostrando aquilo que é capaz. Reforça apenas tudo aquilo que foram as sucessivas apostas da TCL para as especificações do modelo. O carregamento é bastante rápido podendo, graças à tecnologia Quick Charge 3.0 de 18W, carregar mais de 50% em quarenta minutos.

Ecrã

O know-how da TCL parte da investigação levada a cabo nos seus televisores que permitiu a esta fabricante chinesa conseguir uma vantagem competitiva face aos seus concorrentes ao integrar tecnologia AMOLED produzida pelos próprios com software próprio, melhorando substancialmente o resultado final e não tendo de adquirir a marcas como a Samsung, no caso do AMOLED, e à LG, no caso dos ecrãs OLED.

O TCL 10 Pro configura um AMOLED display de 6,47 polegadas, o que se traduz num rácio screen-to-body de, aproximadamente, 89,5%. Acrescenta-se o facto de a fabricante optar por uma proporção de 19,5:9 e um rácio de ~398 pixéis por polegada para uma melhor experiência em vídeo, leitura e de jogo (se aplicável).

O painel de 1080×2340 pixéis fica substancialmente favorecido ao incluir a tecnologia AMOLED (criada inicialmente pela Samsung) — as matrizes ativas de díodos emissores de luz. Contudo, com a particularidade da TCL conseguir desenvolver massivamente este tipo de ecrãs internamente (como faz para as suas televisões, eliminando a dependência de outras marca produtoras das mesmas tecnologias).

Design

A estética do TCL 10 Pro é algo digno de se ver e demonstra a grande aposta da fabricante em regressar ao mercado — resultado de uma partilha de conhecimentos da Alcatel (adquirida pela marca). O exterior em plástico mate em tons de verde elimina a possibilidade de dedadas e incluí a possibilidade de existir um padrão muito atraente, quebrado apenas por uma faixa de um material diferente onde estão colocadas horizontalmente as quatros câmeras.

Mediante a experiência de uso, só tenho argumentos a favor deste modelo onde se optou por recorrer a plástico mais leve e com uma boa capacidade sensitiva (com um bom feeling nas mãos). O ecrã e a traseira estão protegidos por Gorilla Glass o que permite maior segurança em caso de queda, ainda para mais, por as câmeras estarem dispostas à face e por baixo da proteção em vidro.

A capa do modelo impressiona pela composição de silicone altamente lavável, maleável e transparente, o que lhe confere uma grande utilidade. Normalmente, estamos habituados àquelas capas que têm maior aderência, mas se tornam um incómodo quando começam a acumular sujidade (e que não nos conseguimos livrar dela sem recorrer a técnicas morosas). Algum álcool, água e um pouco de papel higiénico e livramo-nos da sujidade mais estrondosa.

Seguindo a tendência, o desbloqueio por impressão digital é feito no ecrã, visto que o sensor não interfere com o design, aproveitando o espaço que existe debaixo do ecrã. Para que aqueles que não pretendem nem usar auriculares Bluetooth ou recorrer a um adaptador de USB-C, o modelo usa uma entrada jack de áudio de 3,5 mm onde poderá ligar tanto auscultadores como auriculares de cabo. Há semelhança dos outros modelos da linha 10, o TCL 10 Pro integra também um botão para o Assistente do Google (podendo personalizar as diversas funcionalidades como entender).

Porquê da compra? Prós e Contras

Como sempre, é mais fácil avaliar a decisão de compra quando exposta toda a informação numa pequena seleção de prós e contras. Eis o nosso sumário de tudo aquilo que foi avaliado. Claro está que cada consumidor será influenciado por determinadas especificações.

Vantagens
  • Agradável ergonomia;
  • Leve, 177g de peso;
  • Câmeras traseiras de elevada qualidade;
  • Gravação em [email protected] c/estabilização ótica;
  • Gravação em [email protected]/60/120 fps, [email protected] fps, slow-motion;
  • Disponível em Portugal;
  • Compatível com Android 11;
  • AMOLED com a melhor pontuação do DXOMARK;
  • Construção em plástico;
  • Câmeras à face;
  • Bateria de 4.500 mAh;
Desvantagens
  • Aquecimento;
  • Pouco recomendado para jogos (se for o seu caso);
  • Não possuí compatibilidade 5G;
  • Bluetooth 5.0;
  • USB 2.0 Type-C conversor;

Veredito

Este modelo demonstra o progresso da marca, ainda que pequeno (se extrapolarmos para outra linha da marca) mas onde é evidente a procura por melhorar. Os destaques são o ecrã e o aspeto físico que agradaram bastante — como na generalidade da linha 10 (francamente) — no entanto, o desempenho não é realmente desapontante, mas não espere um modelo ideal para videojogos. Serve, mas não é a melhor escolha.

Redes sociais e ferramentas de produtividade sim, para isso, este telemóvel é o ideal: boa câmera para fotografias e alguns vídeos e um bom ecrã onde poderá passar longas horas (não deve, mas…) sem cansar muito a visão (se atender aos diferentes modos de ecrã proporcionados pela tecnologia NXTVISION da TCL que vem revolucionar por completo o segmento, acabando por superar a líder em painéis AMOLED, a Samsung, nos testes DXOMARK.

O Snapdragon 675 não oferece muito mais ao segmento, mas é o melhor dentro da linha 10 apresentada pela TCL. A bateria ganha agora uma nova ferramenta de gestão da bateria, mas cuidado, que os ecrãs AMOLED conseguem consumir muito mais facilmente a autonomia se estiverem com a luminosidade no máximo, mesmo com todos os processos de otimização. Ao que tudo indica, os TCL 10 já devem ter acesso à atualização para o novo Android 11 (ou estará para muito breve). Portugal será um dos primeiros a ter acesso.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here