Análise do Oppo Find X3 Pro: high-end campeão em desempenho e fotografia

Embora pouco conhecida no ocidente, a Oppo tem apostado fortemente na divulgação da sua coleção de smartphones de média e alta gama, sobretudo, no mercado nacional. Recorde-se que o surgimento oficial em Portugal aconteceu no seio das redes sociais com aquele tão significativo “Olá, Portugal” que demonstrou o interesse da fabricante chinesa apostar na comercialização em território português.

Não obstante o desconhecimento do público, o sucesso da Oppo no segmento dos telemóveis não é novo e tem sido com enorme fulgor que a marca tem investido no desenvolvimento de tecnologias e ferramentas que a possa distinguir dos concorrentes — isto num setor tão concorrencial e, por vezes, até ingrato — no entanto, os chineses da Oppo têm-se saído bem. Ainda se lembra do anúncio do Find X2 Pro? Isso foi apenas o início, pois este Find X3 Pro vem literalmente estoirar com a concorrência em alguns aspetos.

É, provavelmente, em fotografia e vídeo que as vantagens deste dispositivo se tornam mais evidentes face a outros telemóveis no mercado. Para além disso, conta ainda com o mais recente e potente processador da Qualcomm, o Snapdragon 888, que, diga-se de passagem, é de tirar o chapéu! A suavidade (ou transition smoothness, em inglês) do Android 11 em conjunto com a ColorOS 11.2 é simplesmente soberba.

Desempenho do Oppo Find X3 Pro

De um modo geral, o desempenho do novo Find X3 Pro segue aquilo que são os padrões impostos pelos influenciadores (no seio das fabricantes de luxo) do mercado. O padrão é ser tão rápido quanto eficaz no processamento de tarefas para as quais esperamos que não ocorram falhas. Regra geral, é isto que é procurado na altura de adquirir um novo telemóvel — e nisto, a Oppo não costuma desiludir — em particular, como novo X3 Pro.

Contudo, consideramos que análise não é análise sem alguns dados que nos permitam migrar do conhecimento tácito para o explícito — através de dados científicos (ou com apoio técnico) — pelo que, para isso contámos, uma vez mais, com os dados do Antutu Benchmark v9.0.3 onde constatámos que o Snapdragon 888 que conta com um núcleo Kyro 680 de 2.84 GHz, três núcleos Kyro 680 de 2.42 GHz e quatro núcleos que funcionam a 1.80 GHz que compreendem uma pontuação de 192.706 pontos (colocando-o no top 5 do ranking).

CPU/GPU
  • Qualcomm Snapdragon 888;
  • Octa-core (1 x 2.84 GHz Kryo 680, 3 x 2.42 GHz Kryo 680 & 4 x 1.80 GHz Kryo 680);
  • Qualcomm Adreno 660;

Segundo o Antutu Benchmark, a pontuação total obtida atingiu os 750.680 pontos, o que ultrapassa qualquer telemóvel do ranking (no entanto, estes avaliados ainda na versão 8.4.1), pelo que, não é suscetível de serem considerados. Contudo, o facto de o Oppo Find X3 Pro já constar da lista em quinto lugar, já deve sugerir o real desempenho deste modelo.

RAM/ROM
  • ROM 256 GB UFS 3.1;
  • RAM 8 GB @ 3200 MHz;
  • 8 GB LPDDR5;
  • Existe uma versão de 12 GB de RAM.

Usufruem deste novo processador tantas funcionalidades que se torna quase impraticável de as referir aqui a todas (até porque, para quem compra, tem interesse em experimentar e descobri-las há medida que vai utilizando o smartphone), no entanto, deixamos aqui alguns exemplos que podem ser importantes quando levamos em consideração as especificações do telemóvel.

Entre eles, destacamos o “Gaming Focus” que permite melhorar a experiência de jogo (ao implementar medidas que evitem o desvio do olhar daquilo que realmente importa), o “O-Sync Display Hyper Response Engine” que permite diminuir o atraso na resposta aos impulsos (comandos dentro de jogo) enquanto joga, bem como a Dolby Atmos implementando o “O1 Ultra Vision Engine”. Além disso, o ColorOS 11.2 extrai o melhor que pode ser incluído em animações ou transições no ambiente de trabalho do smartphone (basicamente, enquanto navega no seu dispositivo).

O Find X3 Pro incluí Wi-Fi 6.0 (e bandas de Wi-Fi 2.4G, 5.1G e 5.8G), e uma funcionalidade apelidada de “Aceleração Dual Wi-Fi” que consiste da utilização de duas redes Wi-Fi para melhorar a ligação à internet — que, no nosso caso, funcionou com bastante eficácia — funcionando enquanto estávamos entre dois pontos de rede distintos da casa. Daquilo que pudemos apurar, o resultado é positivo tendo ficado bastante satisfeito com o resultado final, para além disso, este modelo faz uso de Bluetooth 5.2 e NFC. Por fim, como tem sido hábito, as tecnologias GPS, A-GPS, BeiDou Navigation Satellite System, GLONASS, e sistemas de posicionamento QZSS.

Câmaras — surpreendentes e equilibradas!

Em matéria de fotografia, a Oppo já deu provas de que não está para brincadeiras, aliás, a forte relação que têm estabelecido com a Sony para o desenvolvimento de sensores fotográficos tem-se mostrado promissora. As técnicas de estabilização ótica (dos japoneses da Sony) e digital revelaram-se grandes pontos a favor da marca chinesa. Em comparação com o Find X2 Pro, este modelo acrescenta mais qualidade ao sensor propriamente dito, do que ao seu tamanho.

O Find X2 Pro recorreu a dois módulos de câmeras de 48 MP (cada um), no entanto, eram sensores da Sony um pouco mais antigos, no entanto, o novo Find X3 Pro usa a mais recente tecnologia de sensores desenvolvida pelos japoneses, os novos IMX 766 que permite 50 MP — à custa de pixéis menores (de 1.0µm) — e um aumento na abertura de f/1.7 para f/1.8, no caso da lente wide-angle. Por sua vez, a lente ultra-wide vê um aumento de 0.8 para 1.0µm, mantendo a abertura de f/2.2 com 50 MP.

Sensores traseiros
  • 50 MP ULTRA-WIDE, abertura de f/2.2, 1.0µm, dual pixel PDAF
  • 50 MP WIDE, abertura de f/1.8, 1.0µm, dual pixel PDAF (funciona como lente macro também)
  • 13 MP TELEPHOTO, abertura de f/2.4, 55 mm, 2x zoom ótico, PDAF
  • 3 MP MICROSCÓPIO, abertura de f/3.0, flash incorporado em anel, 60x de ampliação, AF

Em suma, este conjunto de câmaras merece todo o mérito, por si só, em fotografia, conseguindo proezas louváveis em cada um. O sensor principal, a cargo da lente wide-angle consegue imagens muito limpas, com pouca distorção, muita entrada luminosa e com um equilíbrio de cores digno de uma câmara Leica. Dentro do mesmo espectro de imagem, a que mais se destacou foi a câmara ultra-wide que não só oferece incríveis fotografias de grande plano, como também permite usar software para funcionar como lente macro, em fotografias de grande proximidade “sem perder o tom”.

Visto que usa o mesmo IMX 766, as cores e a definição são idênticas à câmara wide-angle. Por sua vez, a lente telefoto de 13 MP oferece algo semelhante aos demais concorrentes, ainda que um pouco limitativo em algumas circunstâncias — é no vídeo que dá cartas — apresentando um equilíbrio de cores agradável (assim como os outros módulos) e até 2 vezes de ampliação ótica, que de pode ir até às 20 vezes de forma híbrida (surpreendentemente sem acrescer muito grão à imagem).

Microscópio 30x

Microscópio 60x

Contudo, falar deste telemóvel e não mencionar a câmara de microscópio era quase um atentado ao valor acrescentado deste telemóvel. É aqui que a Oppo se distancia das demais marcas ao apostar numa lente extremamente inovadora para um telemóvel de venda ao público. Desconhecem-se mais detalhes acerca do sensor de 3 MP, porém sabemos que a lente tem uma abertura de f/3.0 que permite mais luz natural e artificial, visto que ao redor da lente existe um anel luminoso que ilumina os detalhes mais microscópicos que nos rodeiam. É inexplicável a sensação de poder ver um pouco mais além, a concepção de alguns dos materiais que nos rodeiam, que só seria possível com um microscópio retroiluminado.

Gravação sensores traseiros

O Find X3 Pro insere um dos mais avançados sistemas de estabilização ótica, oferecendo três opções diferentes: em [email protected] (o modo normal) permite um primeiro estágio onde se verifica uma estabilização ótica em funcionamento idêntica aquilo que vemos em telemóveis topo de gama; o modo “ultra estável” permite gravar em até [email protected] com recurso a uma estabilização mais rigorosa, eliminando trepidações do andar, com recurso a software; por fim, o modo “ultra estável pro” opta por usar a lente ultra-wide (parece visto que a ampliação é inferior a 1x) gravando na mesma resolução que o modo anterior, no entanto, com uma clara diminuição da definição da imagem, mas com estabilização praticamente irrepreensível e vista apenas em máquinas fotográficas.

Sensor frontal
  • 32 MP WIDE, abertura de f/2.4, 0.8µm
Gravação sensores frontais

Esta câmara frontal de 32 MP wide-angle cuja abertura é de f/2.4 permite fotografias com maior luminosidade com vista a extrair o potencial de resolução do sensor, incluindo ainda ferramentas como o modo retrato, o modo noite e ainda algo semelhante aos Animojis ou Memojis da Apple, que neste caso, se chamam “autocolantes” (ainda que numa fase muito primordial), proporcionam algum divertimento a bordo desta nova câmara inserida num punch-hole notch.

Destacamos ainda o “Modo Profissional” ou o “Modo Filme” que permitem, respetivamente, fotografar e gravar vídeos com acesso total a todas as definições (como numa se de uma máquina se tratasse) na maioria dos seus módulos de câmara traseiros, extraindo o que de melhor existe nestes IMX 766 da Sony. O modo noturno ou modo noite (auxiliados por IA) é capaz de surpreender, mesmo nos cenários mais desprovidos de luz, conseguindo manter um equilíbrio de cores interessante, ainda que não tão impressionante como os líderes no segmento.

Bateria e autonomia

Discretamente, o Oppo Find X3 Pro inclui duas células de bateria, uma com 2200 mAh e 2250 mAh, que perfazem um total de 4500 mAh — um tanto mais pequena que o S21 Ultra — conseguindo um peso menor quando comparado com telemóveis do mesmo segmento. Contudo, o sistema de carregamento supera a grande maioria dos smartphones das outras marcas.

Segundo pudemos apurar, a autonomia de Find X3 Pro rondou o dia a dia e meio, sempre num conjunto compreendido entre os 100% e os 15%, mostrando ser capaz de aguentar perfeitamente uma utilização regular quer sobre stress como quando prevalecia o stand-by. O carregamento SuperVOOC 2.0 é surpreendente — muito à semelhança daquilo que vimos no Oppo Reno 4 — tendo, neste caso, capacidade para carregamento ultrarrápido de 65W, capaz de carregar o X3 Pro em pouco mais de 28 minutos, ou 40% em apenas 10 minutos.

Destacamos o facto de este incluir carregamento reverso (reverse charging) de 10W para que possa carregar outros gadgets (via wireless). Do mesmo modo, se optar por usar o carregador wireless de 30W, consegue carregar totalmente o telemóvel em menos de uma hora e meia, o que ainda assim, é interessante. Claro está que, se tiver ao seu dispor o carregador de 60W (por cabo) será muito mais prático.

Ecrã — maior brilho e densidade de pixéis!

O Find X3 Pro figura um painel AMOLED LTPO de 120 Hz, contando com a tecnologia HDR10+ e até 1300 nits de brilho — algo semelhante aquilo que vemos no S21 Ultra e no iPhone 12 Pro Max — contando, ainda com uma resolução QHD para que possa usufruir ao máximo deste novo dispositivo da Oppo. Sobressai entre as mais diversas especificações (todas elas importantes), o facto de este ecrã ser “LTPO”, mas porquê?

Este ecrã usa uma tecnologia de materiais diferente, ou seja, “LTPO” quer dizer, em inglês, low-temperature polycrystalline oxide, ou seja, “óxido policristalino de baixa temperatura”. Mas afinal o que quer isto dizer e que aplicação tem num ecrã? Bom, esta tecnologia foi inicialmente desenvolvida pela Apple e aplicada nos famosos ecrãs de “retina” que assumiam um maior brilho e definição da imagem nos “seus” ecrãs.

Geralmente, os fabricantes optam por usar uma camada (dentro da composição do ecrã), ou de silício ou TFT, no entanto, a Oppo opta por usar esta “invenção” da fabricante Cupertino para chegar a uma qualidade semelhante áquilo que vemos, por exemplo, no S21 Ultra da Samsung, tornando este ecrã algo simplesmente fenomenal, até mesmo, comparando lado-a-lado, ambos os modelos.

Este painel configura uma resolução 1440 x 3216 pixéis, cujo rácio screen-to-body é de 92,7%, garantindo uma taxa de resposta (para dois dedos no ecrã) de 240 Hz. Visto ser um ecrã do tipo AMOLED LTPO, consegue uma densidade de 525 pixéis por polegada (ppi), algo bastante alto e incomum que faz deste QHD+ um sucesso em matéria de definição de imagem.

Design — irreverente!

Praticamente inquestionável é a irreverência do aspeto estético do Oppo Find X3 Pro, que se apresenta num corpo leve, mas robusto, numa linha de simplicidade que não tem vindo a ser seguida pela maioria das fabricantes — especialmente, se tivermos em conta a saliência dos módulos da câmara traseira — no entanto, transmitindo um sentimento de alto desempenho e elevada qualidade em algo tão “fresco” (temperatura da traseira).

Adicionalmente, este Find X3 Pro mantem alguns traços de semelhança em paralelo com as tendências, mostrando um arredondamento do corpo e ecrã do telemóvel, apostando na curvatura (pouco agressiva) do painel, unido por uma moldura em alumínio, que junta ambos os vidros — da traseira e do ecrã — fazendo parte um botão power on/off personalizado (ao estilo da Oppo). A completar o design, estão disponíveis duas cores: preto e azul brilhantes.

Em minha modesta opinião, aquilo que julgo ser um ponto negativo é a única protuberância no módulo traseiro da câmara que ao contrário de ter uma moldura biselada, aposta numa “tentativa” de disfarce através da concepção de uma saliência moldada (com suavidade) na estrutura do equipamento, ainda assim, bastante evidente e pouco abonatória do design exterior. O layout de câmaras não é o problema, mas a forma como foram dispostas deste modo sim, é para nós o problema.

Disfarça-se ligeiramente o problema se optar por usar a capa de silicone que acompanha o dispositivo. No caso desta capa, a aderência é maior, no entanto, a sujidade não é um problema, pois não é notória dadas as características dos materiais usados.

Porquê da compra? Prós e contras

Como sempre, é mais fácil avaliar a decisão de compra quando exposta toda a informação numa pequena seleção de utilidades e desvantagens. Eis a nossa síntese de tudo aquilo que esteve em avaliação. Compare sempre aquilo que são os pontos que considera mais fortes na hora de adquirir um telemóvel ao invés de guiar-se pelo nome da marca.

Vantagens
  • Ergonómico;
  • Leve, 193g de peso;
  • Módulos de câmaras traseiras de exímia qualidade;
  • Gravação em [email protected] c/estabilização ótica;
  • Estabilização ótica e digital (das melhores do mercado);
  • Gravação em [email protected]/60/240 fps, slow-motion;
  • Disponível em Portugal e Brasil;
  • Android 11, ColorOS 11.2;
  • AMOLED LTPO;
  • Vidro temperado;
  • Bateria de 4500 mAh;
Desvantagens
  • Extrusão (saliência) das câmaras;
  • Não inclui Jack de Áudio de 3.5 mm;
  • Preço (um pouco alto);

Veredito

No geral, este X3 Pro oferece uma proposta muito tentadora para lidar de frente com o segmento dos telemóveis de luxo — high end — oferecendo de tudo um pouco nesta vertente para se colocar lado a lado com o S21 Ultra, sem ter de se colocar em bicos de pés. O avanço foi bom por parte dos chineses da Oppo, pelo que, aconselhamos a Samsung manter-se atenta, pois a Oppo vem para ficar.

Podia dizer que, o design, o desempenho, as câmaras e o carregamento rápido seria suficiente para decidir qual a melhor opção. Contudo, o ranking do Antutu Benchmark, bem como, o preço (pelo menos, em Portugal) deste novo Find X3 Pro, colocam-nos numa posição complicada, pois existem modelos por um preço semelhante numa melhor posição de se “gabarem” desse preço de venda ao público.

Em poucas palavras, o Oppo Find X3 Pro vale, sem dúvida, o preço, mas existem outras ofertas aliciantes no mercado. Considerem-se todas as opções viáveis e, a partir daí, tirar-se-ão as elações necessárias para aferir a justificação do investimento num mercado altamente competitivo e em constante mudança, como é o dos telemóveis inteligentes, em particular, nos de gama elevada de preços.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here