Análise de WRC 9 — vamos correr pelo campeonato do mundo?

O primeiro jogo da série oficial de WRC foi lançado pelas mãos da Sony Interactive Entertainment no início dos anos 2000 — na altura, desenvolvidos pela Evolution Studios que trouxe o que de melhor havia na indústria mediante as suas possibilidades. Durante este tempo, foram introduzidos na série mais de cinco títulos para PlayStation 2 e para a portátil PlayStation Portable — garantindo que era fiel ao campeonato do mundo de rally até 2005, contando com motoristas e carros oficiais.

Foram precisos quatro anos para a licença ser adquirida por outra produtora (por um período de quatro anos), para a série WRC contar com novos jogos. Em 2013, a licença volta a ser novamente adquirida pela atual produtora, a BigBen Interactive, tendo produzido os títulos WRC 5, 6, 7, 8 e o mais recente, WRC 9 para a atual geração de consolas, PlayStation 4 e Xbox One. A Bigben Interactive tem licença para produzir mais dois jogos até 2022, o WRC 10 e 11. A partir de 2023, a licença passa a ser detida pela Codemasters, coprodutora de Project Cars 3 e produtora da série Fórmula 1, estando envolvida no mais recente F1 2020.

WRC 9 é o título mais realista até hoje feito, dentro da série WRC, um jogo que marca a transição entre a oitava e a nona geração de consolas — e onde a produtora conseguiu estabelecer alterações significativas ao feedback obtido através de diversos veículos dentro de jogo, onde as físicas foram a verdadeira prioridade, além da qualidade gráfica.

O modo carreira

WRC 9 não altera aquilo que foi o modo carreira presente no seu antecessor, o WRC 8, pelo menos, à primeira vista. Basicamente, temos a oportunidade de começar nos juniores do WRC, passar pelo WRC 3 e 2 e, por fim, chegar ao derradeiro campeonato do mundo, o WRC. É a sua condução e capacidade de liderança das diversas provas que o irá levar à vitória e, consequentemente, ao sucesso no mundo da competição automóvel.

A situação financeira da equipa, o carisma e a reputação (na opinião da construtora) farão com que se torne uma estrela ou que caia em desgraça. Cada corrida, cada campeonato tem uma implicação direta na sua equipa e carisma. Quanto mais erros cometer — sejam acidentes, tempos muito alongados — colocarão a sua equipa sobe stress, que os levará a abandoná-lo (para descansarem) e serem substituídos por outros membros (que podem não ser tão eficientes).

O seu calendário do campeonato permite algumas provas menos oficiais (para o campeonato), mas que contém algumas etapas lendárias que devem ser lembradas — onde até os pilotos e os veículos são icónicos. O campeonato incluí os pilotos mais famosos da WRC, incluindo as pinturas dos seus veículos de competição, mas sobe a categoria de “Lendas” ou “Bónus”, poderá encontrar alguns dos automóveis que fizeram história na competição.

O estúdio francês, KT Racing optou por incluir os circuitos do Quénia, da Nova Zelândia e do Japão a WRC 9, podendo fazer parte do campeonato e da sua agenda — repleta desde os circuitos mais inóspitos aos mais emblemáticos de cada país. Portugal, que é presença habitual no campeonato de WRC, não irá realizar o “Rally de Portugal” este ano, face à pandemia de coronavírus, no entanto, mantém a sua presença no jogo — com circuitos como Fafe, o de Viana do Castelo ou Amarante.

Ambientação

O título WRC 9 consegue transmitir, ainda que com alguns reparos, a essência do campeonato do mundo de rally. É fantástico poder usufruir de uma experiência que não se encontra ao alcance da grande maioria dos aficionados por corridas off-road — deva-se dizer, Rally, mas em todo o caso, generalizamos — e que apenas conseguem frequentar algumas corridas como mero espetador.

KT Racing tem demonstrado que mesmo com poucos recursos se consegue fazer um bom jogo. Claro que existem outros jogos que permitam usufruir de uma experiência de Rally (em termos de jogabilidade) melhor, no entanto, nada melhor do que a série WRC que transmite um pouco mais do que a simples parte mecânica e de condução. Apesar de a grande maioria dos jogadores procurar a condução, este jogo consegue agradar também aqueles que gostam de perceber um pouco mais a fundo, como funciona tudo antes de chegar ao palco.

Os cenários são interessantes, no entanto, e apesar da quantidade de circuitos disponíveis, sentimos que alguns não transmitem a sensação pretendida para um jogo deste tipo. Sinceramente, não tenho muito a apontar aos circuitos portugueses, no entanto, outros circuitos estão algo banalizados. Os circuitos que mais me impressionaram foram os do Quénia, especialmente os trechos com poças de água e circuitos como do Rally de Monte Carlo, em Agnières-en-Devoluy e da Suécia, em Vargâsen todos estes com muita neve à mistura.

Jogabilidade

WRC 9 melhorou a jogabilidade face a títulos anteriores. Aproximamo-nos do fim de uma geração, onde não existe muito mais para melhorar em termos gráficos, pelo que, restam apenas implementações de conteúdo novo. Contudo, a KT Racing esteve a trabalhar em melhorias da física e aderência dos diversos carros presentes no jogo — se antes parecia que o veículos não tinham sensação de peso, agora isso é muito mais visível, sobretudo quando misturado com a aderência no asfalto.

Normalmente, títulos como WRC são bastante exigentes em matéria de estilo de condução — não podemos dizer que seja um simulador a cem por cento, no entanto, não lhe podemos chamar de um simples jogo com conotação de arcade. WRC 9 trouxe consigo, à semelhança daquilo que encontrávamos em WRC 8, inúmeras ajudas para os pilotos mais inexperientes, no entanto, para todos aqueles que perceberem mais do assunto, consegue ser bastante irrestrito em matéria de opções para o jogador — desde alterações às físicas dos eixos e do comportamento do chassi do veículo.

Para além disto, os danos exercidos nos diversos modelos de automóvel disponíveis estão muito interessantes, pois conseguimos ter consequências mais severas após imprevistos ou acidentes que aconteçam durante as diversas etapas. A interface para o jogador é bastante completa e, julgo, não muito evasiva, permitindo saber as informações necessárias (para um jogo) sobre o comportamento do carro em tempo real.

As penalizações de tempo são um pouco ousadas, dado que é quase inevitável em alguns circuitos perder algum tempo (com uma condução menos radical) ou demorar mais tempo que os outros rivais (que usam IA) numa condução mais conservadora. Os circuitos portugueses são um exemplo disso mesmo. Estarão os tempos muito próximos daquilo que é a realidade?

Por fim, as melhorias do veículo de etapa para etapa conseguem-se através de uma espécie de árvore de especializações e upgrades à estrutura da equipa e do carro para alcançar melhorias que nos passam um pouco ao lado em termos técnicos, pois não são amplamente reveladas durante todo o seu processo. Aquilo que normalmente precisamos de saber, aparece entre etapas quando precisamos de reparações urgentes face aos erros cometidos em todo o processo (saltos, toques de traseira em sinais ou montes de terra, etc…).

É interessante o progresso levado a cabo pela KT Racing em termos de futuro para a série, no entanto, apenas por mais dois títulos, o WRC 10 e WRC 11 que serão os últimos feitos pelo estúdio francês que perdeu a licença para a Codemasters — esta que tem sido responsável pelo sucesso da série F1, nomeadamente, com o mais recente lançamento de F1 2020.

Aspeto gráfico

WRC 9 foi analisado numa PlayStation 4 de primeira geração, posto isto, ficamos restritos às naturais limitações da plataforma, mas nem por isso desgostámos do resultado final. Sabíamos de antemão com aquilo que estávamos a lidar, ainda para mais quando já tivemos com jogos que retiram muito do atual hardware da consolas da oitava geração.

É interessante ver a forma como WRC (como jogo) lida com a pressão de alguns cenários a funcionar nas consolas, sobretudo quando reduz um pouco a qualidade em virtude do desempenho, para que não prejudique o jogador durante a condução, onde não devem ocorrer quebras de frames ou bloqueios súbitos. Nesse aspeto, e salvo alguns problemas (mas sem grande importância), acho que WRC 9 está otimizado o suficiente para a atual geração. Se procura algo mais sólido, deve optar por o adquirir ou para PC ou para a próxima geração de consolas (que já está pronto ou a ser terminado).

A qualidade gráfica aumenta mais expressivamente quando colocamos em modo replay para ver um trecho ou corrida feita por nós — elemento que é bastante interessante até para ver possíveis erros durante o percurso e aprender com eles. Aqui, como o motor gráfico do jogo está sobe menor stress, existe uma maior disponibilidade gráfica, uma vez que o desempenho já está assegurado.

Em termos de texturas, é já visível o trabalho em trazer texturas tridimensionais de maior qualidade, sobretudo para os cenários — onde presenciamos cada vez menos, a integração de texturas em 2D. Claro está que em texturas como o chão e alguns montes de terra são texturizados com recurso ao 2D, mas muito menos evidente do que em edições anteriores.

Veredito

WRC 9 refle o árduo trabalho da KT Racing ao longo do tempo e é merecedor de uma boa conotação neste competitivo mundo dos videojogos. O espírito que acompanha a competição do campeonato do mundo de rally está bem presente, motivando o jogador a fazer parte desta competição de forma ativa — ainda que seja num jogo.

Gostámos especialmente do motor gráfico deste novo título — que ainda merece mais e melhores melhorias nos próximos anos que resta à equipa para o fazer. Esperemos que WRC 10 faça jus ao trabalho de equipa desenvolvido desde 2013 até aos dias de hoje. Estamos especialmente ansiosos por saber como se irá comportar a Codemasters em matéria de experiência em rally — dado que na fórmula 1 já tem provas mais que dadas em títulos do género.

Mesmo com todo o mérito, seria interessante ver alguns circuitos novos ou a implementação, à semelhança do modo “My Team” de F1, um modo aplicado ao género de WRC, com uma equipa própria sem depender tanto do patrocínio como entidade empregadora. Aqui poderíamos optar por gerir os patrocínios como bem entendêssemos (como acontece no F1 2020).

A nossa sugestão é que experimente este jogo, mesmo que procure algo como DiRT Rally 2.0, este recém-chegado à série WRC permite que viva toda a experiência do campeonato de WRC — ainda para mais, numa altura em que este atividade ficou muito restrita face à proliferação da pandemia em todo mundo. Resta-nos apenas agradecer à Uploadistribution pela magnifica oportunidade de avaliar o mais recente WRC 9 aqui, para o Mais Tecnologia.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here