Análise Sony Xperia Z: bom design mas com processador anterior

Sony Xperia Z (1)Após adquirir a parte da Ericsson na Joint Venture, a Sony decidiu apostar forte no mercado mobile e este é a primeira aposta “mais séria” nos topos de gama. Está num bom caminho?

Índice:
Características e Acessórios
Design e Ecrã
Interface e Desempenho
Câmara e Multimédia
Veredito: Sony Xperia Z

 

Recordando um pouco a história, a Sony Ericsson, joint venture das duas empresas, estava a ter prejuízos e não estava a acompanhar o crescimento do mercado móvel nem das suas concorrentes, nomeadamente da Samsung. Em outubro de 2011, a Sony decidiu comprar os 50% da Ericsson nesta joint venturealterou o nome da empresa para Sony Mobile e, consequentemente, muda o nome dos dispositivos para Sony.

Com esta alteração, a Sony Mobile, que tinha muito prejuízo precisou de fazer uma reestruturação para, assim, conseguir entrar no mercado mobile em força e com a possibilidade de fazer uma concorrência forte, decidindo continuar com o sistema operativo da Google, o Android.

Com a marca Sony nos smartphones, começaram a aparecer bons dispositivos, como o Xperia SL e outros Xperia lançados em 2012. Mas foi este ano que a Sony deu o grande passo para chegar ao topo, com a apresentação do Xperia Z e Xperia ZL, logo no início de 2013. O primeiro com processador quad-core e com ecrã de 5 polegadas da fabricante nipónica.

Mas a Sony não vai parar por aqui, ainda este ano vai lançar o Xperia Z Ultra, um novo phablet, e o Xperia Honami, uma smartcamera que ainda não foi anunciada. Estas duas apostas mostram a vontade da Sony em estar em todos os segmentos de mercado da Sony.

A HTC foi a primeira fabricante a apresentar um smartphone com um ecrã Full HD, mas a estar disponível na maioria dos países europeus, a Sony tomou a dianteira, o que também causou consequências em relação aos concorrentes, um processador inferior em relação ao Galaxy S4 e ao HTC One. Mas não deixa de ser mais uma concorrente “a sério” quando já começávamos a ver um futuro em exclusivo entre a Apple e a Samsung. Será que está no bom caminho? Leia a nossa análise.

Características e Acessórios

 

Sony Xperia Z (4)o Dimensões: 139 x 71 x 7.9 mm
o Peso: 146g
o Sistema Operativo: Android 4.1.2
o Memória Ram: 2 GB
o Memória: 16GB de memória interna/MicroSD até 64GB
o Ecrã: TFT de 5”
o Resolução: 1920x1080p/441 ppi
o Câmara: 13.1MP/Frontal: 2,2MP ([email protected])
o Processador Qualcomm APQ8064 S4 Pro quad-core a 1.5 GHz Krait
o GPU: Adreno 320
o Bateria: 2330 mAh
o Wi-Fi 802.11 a/b/g/n, Wi-Fi Direct, DLNA, Wi-Fi hotspot
o GPS com A-GPS
o Porta microUSB
o Bluetooth v4.0
o 4G/LTE e NFC
o Jack de Áudio Normalizado de 3.5 mm
o Certificação IP57: dispositivo à prova de pó e água até 1 metro e 30 min

As especificações o Sony Xperia Z são bastante interessantes, no entanto, pecam um pouco por ter sido lançado logo no início do ano e ter chegado ao mercado português muito perto dos concorrentes HTC One e Galaxy S4, que já apresentam um processador melhor da Qualcomm, o Snapdragon 600.

No entanto, a Sony apresentou um destaque em relação à concorrência, um dispositivo à prova de água, que só bem mais tarde a Samsung lançou uma versão do Galaxy S4 com o mesmo certificado, o Galaxy S4 Active. Outro pormenor é a versão do Android, o Sony Xperia Z foi lançado com o Android 4.1.2 e só recentemente começou a receber a atualização para o Android 4.2.2, mas o dispositivo disponibilizado pela Sony para o teste ainda não recebeu a atualização, por isso nas características é indicado a versão anterior.

A caixa do Xperia Z é igual ao Sony Xperia SP que já analisámos e contém o que normalmente encontramos: um carregador de parede, um cabo USB-MicroUSB e uns auriculares.

Design e Ecrã

Sony Xperia Z (10)Na parte da frente do Xperia Z está o ecrã, de 5 polegadas sem qualquer botão físico, sendo a aposta da Sony no formato base do Android, sem botões físicos ao estilo do Nexus 4. Na parte de baixo não tem qualquer compartimento, enquanto na parte de cima encontramos o compartimentos dos auriculares, no lado esquerdo temos o MicroSD e o MicroUSB e do lado direito temos o MicroSIM, o botão de ligar/desligar e o botão de volume. Destaque para todos os compartimentos estarem escondidos para manterem um dos pontos mais positivos deste smartphone, a certificação IP57 à prova de água e pó.

O grande ponto positivo deste Xperia Z é o design. O design foi muito bem escolhido pela Sony e dá-nos uma sensação de luxo que não encontramos no Galaxy S4, que já analisámos.

O smartphone é, basicamente, feito de vidro com um design similar ao iPhone 4, que foi logo a minha primeira impressão assim que peguei no smartphone, mas com uma grande diferença de tamanho, com este enorme ecrã de 5 polegadas que oferece uma excelente qualidade.

Uma coisa é certa, a Sony fez uma excelente aposta no design do Xperia Z e é o melhor design feito pela Sony até agora. No entanto este excelente design tem problema devido ao seu enorme tamanho. É que este tipo de smartphones, tão grandes, são conhecidos por “tijolos”, mas este realmente parece isso.

Sony Xperia Z (7)Devido aos cantos retos e às suas dimensões, este smartphone torna-se grande demais e impossível de utilizar com uma só mão. É um pouco a mesma crítica feita ao Nokia Lumia 920 e tal como indicamos na análise, acerca do tamanho demasiado reto do dispositivo. Se na altura referi que um Lumia com ecrã de 5 polegadas seria mau, podemos imaginar como será ao ter o Xperia Z na mão, com o mesmo estilo demasiado retangular.

Neste design o que salta é vista é o botão de ligar e desligar, que altera o design reto do Xperia Z, do lado direito. Com uma construção em alumínio e um pouco sobressaído, o design ainda se desta mais pela sua diferença.

Mas é no ecrã que temos outro dos grandes destaques deste smartphone e que mostra a grande aposta deste ano das fabricantes, smartphones com ecrãs de 5 polegadas mas, nomeadamente, com uma resolução Full HD de 1080 pixeis.

Seria de esperar uma excelente experiência na utilização deste smartphone e do seu ecrã, se ainda não tivéssemos experimentado mais nenhum dispositivo e este fosse a primeira vez, mas a verdade é mesmo essa, a experiência é boa, mas não é tão boa como no Galaxy S4 e o Super AMOLED.

As cores são mais saturadas, não parecem tão vidas e a qualidade de ecrã não se equipara ao Super AMOLED, nomeadamente no exterior que além de ter mais dificuldade em visualizar conteúdos, os ângulos de visualização não são tão bons. Assim que inclinamos o Xperia Z deixamos de ter uma qualidade que esperaríamos num smartphone desta categoria.

Claro que a visualização de conteúdos no Xperia Z será excelente e de grande qualidade, e notará diferença para os “normais” ecrãs HD de 720p, mas não será uma grande diferença e notará, ao comparar com ecrãs AMOLED e o utilizado no HTC One, que a Sony ainda tem de melhorar, mesmo com a tecnologia usada neste dispositivo, o BRAVIA Engine 2.

Interface e Desempenho

Xperia Z Interface (14)Tal como tem vindo a acontecer nas principais fabricantes, também a Sony tem uma interface personalizada para os seus dispositivos Android. O Xperia Z ainda corre o Android 4.1.2, no entanto é de esperar que a atualização chegue em breve, pois a Sony já começou a disponibilizar o Android 4.2.2 para o dispositivo.

No entanto, ao comparar a interface da Sony com a Touchwiz da Samsung ou o Sense 5 da HTC, é onde encontramos mais parecenças com o Android original. No fundo, resume-se a pequenas alterações de design e cores, pouco mais, o que será do agrado de quem prefere a versão original do Android. Até nos botões a Sony decidiu pelo original, com 3 botões touchscreen no ecrã, em vez de botões físicos. Os botões touchscreen tornam-se pontos quando estamos a utilizar uma aplicação fullscreen, como num jogo, o que acaba por ser bom pois obriga a um toque para ativar o botões e impede que toques acidentais façam sair da aplicação que estamos a utilizar.

Um problema que encontrei foi, ao manter o smartphone durante muitos dias seguidos ligado, sem reiniciar, o botão de ligar/desligar funcionava só para o ecrã, o que não me permitia desligar o smartphone, bem como não conseguia tirar ScreenShots. No entanto, alterar o volume e ligar/desligar o ecrã era-me permitido. Acredito que uma atualização corrija esta situação.

Xperia Z Interface (13)No entanto o multi-tasking está bastante bom e ao acedermos a esta funcionalidade temos as pequenas aplicações, como a calculadora , notas ou gravador de som, que estão instaladas de origem no Xperia Z e que ao adicionar-mos aparece como se fosse uma janela pop-up no interface. Pessoalmente, achei estas aplicações minis bastante interessantes, no entanto, tal como no Windows Phone 8, peca por haver poucas aplicações e tenho dúvidas se os programadores vêm esta possibilidade com bons olhos. Mas a Sony criou bastantes aplicações pequenas, que estão disponíveis na Google Play, como o conversor de moeda ou uma aplicação que integra com o SmartWatch, a Smart Camera.

No multi-tasking tenho pena é que a Sony não tenha adicionado o que muitas fabricantes fizeram, que é uma opção para terminar todas as aplicações. Se quisermos fazer isso, temos de fazer uma a uma, o que se torna cansativo se tiver vários dias sem fechar qualquer aplicação.

O processador do Sony Xperia Z é o Qualcomm Snapdragon S4 Pro, que é um bom processador mas já está atrás da nova geração de processadores, o Qualcomm Snapdragon 600 e 800 e do Nvidia Tegra 4. Logo, um topo de gama que tem um processador que já está a ficar para atrás, torna complicado a sua competição perante os outros topos de gama como o Galaxy S4 e o HTC One.

No entanto, ainda é um processador que está bastante bom e não notará qualquer diferença de desempenho entre este processador e a nova geração, esta diferença só se deverá começar a notar nos próximos anos. Para podermos comparar a outros dispositivos e processadores, realizei os seguintes testes de desempenho: AnTuTu, o GFX-Bench (atualização do GLBenchmark), Quadrant, o Vellamo e o Sunspider.

Sony Xperia ZGalaxy S4HTC One (Engadget)
AnTuTu204672441725140
Quadrant80321234912495
Vellamo217517672429
Sunspider(ms)877873991
GFX-Bench 2.5 Exypt HD (fps)324034

É nos testes de desempenho que percebemos que o processador está um pouco atrás dos concorrentes diretos, tanto em processamento como em GPU, mas no caso da Internet e em testes aos browsers, o Xperia Z comporta-se bastante bem e no Vellamo consegue um resultado bastante superior ao Galaxy S4.

Xperia Z Interface (5)

Mas é na duração de bateria que fiquei mais surpreendido. O que estamos habituados nos smartphone é à duração de dois dias de bateria, o que já é bom pois há smartphone que não conseguem e ainda depende da utilização. Pois com esta smartphone consegui os mesmo dois dias, mas depois há um modo de poupança de bateria que se chama “Modo Stamina” e é neste ponto que o Xperia Z ganha, e muito.

Xperia Z Interface (6)Com o modo Stamina consegui mais um dia de bateria com uma utilização normal, entre 30min a uma hora de jogo, chamadas, mensagens e visualização de email. No Modo Stamina consegui uma duração de três dias mais que uma vez, o que mostra que o Modo Stamina é um dos melhores modos de poupança que já utilizei em dispositivos móveis. Mas para que isso seja possível, sem perder o que é mais importante, há “truques” que o próprio Modo Stamina permite.

No Modo Stamina podemos especificar quais são especificações que acedem à internet enquanto o smartphone tem o ecrã desligado e quais os que recebem notificações. Por base, o Modo Stamina bloqueia todas as aplicações de receber notificações, mas podemos permitir que o nosso email continue a receber notificações, bem como qualquer aplicação do nosso smartphone e estará neste ponto a grande poupança de bateria que o dispositivo permite.

Câmara e Multimédia

A Sony destacou a nova câmara do Xperia Z com uma lente com abertura de f/2.2 e tem estabilizador de imagem e um sensor Exmor RS Mobile de 13 megapixeis. A câmara frontal de 2,2MP com um sensor Exmor R Mobile.

Sony Xperia Z (11)A qualidade fotográfica é indiscutível, tirarmos fotografias e depois visualizarmos no smartphone surpreende, com a ajuda da qualidade gráfica do ecrã. Tal como tem acontecido na maioria das análises efetuadas a smartphones, a fotografia com boa luminosidade fica ao nível das câmaras compatas, no entanto a falta de luminosidade relembra-nos que estamos a tirar fotografias num smartphone e não num dispositivo próprio para o efeito.

Na câmara do Xperia Z temos de destacar o software. Além de bastante completo não é muito diferente do que já encontramos nos smartphones topo de gama do mercado. Mas o que se destaca é o modo automático do software, que a Sony chama de “Superior Auto”. Devo dizer que de superior tem muito.

É verdade que o modo automático dos outros smartphones que já testamos também é de boa qualidade, no entanto este modo automático detetou, a maioria das vezes, com precisão o tipo de fotografia que pretendíamos tirar, o que saí muito surpreendido. É que o modo automático costuma ser ideal para os utilizadores menos experientes no mundo da fotografia, por isso este modo automático é perfeito e completa a função com uma precisão incrível.

Xperia Z Interface (11)Infelizmente, o Sony Xperia Z não tem um botão próprio para a câmara como acontece em outros modelos da Sony, o que é pena, apesar de ser vulgar esta opção dos smartphones de topo dos concorrentes.

Há várias opções para a qualidade de fotografia, desde a mais básica, que é VGA, até aos 12MP, mas para utilizar os 12MP no formato 4:3 e resolução 3920×2940, enquanto que para aproveitar o ecrã todo tem de utilizar 9MP no formato é de 16:9 com uma resolução de 3920×2204, que é o que vem pré-definido. Aqui ficam alguns exemplos dos dois modos de fotografia, de 9MP e  12MP. Poderá visualizar as fotografias no tamanho original na nossa página do Flickr.

Também em vídeo o Xperia Z cumpre com o esperado. A qualidade de som e imagem são muito boas, mas tem um pormenor interessante, a possibilidade de tirar fotografias enquanto está a filma, mas, ao mesmo tempo, esta opção acaba por ser uma desilusão devido à qualidade da fotografia que tem, apenas, 1MP. Aqui fica um vídeo e, depois, uma imagem tirada do vídeo através da tal opção.

httpv://youtu.be/Rw6-uRKH20M

Xperia Z vídeo (2)

Em tudo o resto o Xperia Z é espetacular. A visualização de vídeos e música é excelente e os auriculares oferecem uma qualidade de som bastante boa. O único problema é que para utilizar a tecnologia BRAVIA Engine 2, obriga a que os conteúdos sejam convertidos e se não o forem, é provável que tenha de deslocar-se à Google Play para descarregar outro leitor de vídeos. Para piorar, a conversão é demorada. Mas se for ao YouTube ou descarregar um leitor de vídeo e ter um vídeo Full HD com qualidade, verificará que este ecrã é excelente.

Veredito: Sony Xperia Z

Sony Xperia Z (5)Sem dúvida que temos mais uma marca de topo para concorrer com a Samsung e a Apple no universo smartphone, onde tem sido dominado pela Samsung e que começamos a ver, a passos largos, a HTC a chegar-se com o novo HTC One. A Sony decidiu apostar no design que é, sem dúvida, um dos grandes destaque, no entanto a sua utilização e o seu tamanho causa alguns embaraços quando o colocamos nas calças, devido ao seu tamanho demasiado grande e com cantos retos.

Apesar deste design não permitir a remoção da bateria, a Sony decidiu, muito bem, em adicionar um compartimento para o MicroSD, o que dá bastante jeito para os novos smartphones, pois as câmaras são cada vez mais potentes o que aumenta a sua utilização, o tamanho das fotografias também aumenta, logo precisamos de mais espaço para as guardar.

Sem dúvida que outro ponto de destaque é o certificado IP57, que permite que o Sony Xperia Z seja à prova de água e pó. Certamente que conhece alguém que tenha deixado o seu dispositivo móvel cair na água, numa piscina ou numa praia. Com o Xperia Z não terá esse problema e ainda poderá filmar de baixo de água, mas não pense que o poderá utilizar de qualquer maneira. A própria Sony avisa que o dispositivo não pode ser utilizado para os banhos ou para a praia, mas já não terá medo de estragar o dispositivos assim que toque na água.

Em termos de hardware aponto como pontos negativos, os ângulos do ecrã e o processador. O processador não é propriamente um ponto negativo, mas um topo de gama tem de ser comparado a outros topos de gama, até porque o preço não difere muito, logo o Xperia Z comparado com o HTC One e o Galaxy S4 está um passo atrás. Quanto aos ângulos de visualização da câmara é pena, pois terá de, obrigatoriamente, visualizar o dispositivo de frente, pois se tiver de mostrar a foto ou o vídeo a muitas pessoas, algumas terão dificuldades em o visualizar.

Para mim, o grande destaque deste dispositivo é a bateria, nomeadamente o Modo Stamina que aumenta a duração da bateria em mais um dia. Como indiquei, com o Modo Stamina consegui utilizar o Xperia Z por três dias com uma utilização normal, o que é excelente comparado com todos os smartphones que testei até hoje, que duram dois dias e para chegarem ao 3º tem de ser com uma utilização muito moderada. Com o Modo Stamina conseguirá 3 dias sem qualquer problemas e, certamente, que ainda conseguirá uma parte do 4º dia.

Pontos a Favor:

+ Design

+ Proteção à água e pó

+ Modo Stamina da Bateria

Pontos Contra:

– Processador inferior aos concorrentes

– Ângulos de visualização no ecrã

Agradeço à Sony por nos disponibilizar o Sony Xperia Z. Poderá encontrar o Xperia Z à venda nas lojas de retalho e associado às operadoras, sendo que o custo desbloqueado é de 729€, enquanto associado a uma operadora é de 599€. Fique com a nossa galeria de imagens.

12 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here