Análise ao Razer Deathstalker e Razer Ouroboros: para gamers

Razer Deathstalker (2)

Ainda não tínhamos testado ratos ou teclados, mas a Razer desafiou-nos com estes dois gadgets para gamers. Será que são dois bons produtos? A Razer tem-nos habituado bem.

Índice
Análise Razer Deathstalker

Análise Razer Ouroboros
Veredito: Razer Deathstalker
Veredito: Razer Ouroboros

Se gosta de jogos que obrigam a um rato rápido e muitos botões, certamente que sempre sonhou com um rato e teclado próprios e é disso que tratamos hoje. Uma análise a um dos melhores ratos da Razer e, também, a um dos teclados que a Razer tem vocacionados para jogos.

Análise Razer Deathstalker

Razer Deathstalker (3)Se procura um teclado decente e a um bom preço, pode olhar para o Deathstalker. O design deste teclado é bastante bom e simples, com o logótipo da Razer na parte de assento da mão a dar um ar muito elegante. O que o torna ainda melhor, é quando o teclado está ligado e a iluminação verde das teclas se nota. Então quando há menos luz, todo este teclado ganha um ar muito melhor e mais bonito, fazendo acreditar que foram os melhores 80€ que demos por um teclado. Acredita, irá impressionar todos os que entrarem pelo seu escritório/zona de jogos a dentro.

Em termos de desempenho ainda temos de olhar para as teclas que têm o espaçamento e o toque ideal para um uso intensivo que é necessário quando jogamos. Em termos mais técnico, 1ms como taxa de atualização é muito bom, aliado ao programa Razer Synapse 2.0 é possível personalizar praticamente tudo. Desde macros ao modo de jogo específico, são variadas funcionalidades que podem ser ativadas durante o jogo e, até mesmo, as macros podem ser personalizadas quando quiser ou precisar.

Razer Deathstalker (4)Outra das coisas que gostamos é a reposta que as teclas dão ao toque rápido e preciso, não havendo risco de repetir as teclas, sendo o espaçamento entre elas perfeito. No entanto, é uma pena não encontrarmos esta versão em português, pois como sabemos o português tem alguns caracteres únicos e essenciais para a nossa escrita. Também é verdade que um gamer não compra um teclado destes para escrever longos textos, mas não deixa de ser uma pena. Apesar de tudo, tivemos mais de um mês com este teclado e só sentimos falta de dois botões que, simplesmente, desaparecem quando colocamos este teclado para português, o “>” e “<“.

Uma parte que é positivo para os dois equipamentos, o software Razer Synapse 2.0 é muito completo e é intuitivo, mesmo estando em inglês.

Razer Deathstalker (6)No entanto, olhamos para este teclado e não fosse o logótipo da Razer, o que teria de diferente de qualquer outro teclado? Basicamente nada. Apesar de interessante, as teclas são basicamente as mesmas que um teclado qualquer, o que a Razer deveria ter feito um pouco mais para se destacar de qualquer outro teclado. Não estou a pedir para colocar neste teclado um touch personalizável, mas deveria ser feito aqui mais qualquer coisa.

Outro fator é o preço. É verdade que é um teclado da Razer, mas não é muito diferente de outros teclados. Por exemplo, a diferença entre este e o Essencial é, apenas, a retroiluminação. Achamos que a diferença de 30€ não justifica, até porque a retroiluminação é, apenas, bonita e acredito que não jogue às escuras no seu quarto, até porque não é aconselhável.

Análise Razer Ouroboros

Se procura um rato para jogos, a Razer também tem várias ofertas e nós decidimos analisar um dos mais famosos, com um preço/qualidade dentro da média, o Razer Ouroboros. Este rato é, logo à primeira vez, um rato para gamers, sem qualquer dúvida. Basta olhar para o seu design arrojado para rapidamente perceber que não estamos a olhar para um rato normal, mas sim um que nos vai oferecer bons momentos de jogo.

Razer Ouroboros (4)

Começamos pela sua personalização, que se adapta a qualquer tipo de mão, permitindo ajustar a extensão do corpo do rato e o ângulo de inclinação da parte traseira. Além disso, há dois pares de painéis laterais que podemos alterar, o meu preferido é, claramente a utilização dos painéis que permitem repousar os dedos, o que é excelente para longos períodos de tempo a jogar.

Como qualquer rato para gamers que se preze, ter mais botões é essencial para facilitar um jogo e o Ouroboros tem um total de oito botões personalizáveis. No entanto, além dos três botões centrais e normais em, praticamente, todos os ratos, os botões laterais não são assim tão fáceis de aceder como esperava. É que utilizar  os botões de cima do lado direito obriga-me a usar dedos que normalmente não uso para jogar, o anelar e o mindinho. Vamos para  o lado esquerdo e a mesma dificuldade, o polegar tem de dobrar-se todo para chegar ao botão mais atrás.

Razer Ouroboros (3)Felizmente que a personalização dos botões com o Razer Synapse 2.0 é muito boa, permitindo associar perfis diferentes para cada jogo ou programa instalado, bem como fazer a transição entre perfis de forma fácil e rápida.

Apesar dos botões necessitarem de um tempo de habituação, a precisão que este rato oferece faz valer todo o esforço que temos para nos adaptar, pois é garantia de desempenho num jogo como um first shotter ou um LoL ou Wow. Também a sensibilidade é muito boa, com fácil personalização através de uns botões centrais que estão situados logo por baixo do botão de scroll.

Razer Ouroboros (7)Como é um rato sem fios, a duração da bateria é importante e não é das melhores. A Razer estima uma duração de 12 horas, mas a jogar intensamente não acredito que dure muito mais de duas horas. Além da possibilidade de mudarmos as pilhas, também podemos ligar diretamente o cabo ao rato, o que é uma mais-valia para o caso de ficarmos sem bateria a meio do jogo. Também não notamos qualquer diferença de desempenho entre a utilização do cabo ou o wireless.

O preço deste rato também é considerado alto e não estará ao nível de qualquer pessoa, nomeadamente se só jogar umas horas por semana. Se está a pensar se vale a pena, eu acho que você tem de perceber quantas horas é que joga. O Razer Ouroboros vale a pena, mas se jogar bastantes horas e quiser levar os jogos mais a sério.

Veredito: Razer Deathstalker

Razer Deathstalker (1)Há vários aspetos positivos, como o design do teclado e o programa Razer Synapse são muito bons, no entanto não é muito diferente de um teclado normal e aqui gostaríamos de ter algumas teclas adicionais que permitissem uma personalização diferente.

Felizmente, as macros são bastante personalizáveis, sem grande dificuldade, mas o preço é um pouco alto, quando comparado com a versão Essencial. Certamente que não ficará desiludido com esta compra, acredito é que por mais um pouco, consiga melhor que este.

Pontos a Favor:

  • Design
  • Razer Synapse 2.0 está muito bom
  • Macros facilmente personalizáveis

Pontos Contra:

  • Não é muito diferente de um teclado normal
  • Preço

Veredito: Razer Ouroboros

Razer Ouroboros (1)

O Razer Ouruboros oferece um design arrojado e personalizável, o que é muito bom para qualquer tipo de mão, além de ter botões personalizados através do excelente programa Synapse 2.0 da Razer. Verificamos que não se nota a diferença de desempenho entre utilizar o cabo e o wireless, é bom sinal.

No entanto, os botões laterais deveriam estar melhor posicionados, já que vai levar a um tempo de habituação e à utilização de dedos que normalmente não utiliza para jogar. O preço também tem de ser levado em conta, é que não é qualquer pessoa que pode dar 149,90 € por um rato deste nível, nomeadamente se apenas jogar algumas horas por semana.

Pontos a Favor:

  • Design arrojado e personalizável à mão
  • Botões personalizados no Razer Synapse 2.0
  • Utilização igual com cabo ou por wireless

Pontos Contra:

  • Preço elevado
  • Acesso aos botões laterais

Queremos agradecer à Razer por disponibilizar estes dois produtos para análise. Poderá adquirir o Razer Deathstalker e o Ouroboros no site oficial por 79,99€ e 149,99€, respetivamente. Fique com a nossa galeria de fotos:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here