Amazon verifica identidade de vendedores por videoconferência

Desde o início do ano que a Amazon está a testar a verificação da identidade dos candidatos a vendedores, de forma a combater fraudes. Mas agora, com a pandemia de covid-19 a afetar quase todo o mundo, a empresa decidiu passar a fazê-lo única e exclusivamente por videoconferência, uma vez que não pode efetuar reuniões pessoais.

A maior retalhista online do mundo há muito que é escrutinada sobre a forma como controla e examina os produtos falsificados e algumas vendas inseguras feitas na sua plataforma. Estes acontecimentos já deixaram, inclusivamente, grandes marcas frustradas, como a Apple ou a Nike, e desencorajaram outras a venderem os seus produtos através da Amazon.

Segundo a agência de notícias Reuters, a Amazon sublinha que o projeto piloto começou no início deste ano, tendo, no entanto, passado a ser exclusivamente ‘online’ em fevereiro, quando começaram a ser tomadas medidas de distanciamento social devido à covid-19, que teve início na China e, entretanto, alastrou-se um pouco por todo o mundo.

O controlo por entrevista, levado a cabo pela companhia norte-americana, já foi feita junto de mais de 1.000 candidatos a comerciantes da China, Estados Unidos da América, Reino Unidos e Japão, adiantou a Amazon.

Ainda de acordo com a agência Reuters, este escrutínio extra pode dificultar alguns vendedores sediados na China, que terão registado múltiplas contas usando redes privadas da Internet ou até contas de serviços públicos falsos.

A doença covid-19, provocada por um novo coronavírus, já provocou mais de 206 mil mortos em todo o mundo e infetou quase três milhões de pessoas em 193 país e territórios.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela covid-19, detetada em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, com 54.877 mortos e quase um milhão de casos de infeção confirmados, dão conta os dados atualizados na manhã desta segunda-feira.

Fonte: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui